Home

Atualizações
Colunas
Críticas

Projetos

Adote Uma Ideia
Leitor Criativo
Quiz Criativo
Songfics

Informativo

Destaques
Vagas abertas
Torne-se VIP

VOCÊ SABIA? As atualizações são anunciadas diariamente pelo nosso twitter. Siga o perfil para saber quais histórias foram atualizadas!

⥃ CONFIRA ATUALIZAÇÕES PASSADAS

Histórias Vip
  1. Em Busca de Mim, por Natashia Kitamura
    | Original, Restrita, Andamento
  2. Me Apaixonei Pela Babá, por Natashia Kitamura
    | Original, Finalizada
  3. Enemies But We've Got Benefits, por M-Hobi
    | K-Pop, Seventeen, Restrita, Finalizada
  4. 7 Heavens, por Betiza
    | K-pop, BTS, Restrita, Andamento
  5. Semiapagados, por Ray Dias
    | Cantores, Luan Santana, Andamento

Às vezes menos é mais
|| sexta-feira 9 de junho de 2023 às 16:52 - Comentários
|| Arquivado em: Colunas, Como eu faço?, Postagens

– Por Fe Camilo.

Olá, mi amores!

Hoje estou aqui para explicar uma pontuação que é tão simples que até Deus duvida. Apesar de quando ouvirmos o termo ‘meia-risca’ nosso cérebro já entrar em modo pânico com um ponto de interrogação gigante na testa, o uso dessa pontuação relativamente comum é bem mais fácil do que você pode imaginar.

A meia-risca nada mais é do que um sinal gráfico utilizado para conectar elementos em série separando as extremidades por um intervalo. Em português claro, serve para evidenciar intervalo de tempo, distância e conexões entre lugares e pessoas. Vou colocar alguns exemplos marotos para descomplicar ainda mais:

– Naquela loja que fomos ontem estão dando descontos de 10%–20% nas camisetas da Nike.

– Coloque o bolo para assar em temperatura de 180° em forno pré-aquecido por 30–40 minutos.

– A Elena disse que vai pegar a ponte aérea Rio–São Paulo e deve chegar por volta de 20h.

– Ela estudou naquela escola entre 1985–1989 e a maioria de suas amizades são daquela época.

Tenho certeza de que depois desses exemplos ficou bem evidente o quão simples é o uso da meia-risca, não é mesmo? Agora para finalizar com chave de ouro, basta ter em mente que há uma diferença clara entre meia-risca, travessão e hífen, embora esses sinais sejam frequentemente confundidos. Confira abaixo as diferenças:

O travessão ( — ) é utilizado em cada fala no discurso direto e auxilia na separação entre fala e  narração. Exemplo: — Não podemos mais nos ver. – disse ela, despedaçando meu coração em pedaços.

Enquanto o hífen (-) pode ser utilizado em vocábulos compostos (couve-flor, erva-doce); ligar pronomes átonos a formas verbais (ensiná-lo, tocá-la); e separar uma palavra em duas partes quando está no fim da linha.

Prontinho! Agora salva essa coluna nos favoritos para sempre dar uma olhadinha quando ficar confusa em qual utilizar. E quer mais uma dica maneira? Para utilizar a meia-risca no teclado, basta usar esse atalho:  Ctrl + – (teclado numérico).

Espero ter ajudado e até a próxima!

AJUDE-NOS A MELHORAR! AVALIE ESTA COLUNA:




0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x