Esta história pertence ao Projeto Songfics
Redes Sociais



103 leituras

Seja um
Autor VIP
www.espacocriativo.net/VIP

#017 Temporada

Don't Threaten Me With a Good Time
Panic! At The Disco



Aproveite a Noite

Escrita por Julia Nakamoto

« Anterior


  Jayden Prell encarou ao seu redor, não fazia ideia de onde estava, sua cabeça doía e um frio percorreu seu corpo, o fazendo perceber que estava nu. Ele soltou um riso e voltou a se jogar sobre a cama em que havia acordado após olhar ao seu redor, vendo uma dezena de pessoas desacordadas que ele não tinha a menor suspeita de quem seriam. A noite tinha valido a pena, afinal. Era tudo o que ele conseguia pensar.
  Prell era estudante do segundo ano de medicina e estava muito mais do que ligado àquela vida de festas de irmandades, sexo e drogas. Jayden era do tipo de cara que conseguia o que queria não importava o que custasse, o que o tornava um tanto controlador e manipulador. Não pôde deixar de sorrir vitorioso quando viu o corpo nu ao seu lado. Apesar de não estar conseguindo se lembrar do direito de como haviam chegado ali, ele tinha aproveitado a noite e era o que importava…

  Era noite de sexta-feira, mais uma festa, e Jayden olhava para uma garota que vinha roubando sua atenção fazia algumas horas. Ela era nova no curso, tinha sido transferida havia pouco tempo diziam os outros, era tímida e delicada e não parecia nem um pouco interessada no que ele podia oferecer. Caitlyn Venning parecia completamente deslocada em meio aos universitários festejando, bebendo e se drogando para aguentar mais um semestre corrido de medicina.
  Não foi nem um pouco difícil para Jayden se aproximar da garota com a desculpa de estar lhe fazer companhia. Também não foi difícil, depois de perceber que ela não se daria por fácil, oferecer uma bebida batizada para ela, Prell era profissional em drogar as mulheres que lhe diziam não. Em poucos minutos Caitlyn já estava tonta em seus braços, cambaleando para lá e para cá em direção aos quartos da fraternidade, sendo guiada por ele.

