Li Santos
Visite o Perfil

Status

Loading

Avalie

Este texto não foi revisado
Encontrou algum erro? Clique aqui

Esta história não possui capas prévias (:

Sem curiosidades para essa história no momento!

Almas Afins

Capítulo 1

  POV

  Me chamo , tenho 12 anos e nasci aqui em Montreal, Canadá. Hoje é um dia especial para mim e para toda minha família, pois hoje nasceu minha irmãzinha! De início eu não queria ter irmãos, não queria dividir meu espaço e atenção dos meus pais com outra pessoa. Mas, agora, depois que ela nasceu, eu me sinto revigorado, não sei explicar direito o que isso significa, mas é uma palavra que meu pai usou quando falou da minha irmã. Então, acho que deve ser algo bom. Eu toco piano desde os 9 anos de idade, nunca me interessei por outro instrumento. Porém, após saber que teria uma irmã mais nova, eu quis aprender a tocar violão só para tocar canções de ninar para ela. Meu pai me disse, que agora que minha irmã nasceu, eu teria que ter mais responsabilidade, como se minha irmã fosse um pedaço de mim, teria que cuidar de mim e dela. Meus pais chegaram agora em casa, não me deixaram ir para o hospital junto com eles. Desci as escadas em direção à sala de estar e lá estavam elas: minha mãe com minha irmã no colo. Ela é tão pequena.
0
Comente!x

  - Venha, ! – Disse minha mãe, suavemente. Me aproximei dela no sofá e sentei-me meio sem jeito. – Veja, essa é sua irmãzinha. Dê ‘oi’ para ela. – Eu sorri e olhei para minha irmã. Era tão pequenina.
0
Comente!x

  - Oi, irmãzinha! – Eu disse com felicidade na voz. Eu fiquei realmente muito feliz por vê-la de perto. Por ela estar ali comigo. – Ela tem nome, mãe?
0
Comente!x

  - Ainda não, . Quer escolher? – Minha mãe questionou e eu gelei por um instante.
0
Comente!x

  - Eu? Wow… Tem certeza, mãe? – Ela acenou que sim com a cabeça. Pensei por alguns instantes e respondi finalmente. – . . Aí, podemos chamá-la de ! – Respondi e meus pais me olharam surpresos, perguntando o motivo do apelido. – Ah, eu não sei. Só acho que ela tem cara de . – Sorri ao final da frase e eles concordaram.
0
Comente!x

  E foi assim que eu dei o nome da minha irmã de , a minha . Ela se tornou minha vida. Faria de tudo para vê-la sorrindo. E foi o que fiz nos primeiros anos de vida dela: quando deu os primeiros passos eu estava lá; quando caiu pela primeira vez tentando andar eu estava lá; sua primeira palavra foi “” e isso realmente me deixou emocionado. Vê-la crescendo foi algo mágico, maravilhoso. A primeira vez que ela foi para escola, fui eu quem a levei. Aliás, faço isso até hoje, com 16 anos de idade, frequenta o primeiro ano do ensino médio. Deus, por que tão rápido? Ela é muito mais nova que os demais colegas e isso me preocupa. Sei muito bem o que acontece no ensino médio e isso está tirando meu sono.
0
Comente!x

  - Cara, você vai surtar. Se acalma! – Disse Chuck, um dos meus melhores amigos. Na verdade, é o meu melhor amigo com o qual eu compartilhei a infância. Crescemos juntos aqui em Montreal e hoje temos uma banda. Ele compartilhou também o crescimento da minha irmã. Ele e o , meu outro grande amigo. Dave e Jeff formam o restante da banda.
0
Comente!x

  - Não consigo, cara. Segunda-feira ela vai para o ensino médio e eu fico como? – Eu falava da minha irmã, que estava no andar de cima, super ansiosa para seu grande passo: o ensino médio. – Não sei lidar, ok?
0
Comente!x

