Home

Atualizações
Colunas
Críticas

Projetos

Adote Uma Ideia
Leitor Criativo
Quiz Criativo
Songfics

Informativo

Destaques
Vagas abertas
Torne-se VIP

VOCÊ SABIA? As atualizações são anunciadas diariamente pelo nosso twitter. Siga o perfil para saber quais histórias foram atualizadas!

⥃ CONFIRA ATUALIZAÇÕES PASSADAS

Histórias Vip
  1. Be, por Ray Dias
    | K-Pop, BTS, Andamento
  2. Mafia's Paradise, por Pâms
    | Original, Andamento
  3. Sight, My Sight, por M-Hobi
    | K-Pop, Seventeen, Restrita, Finalizada
  4. Entre CEO's, por Ray Dias
    | Artistas, Woo Do Hwan, Restrita, Andamento
  5. Lady Lewis, por Pâms
    | Séries, Bridgerton, Finalizada

À três é melhor?
|| sábado 3 de dezembro de 2022 às 02:04 - Comentários
|| Arquivado em: Colunas, Postagens

– Por Fe Camilo.

Olá, minhas queridas leitoras!

Hoje vim aqui falar de um assunto que tem se tornado meio polêmico ultimamente, e percebo que muitas leitoras são enfaticamente contra: triângulos amorosos!

Antes de tudo quero ressaltar que eu sou um tanto quanto suspeita para falar desse assunto porque eu amo um triângulo amoroso, inclusive se você encontrar uma história minha que não tenha o dito cujo, meus parabéns, porque eu mesma não consigo lembrar de nenhuma (risos).

A minha intenção nessa coluna é apresentar os tipos de triângulos mais comuns, e pontuar alguns argumentos acerca da necessidade ou relevância  de inseri-los na sua história. Então cola aqui comigo e bora entender esses tipos tão envolventes:

Tipo 1.

Esse é o que eu considero mais clássico de todos, costuma ser a fórmula mágica que não dá erro, e acontece quando a protagonista é amada por duas pessoas. Esse é o modelo mais fácil de inserir em uma história sem causar grandes dificuldades, além de poder ter uma relevância maior ou menor a depender do que a autora está propondo. Costuma ser o formato perfeito para causar uma confusão das brabas, então se você deseja criar algumas artimanhas para abalar as estruturas da protagonista, esse tipo funciona perfeitamente.

Tipo 2.

Esse ocorre quando a protagonista está dividida entre duas pessoas e nos faz questionar se é possível amar duas pessoas ao mesmo tempo. É o meu tipo favorito, porém é necessário saber fazê-lo para que não seja algo forçado. Se você deseja fazer uma história nesse molde, sugiro que você diferencie muito bem os dois interesses amorosos e/ou separe eles por momentos da vida da protagonista (por exemplo: o ex e o atual). Na minha humilde opinião, funciona muito bem em enredos longos que pretendem mostrar a evolução da protagonista e/ou da relação do casal principal.

Tipo 3.

Nesse formato aqui a protagonista gosta de uma pessoa que gosta de outra pessoa, a qual pode ou não completar o círculo gostando da protagonista. Eu acredito que esse modelo tem potencial para ser bem engraçado ou bem triste, e combina muito com histórias adolescentes. Não creio que seja um tipo que funcione em todos os tipos de história, então é necessário pensar bem antes de utilizá-lo para analisar se combina com a personalidade da sua protagonista e se dá para encaixar bem essa dinâmica no enredo.

Tipo 4.

Esse último modelo pode dar bastante pano para manga, pois se trata de quando uma pessoa gosta da protagonista, mas esta já é comprometida ou vice-versa. Um traço bem interessante nesse tipo de triângulo é que  dá para explorar bem a criatividade e utilizá-lo em tudo quanto é contexto, porém tende ao lado dramático da coisa, então – a meu ver – funciona melhorar em dramas.

Agora vamos as perguntas cruciais:

  • Existe um tipo de triângulo perfeito e um que é uma má ideia?

Não, pois não é o modelo de triângulo amoroso – em si – que vai determinar se a história vai ser um sucesso ou não. É importante entender qual tipo se encaixa melhor na história que você está criando, e aí sim você pode fazer um bom uso deles em suas histórias. Quero aproveitar para pontuar que para fazer um triângulo amoroso de respeito é importante que a autora tenha uma boa habilidade na criação de diferentes tipos de personagens, pois é essa diferenciação que vai dar aquela sacudida no enredo e ser um divisor de águas para as leitoras.

  • Vale a pena colocar triângulo amoroso na história?

Às vezes sim e às vezes não. Colocar triângulo só por colocar é uma das piores escolhas possíveis, na minha opinião. Para valer a pena, precisa ter um sentido. Dessa forma, se você deseja realmente inserir um triângulo na sua história, reflita sobre o sentido dele no enredo e em que ele vai agregar na história, e a resposta pode variar muito para cada autora. Algumas possibilidades são: crescimento da protagonista (amadurecimento), um vilão/vilã para causar, fortalecimento da relação do casal principal etc. Não importa o motivo, mas precisa haver um.

 

Por hoje é isso, meus amores, espero que tenham gostado e estou curiosa para ver os próximos triângulos a serem desvendados por aí.

AJUDE-NOS A MELHORAR! AVALIE ESTA COLUNA:




0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x