  De repente aquelas memórias voltaram para a mente de Jayden, todas de uma vez. Ele se lembrou de Caitlyn resmungar enquanto ele a arrancava de suas roupas e admirava por alguns segundos seu corpo. Havia demorado alguns instantes até a garota perceber o que estava acontecendo de verdade, mas ela já estava muito tonta e fraca para conseguir fazer qualquer coisa.
  Jayden riu com prazer ao se lembrar dos gemidos da mulher ao seu lado. Ele se livrou dos lençóis que mal o cobriam direito e colocou os pés para fora da cama, quase pisando em outra pessoa. Ele passou as mãos pelo rosto e se espreguiçou, sentindo as costas arderem. Prell estranhou a dor mas suas mãos não alcançavam o local. Se levantou e caminhou para uma porta adjacente que dava para um banheiro. Virou-se para encarar as costas no espelho e percebeu uma série de arranhões um tanto fundos ali. Jayden soltou um riso, ele tinha mesmo aproveitado a noite.
  Estava caminhando para fora do banheiro quando sentiu o pé pisar sobre algo que não era o chão. Olhou para baixo e teve que reprimir uma exclamação de surpresa. O chão parecia estar coberto de pegadas retorcidas, como pés deformados pegadas pegajosas em tom avermelhado.
  — Mas que porra é essa? — Soltou seguindo a trilha de volta para o quarto, mas parando quando percebeu que o lugar estava escuro, como se tivesse anoitecido na fração de segundos que havia estado fora. — Mas o que…
  Um calafrio percorreu sua espinha e uma urgência de sair daquele quarto tomou seus sentidos. Saiu procurando por suas roupas pelo chão, mas não havia sinal delas. Levou um susto quando sentiu uma mão tocar seu ombro de repente.
  — Qual a pressa, Jayden? — A voz suave de Caitlyn soou pelo cômodo, as mãos passando levemente pelos arranhões nas costas dele.
  — Eu tenho que ir. — Respondeu tentando não transparecer o desconforto que estava sentindo.
  Ouviu um barulho que não conseguiu identificar e logo depois sentiu uma dor horrível em suas costas, algo estava cravado nelas.
  — Nós ainda não aproveitamos a noite. — A voz de Caitlyn não era mais suave e nem delicada como costumava. Era fria, dura, raivosa.
  — É claro que aproveitamos… — Jayden se virou para resmungar quando seus olhos bateram em todos os corpos que antes estavam desacordados no chão, e agora estavam em pé, vindo em sua direção.
  — Eu quis dizer eu e as meninas. — Caitlyn murmurou sorrindo travessa, apontando para os corpos disformes que continuavam caminhando.
  Sem dar chance para reação, a mulher, ainda nua e estonteante como Jayden se lembrava da noite anterior, puxou-o pelo braço e o empurrou de volta à cama, forçando-o a deitar.
  — Caitlyn, eu tenho que ir. — Tentou resmungar mais uma vez, mas logo que proferiu as palavras, um choro horrível se fez ouvir. 
  Jayden virou o rosto em direção ao som e seus olhos quase pularam das órbitas quando, em meio ao cabelo desgrenhado e o corpo disforme, conseguiu reconhecer os traços de Piper Hagel com a expressão retorcida numa careta de insatisfação.
  — Vejo que se lembra da pobre Piper… — Caitlyn murmurou acariciando o peito de Jayden. — Talvez se lembre de Johanna, Cleo, Gail e de todas as outras garotas que você estuprou… — Ao serem citadas, todos os corpos se aproximaram da cama em que Jayden estava. Ele tentou se levantar, mas estava preso por alguma força invisível. Braços e pernas estavam imobilizados e ele não conseguia forças para fugir.
  Jayden conseguiu reconhecer cada rosto que o encarava agora. Ele estava horrorizado.
  — Joe, Cleo, Gail… Elas não morreram… — Murmurou para si mesmo.
  Piper Hagel era a única garota que havia drogado e passado a noite que tinha morrido por overdose, todas as outras com quem tinha dormido após batizar a bebida estavam vivas. Então aquilo só podia ser um pesadelo…
  Ele ouviu a gargalhada estrondosa de Caitlyn ressoar enquanto ela se abaixava para murmurar em seu ouvido, mas não sem antes dar uma mordida com gosto em seu lóbulo.
  — Elas podem não estar mortas, Prell… Mas as almas delas já estão no inferno. — Depois de sussurrar aquilo, Caitlyn voltou a se ajeitar sentada sobre ele, passando as mãos com garras no lugar de unhas por seu peito e abdômen, deixando arranhões como rastros. — Está na hora, meninas… — Ela se levantou abrindo espaço na cama enquanto os corpos das outras garotas se aproximavam soltando exclamações que pareciam ser de satisfação. — Aproveitem a noite, minhas queridas. 
  O riso satisfeito e alegre de Caitlyn Venning foi a última coisa que Jayden Prell conseguiu ouvir antes que os corpos distorcidos de suas vítimas se aproximasse com ferocidade para fazer dele o brinquedinho e diversão da noite delas. Elas o usariam da forma como a mente deturpada e envenenada delas bem entendesse. E não ia ser nada bonito. Mas elas finalmente aproveitariam a noite.

--

  Na manhã de sábado, após a grande festa do encontro de fraternidades da universidade, uma nota no jornal da cidade apareceu reportando a morte por overdose do aluno do segundo ano de medicina, Jayden Prell. 
  Alguém poderia perguntar sobre a aluna transferida, mas nenhum registro de transferência foi encontrado e nenhuma aluna com o nome de Caitlyn Venning parecia existir naquela universidade.