  - Relaxa cara, ela vai ficar bem. Afinal, ela é uma ! – Disse , que estava sentado no sofá que fica na garagem daqui de casa, vulgo: estúdio de ensaios da banda. Nossas idades variam entre 24 e 26 anos. Eu tenho 26 anos. Pensamento totalmente aleatório, eu sei.
0
Comente!x

  - Ah, ok, né? Fazer o que? Vamos ensaiar!
0
Comente!x

  Começamos o ensaio. Estávamos fazendo sucesso, não só em Montreal, mas no mundo todo. Nosso empresário conseguiu um estúdio profissional para ensaiarmos, porém, especialmente hoje, eu convenci a todos a ensaiar aqui em casa mesmo. Após o ensaio, eu fui até o quarto de minha irmã. Os caras me esperavam no andar debaixo, na sala de estar, enquanto eu ia conversar com a minha irmã. Ao chegar na porta, ouvi uma conversa dela e uma de suas amigas, elas conversavam via Skype.
0
Comente!x

  - Ah, amiga, eu não sei o que fazer! Me ajuda. – disse e me parecia desesperada por uma solução. – O que devo fazer? Será que devo dizer o que sinto?
0
Comente!x

  - Eu acho que deveria dizer, não custa nada, certo? – Respondeu a amiga do outro lado da tela do notebook. Mas, do que elas estão falando?
0
Comente!x

  - Não! Meu irmão me mataria e o mataria também! – Fiquei preocupado agora.
0
Comente!x

  - Verdade! – Elas riram – Seu irmão é super protetor, né? E ainda mais que o seu crush é melhor amigo dele. – Quê? Agora quero saber o que é… invadi o quarto dela. Ela se assustou ao me ver.
0
Comente!x

  - ! – Gaguejou ao me ver entrando. – Já te ligo, amiga. – Ela disse e desligou rapidamente o notebook.
0
Comente!x

  - Do que estavam falando, ? Posso saber quem é esse tal crush e qual melhor amigo meu morrerá hoje? – Questionei, sério, sentando-me na cama dela. Ela levantou e me encarou trêmula.
0
Comente!x

  - , eu… eu posso explicar. Não é bem isso! – Disse gaguejando. – Por favor, não machuque o ! Te imploro, ! – Ela arregalou os olhos e eu também. Ela por ter revelado sem querer quem era seu crush e eu por descobrir quem era. – Nã-Não! Ah, que droga!
0
Comente!x

  - O ? Ele é teu crush? – Perguntei, mas ela não disse nada. Levantei e me aproximei dela, segurei suas mãos e estavam geladas. – Calma, mana. Fica calma. – Tentei acalmá-la – Vem, senta aqui. Eu estou aqui, não precisa chorar. Eu não estou bravo com você e nem com o .
0
Comente!x

  Na verdade, eu estava bem irritado sim em saber que minha irmãzinha estava apaixonada por alguém e ainda mais pelo . Mas, eu não pude deixar de me comover com o desespero dela, ela realmente estava preocupada de eu fazer algum mal para o . Jamais faria nada contra meus amigos: são meus irmãos de vida. ainda é muito nova para saber se realmente ama o . Eles sempre foram próximos, desde que ela tinha 2 anos (quando eu conheci o ). Ele sempre vinha aqui brincar com a gente, era bem divertido.
0
Comente!x

  - Você ama o ? – Perguntei, enquanto ela estava aninhada em meus braços.
0
Comente!x

  - Eu não tenho certeza. Nunca senti nada disso antes por ninguém. Eu não sei, . Me ajuda! – Ela chorava e aquilo estava despedaçando meu coração.
0
Comente!x

