Home

Atualizações
Colunas
Críticas

Projetos

Adote Uma Ideia
Leitor Criativo
Quiz Criativo
Songfics

Informativo

Destaques
Vagas abertas
Torne-se VIP

VOCÊ SABIA? As atualizações são anunciadas diariamente pelo nosso twitter. Siga o perfil para saber quais histórias foram atualizadas!

⥃ CONFIRA ATUALIZAÇÕES PASSADAS

Histórias Vip
  1. Be, por Ray Dias
    | K-Pop, BTS, Andamento
  2. Mafia's Paradise, por Pâms
    | Original, Andamento
  3. Sight, My Sight, por M-Hobi
    | K-Pop, Seventeen, Restrita, Finalizada
  4. Entre CEO's, por Ray Dias
    | Artistas, Woo Do Hwan, Restrita, Andamento
  5. Lady Lewis, por Pâms
    | Séries, Bridgerton, Finalizada

Escolhendo o ponto de vista certo
|| quarta-feira 29 de janeiro de 2020 às 18:30 - 1 comentário
|| Arquivado em: Colunas

Assim que começamos a planejar uma nova história, há certas coisas que devem ser estabelecidas para o bom andamento da escrita. A escolha do ponto de vista é uma delas e é essa que iremos nos ater agora.

Ao contrário do que se pode imaginar, o ponto de vista ideal não é necessariamente ditado pela escolha de flexão verbal. Pouco interessa se sua história será narrada em primeira ou terceira pessoa: o ponto de vista é moldado pelo narrador. Aliás, o narrador não é o autor. Ao menos, não necessariamente. De acordo com Raimundo Carrero, “o ponto de vista é a essência do narrador e, como o ponto de vista do narrador não coincide com o ponto de vista do autor, o narrador não é o autor”.

A primeira coisa a ser considerada é o que você quer contar e para quem. Temos um projeto hipotético chamado J e ele tem como alvo o público majoritariamente feminino. Quero que as leitoras se apaixonem pelo personagem masculino aos poucos junto com a protagonista, logo, escolho o ponto de vista dela, pois é o mais ‘cego’ em relação a ele; além disso, pode haver maior facilidade de identificação entre a mocinha e aquele que ler a história.

Ah, mas e se meu objetivo é mostrar o passado do protagonista? E se eu quiser desenvolvê-lo de forma mais ativa? É daí que a escolha de mais de um ponto de vista deve ser refletido.

Não é interessante trocar de POV apenas em um capítulo; se você deseja narrar o que mais de um personagem pensa, é interessante que a troca tenha um padrão. Capítulo sim, capítulo não, a cada 4 capítulos, metade da história… Está em suas mãos escolher a melhor sequência. Tal ordem facilita e dá ao seu leitor uma sensação de segurança, pois ele sabe o que esperar. Outra coisa importante: só reescreva a mesma cena que for realmente necessária ou traga uma informação nova para o leitor.

A escolha de diferentes pontos de vista devem ser ponderados a partir da necessidade. Se é imprescindível que o personagem X conte sua versão dos fatos ou narre algo que não acrescenta nada a história.

Há, porém, situações em que há mais do que dois personagens principais e diversas coisas acontecendo que devem ser contadas. Aconselho que use um narrador-observador, na terceira pessoa, onde a troca de pontos de vistas torna-se mais maleável; afinal, a troca constante de POVs podem deixar o texto cansativo e dificultar a memória do leitor para relembrar quem é quem.

 

Tem mais alguma dica para a escolha de ponto de vista? Alguma pergunta? Comente! Quer uma coluna sobre um tema específico? Mande sua sugestão. Com certeza vamos fazê-la!

 

Espero que o post tenha ajudado a tirar-lhe dúvidas. Até breve.

Coluna por Maraíza Santos





0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Elisabete Pinheiro
Elisabete Pinheiro
4 anos atrás

Gostei muito

1
0
Would love your thoughts, please comment.x