  - Eu acho que você ainda é muito nova, , sério, você é nova para saber se ama o como homem. Você sabe que ele tem dez anos a mais que você, né? – Ela fez que sim com a cabeça. Ela me olhava com um ar de derrota no olhar. – Então, não digo que não pode ficar com caras mais velhos que você. Não é isso, mas sim que você ainda é nova demais para essas coisas. Te digo isso com experiência. – Se ela não tivesse tão derrotada e chorona, certamente diria que eu sou velho, por isso tenho experiência de sobra.
0
Comente!x

  - , vamos, cara! – Disse Chuck, entrando no quarto de minha irmã. – Foi mal, atrapalhei? – Ele viu que ela estava chorando.
0
Comente!x

  - Não dude, relaxa. Eu já estava descendo. – Eu disse e dei um beijo na testa dela. Levantei e fui andando na direção da porta, onde Chuck estava.
0
Comente!x

  - Hey, tampinha! – Disse Chuck, antes de sairmos. olhou para ele. – Seja lá o que for que te deixou assim chorona, dá um tempo que vai passar, está bem? – Ela sorriu de leve e concordou com a cabeça. Ele concluiu dizendo: – E se alguém te incomodar, pode falar comigo que eu resolvo! Super Chuck entrará em ação! – Ela sorriu mais, levantou-se e deu um abraço no Chuck.
0
Comente!x

  Chuck era bem próximo dela também, desde que ela nasceu. Ele me ajudou bastante, pois já havia cuidado de primos menores, então, sabia lidar bem com crianças. Fui descendo as escadas, Chuck veio logo atrás. Nós iríamos num pub ali perto de casa, marcamos com algumas garotas. Eu não tinha namorada. Jeff e Dave também não. Os únicos comprometidos eram Chuck e , e era isso que me preocupava também. Pois, com namorando, poderia deixar minha irmã mais triste ainda. Ela está sofrendo pelo e eu não sei o que fazer. O pior é que eu nem posso falar nada para o , brigar com ele, xingá-lo. Ele nem deve fazer ideia dos sentimentos de minha irmã e, obviamente, não tem culpa disso. No momento, só quero beber e tentar esquecer. Algumas horas se passaram desde que chegamos ao pub, os caras estavam se divertindo na pista e eu fiquei na mesa bebendo. Chuck aproximou-se gritando. A música está bem alta.
0
Comente!x

  - O que houve, cara? Ficará o tempo todo aí sentado? – Disse, se jogando ao meu lado.
0
Comente!x

  - Cara, eu preciso falar isso para alguém. – Eu disse, já bêbado. – Minha irmã está apaixonada pelo ! – Não deveria ter dito tão alto, apesar da música estar extremamente alta.
0
Comente!x

  - Quê!? Pelo ? – Disse Chuck, surpreso com minha revelação. – Então, por isso que ela estava chorando. Puta que pariu cara… – Ele se mostrou preocupado com minha irmã. Ele gosta muito da , como se fosse sua irmãzinha também.
0
Comente!x

  - Não conta para ninguém que te disse isso. Principalmente para o ! Por favor. – Pedi desesperado, não era para eu ter falado nada sobre isso. É a intimidade da minha irmã e eu contei para o Chuck. Me sinto péssimo com isso.
0
Comente!x

  - Não se preocupe. Não contarei para ninguém.
0
Comente!x

  Não demorou muito para voltarmos para casa. Cheguei em casa trocando as pernas. Passei pelo quarto da , como sempre fazia, para ver se ela já estava dormindo. A porta estava meio aberta e pude vê-la sentada na cama com um álbum de fotos nas mãos. Creio que seja o álbum que ela preparou para guardar todas as nossas memórias. Eu tenho um parecido, só que com fotos dos meus amigos também. Não quis atrapalhá-la, então, fui para o meu quarto. Não tinha forças nem para tomar banho, caí na cama e dormi. No dia seguinte, acordei e tinha uma bandeja com o meu café da manhã. Suco, café, frutas e pão com manteiga de amendoim. Meu favorito. Só poderia ter sido a quem fez isso. Junto à bandeja havia um bilhete. Minha suspeita foi confirmada, realmente havia sido ela quem preparou tudo aquilo. No bilhete dizia que era para eu tomar um banho porque provavelmente eu estava fedendo. Eu ri por dentro e deixei escapar um sorrisinho de canto de boca. Dizia também que ela havia ido para o colégio, finalmente havia chegado o grande dia dela ir para primeira aula no ensino médio. Droga! Não acredito que eu perdi. Antes de terminar de ler, eu saltei da cama e enquanto comia, vesti uma camisa e uma calça. Calcei o tênis e desci as escadas em disparada.
0
Comente!x

  - Aonde vai, ? – Questionou minha mãe, que estava na cozinha quando me viu correr pela mesma até o quintal.
0
Comente!x

  - Vou ver a , prometi para ela que a levaria hoje em seu primeiro dia de aula. Me esqueci! Que droga!
0
Comente!x

  - Não se preocupe, , ela já foi. O pai da amiga dela passou aqui e veio buscá-la. – Disse minha mãe enquanto preparava o almoço. E concluiu dizendo: – Ela disse também para você não se preocupar, pois ela voltará com a amiga andando. Disse que talvez tenha aula pela tarde, mas que virá almoçar em casa.
0
Comente!x

  Droga. Não acredito que perdi de levar minha irmã em seu primeiro dia de aula por causa de uma bebedeira! Maldita vodca. Queria muito levar minha pequena no colégio novo, apoiar ela. Eu sei que ainda está triste por ontem, por eu ter descoberto do . Sei que ela iria me querer por perto. Minha mãe não deixou eu ir agora, mas eu vou mais tarde buscá-la para o almoço. Hoje eu não tenho ensaio, então posso passar o dia inteiro com ela. Ajudar na lição de casa, se tiver. Conversar. Ser o irmãozão favorito dela, como sempre fui.
0
Comente!x

  - Já vou, mãe! – Eu disse, ao sair pela porta da frente.
0
Comente!x

  Peguei as chaves do carro e fui até o colégio da minha irmã para buscá-la. Eu estava nervoso. Parecia até que eu ia buscá-la para um casamento. Estacionei o carro na rua em frente ao colégio. Um dos mais tradicionais de Montreal. Desci e caminhei até as escadas. Eu já falei que minha banda está famosa no mundo todo? Pois é, eu havia me esquecido disso por alguns instantes. Logo, muitas garotas estavam ao meu redor, gritando meu nome e outras coisas que não pude identificar.
0
Comente!x

  – Calma, meninas, calma! – Tentei acalmar as “feras”, mas estava um pouco difícil. Logo, chegou um dos seguranças do colégio e espantou as meninas. – Obrigado, cara! Valeu mesmo. – Eu disse rindo e aliviado.
0
Comente!x

  - Não há de quê. Veio falar com a diretora? – Questionou o segurança.
0
Comente!x

  - Não, vim buscar minha irmã caçula. O nome dela é Adeline , é o primeiro dia dela hoje.
0
Comente!x

  - Ahhh, a turma nova. Venha, te levo até lá. – Ele me conduziu até o interior da escola. Chegando na sala da , ele saiu e me deixou lá. Não havia muitos alunos, as aulas já haviam acabado. Será que ela já foi embora? Entrei e perguntei para um dos alunos. – A já foi embora?
0
Comente!x

  - Acho que não, a vi saindo com a amiga dela e mais duas garotas. Acho que ela se encrencou no primeiro dia. As garotas são veteranas do 2ª ano. – Respondeu o garoto.
0
Comente!x

  - Se encrencou? – Disse distraído – Ok, obrigado. – Concluí e saí disparado pelos corredores do colégio atrás da minha irmã. Será que ela está bem?
0
Comente!x

  Eu procurei por todo o colégio. E olha que é um colégio bem grande. Ninguém soube me dizer o que havia acontecido. Estou começando a ficar preocupado de verdade com a situação. Se eu não a encontrar, vou até a polícia. Mas antes, eu vou rodar a vizinhança para ver se a encontro. Voltei para o carro e antes de entrar eu ouvi um assobio. Era o mesmo que eu ensinei para ela, nosso código secreto caso algum perigo estivesse nos rodeando. Olhei para os lados e não vi ninguém. Quando eu ia entrar no carro novamente, eu ouvi o assobio. Virei para trás e vi a atrás de uma árvore. Fui correndo até ela, de longe eu não consegui ver, mas, quando me aproximei, vi que ela estava machucada.
0
Comente!x

  - O que aconteceu, maninha? Quem fez isso com você? – Perguntei angustiado.
0
Comente!x

  - Ninguém fez nada comigo, eu consegui escapar. Por favor, , me tira daqui. – Ela disse angustiada e segurando firme meu braço. Levei ela até o carro e fomos embora. – Para casa não, , me leva para outro lugar. Não quero que a mamãe me veja assim.
0
Comente!x

  - Tem certeza? – Perguntei e ela afirmou com a cabeça. – Está bem. Vamos para o estúdio, ok? Lá você me conta o que houve. – Ela concordou e fomos até o estúdio. Antes, liguei para minha mãe para avisar que não íamos almoçar em casa. Que tinha aula direto e eu tinha que ir ao estúdio com urgência. – Bom, já estamos aqui. Agora me conta o que houve, maninha. – Já havíamos chegado no estúdio. Nos sentamos no sofá de entrada e, só então, eu reparei quão assustada ela estava.
0
Comente!x

  - Umas garotas… veteranas do 2ª ano implicaram comigo. Elas… elas me perseguiram pelo colégio, disseram que eu sou muito quieta e que não gostaram disso e por isso eu merecia apanhar.
0
Comente!x

  Qual o sentido, não é mesmo? Enquanto ela me contava o que aconteceu, minha garganta dava um nó imenso. sempre foi uma garota doce, meiga, quieta, quase não falava de tão tímida. Ela só se abria comigo, nem com nossos pais ela conversava tanto quanto comigo.
0
Comente!x

  - Eu consegui escapar delas, mas tenho medo de ir para aula da tarde e elas estarem lá. , eu quero ir embora com você. Me leva com você para os EUA, por favor! – Esqueci de avisar, estou de mudança para os EUA. Nosso empresário disse, que agora que somos estourados no mundo, que devemos nos mudar para lá, pois fica mais fácil a agenda de shows, viagens e etc.
0
Comente!x

  - Papai e mamãe nunca deixariam eu te levar, . Com quem você ficaria enquanto eu estivesse fora de casa? – Questionei sério, mas, no fundo, eu queria levá-la comigo. Não aguento ver minha irmã sofrendo dessa forma.
0
Comente!x

  - Mas, ! Eu não posso ficar aqui, elas vão… elas vão me bater, , eu não gosto de brigar. Por favor, minha vida na escola será um inferno! – Segurou firme meus braços e me olhou chorando. Ah , para de me olhar assim…
0
Comente!x

  - Calma! Hoje à tarde você fica comigo e amanhã, com calma, resolvemos isso, ok?
0
Comente!x

  - Como?
0
Comente!x

  - Vou falar com nossos pais. Deixa comigo.
0
Comente!x

  Ela se acalmou mais. Pedi uma pizza para a gente, almoçamos e demos risadas juntos enquanto conversávamos. Eu pretendia me responsabilizar pela educação e criação da minha irmã, se fosse preciso. Só para tirá-la daquela escola. Porque eu sei que mesmo se tirarmos ela daquela escola, aquelas garotas podem perseguir minha irmã. Montreal é uma cidade grande, mas não infinita. Tenho medo dela se machucar. Acho que o fato de eu a proteger tanto a tornou dependente de mim.
0
Comente!x

  Chegamos em casa, ela foi para o quarto dela e eu prometi que conversaria com nossos pais. Fui direto ao ponto, contei o que aconteceu de verdade hoje e eles ficaram horrorizados com a perseguição que sofreu em seu primeiro dia de aula. Falei também da vontade dela de ir comigo para os EUA, eles não ficaram muito contentes, mas, após meus argumentos, eles concordaram em deixar eu levá-la para lá. Claro que eu só poderia levar ela se eu me tornasse o responsável legal dela. Combinamos de no dia seguinte irmos ao cartório para acertar as coisas.
0
Comente!x

  Após a conversa com meus pais, eu fui até o quarto de minha irmã para contar a novidade. Ela ficou muito feliz. Nós conversamos a noite toda, lá pela madrugada, me despedi dela e fui para meu quarto. Quando saí vi que ela foi diretamente em seu armário para arrumar as malas. Nossa! Nós só viajaremos no fim de semana. Fui para o quarto sorrindo, feliz e aliviado, pois eu não queria deixar ela aqui sozinha. Apesar de saber que ela teria nossos pais para o que precisasse, mas eu queria estar por perto e com a turnê planejada que a banda tem, pelos EUA, não poderia fazer isso. Não poderia vir aqui em Montreal para visitar ela. Seria difícil conviver com isso. Enfim. Dormi.
0
Comente!x

  No dia seguinte, eu e meus pais fomos ao cartório. foi conosco. Conseguimos a liberação para eu ser o tutor dela. Ou seja, eu serei responsável pela educação e segurança dela. Ou seja, tudo que eu já fazia antes, só que legalmente falando. HAHAHA Para mim nada mudou. Ela continua sendo minha irmãzinha e eu sempre cuidarei dela. Bom, mas a liberação dos papéis, oficialmente, só sairia na segunda-feira seguinte, como viajarei no sábado, não seria possível ela ir comigo. Tentei conversar com nosso empresário para eu viajar depois, mas como já temos compromisso para domingo, não seria possível. Assim que sair os papéis oficialmente, meus pais os pegaram e podem conseguir a liberação da viagem da para os EUA. Ela iria sozinha, mas eu irei buscá-la no aeroporto. Confesso que estou muito ansioso para nossa nova vida: com a banda e com minha irmã ao meu lado.
0
Comente!x

Capítulo 2

  POV

  Estou tão nervosa. Meu Deus! É hoje o grande dia em que reencontrarei meu irmão e começarei uma nova vida longe de Montreal. Não é que eu não goste daqui, mas é que, sem meu irmão seria bem difícil de aguentar morar nessa cidade. Meus pais me levaram até o aeroporto, chorei na despedida, não queria deixá-los, mas foi preciso. Assim que der virei visitar eles. Não sei ao certo como aconteceu, mas, antes do viajar, nós tivemos uma briga feia. Ele viajou brigado comigo e eu nem sei se ele irá me buscar no aeroporto. Odeio brigar com meu irmão, não me recordo de muitas brigas nossas, de ficar tempos sem se falar. É raro de acontecer.
0
Comente!x

  Passei a viagem toda dormindo, preciso me acostumar com o fuso novo. São três horas a menos de diferença. Uma hora dessas eu estaria dormindo (meu cochilo da tarde). Desembarquei, peguei minha mala e mochila e fui caminhando em direção à saída para o salão principal do aeroporto. Enquanto caminhava, liguei logo para meus pais para avisar que havia chegado bem.
0
Comente!x

  - Sim, mamãe, fiz uma ótima viagem. – Falei, enquanto andava. – Não, ainda não encontrei o . Ok… o-ok… eu te aviso sim… é porque ainda não liguei para ele. Literalmente, acabei de descer do avião… – Minha mãe não parava de falar, nunca. – … ok, mãe, eu vou desligar, pois estou batendo nas pessoas já… desculpa, moço! – Fingi me bater em alguém, tive que exagerar para ver se ela desligava… – … certo, também te amo. Manda beijo para o papai! By-bye! – Desliguei o celular e continuei andando. Olhei em volta e não vi ninguém conhecido. Onde será que o pateta do se meteu? De repente, meu coração gelou. Acho que literalmente. – Não acredito. – Eu disse para mim mesma enquanto via o semblante do em meio às pessoas indo e vindo. O que ele faz aqui? Por que justo ele? Nossa, parece que ele está andando em câmera lenta. Tão lindo com esses óculos escuros. Sedutor. – Por que tão lindo? Ai, para, … – Me repreendi e cheguei mais perto dele. Ao me ver, ele abriu um enorme sorriso. Aquele sorriso que eu amo. Meu sorriso, licença!
0
Comente!x

  - ! Que bom que chegou! – Disse . Eu sorri envergonhada. Não sabia se meu rosto estava vermelho, mas também não queria demonstrar que estava preocupada com isso. – Como foi a viagem? – Perguntou, gentilmente, enquanto carregava minhas malas.
0
Comente!x

  - Fo-Foi boa. Foi ótima, . – Gaguejei ao falar. Nossa, que pateta eu sou. – E o ? Cadê ele? – Como se eu não estivesse gostando que o veio me buscar… na verdade, nem quero saber do meu irmão, por enquanto.
0
Comente!x

  - Está no estúdio. Nosso empresário marcou um show de última hora hoje. Nossa, já venderam todos os ingressos. Acredita? – Sorri e concordei com a cabeça. – Vamos, vou te levar para o apartamento dele para você se instalar. Aliás, – disse ele ao entrar no carro – seu irmão me deu inúmeras recomendações para cuidar de você. Parece até que você tem dois anos de idade! Um chato. – Ele concluiu, dizendo e nós rimos do quão protetor excessivo meu irmão é capaz de ser. Mais até que meus pais.
0
Comente!x

  - Ok, vamos sim.
0
Comente!x

  Eu estava sem jeito de estar no mesmo carro que o , só eu e ele. Nunca havia acontecido antes, sempre um dos meninos estava conosco ou até meu irmão. Após despertar do meu transe momentâneo, pude ouvir o que dizia. Ele falou que deixou meu nome e o dele, como meu responsável, na porta do local do show para caso eu quisesse ir vê-los. Tinha deixado dinheiro para o táxi, para eu ir, e na volta eu vinha com ele. Não sei se eu vou, não sei como eu e ele estamos. Será que ainda estamos bem? Desde que ele viajou que não falo com ele, nem por mensagem, nem ligação. Nada.
0
Comente!x

[📷]

  O apartamento do é bem legal. me mostrou o quarto onde eu ficarei. Deixei minhas malas num canto e deitei-me na cama.
0
Comente!x

  - Bom, , eu já vou. Vou deixar a chave do apartamento com você, ok? Deixei na mesinha da sala o dinheiro e o número do taxista que virá te buscar, caso vá ao show. Quando estiver pronta, você liga para ele. Ah, o endereço do lugar está ali em cima também. Qualquer coisa: me liga ou liga para o , ok?
0
Comente!x

   disse e eu concordei. Agradeci por ele ter me levado até o apartamento do e por ter me buscado no aeroporto. Ele foi embora e eu fiquei ali deitada na cama pensando no , no quão perfeitamente fofo ele é. E o quanto eu queria que ele me notasse como mulher e não como irmãzinha do . Ah, que vida! Fui tomar um banho, não tinha certeza se após o banho eu pediria uma pizza com o dinheiro do táxi ou se iria para o show.
0
Comente!x

  No fim, eu resolvi ir ao show. Cacei uma roupa nas malas para ir. Eu queria estar bonita para rever meu irmão e para que o me notasse. Poxa, eu já tenho quase quinze anos, ! Ah, preciso me controlar. Espantei os pensamentos loucos da mente e fui me arrumar. O show era às 19h, mas eu fui mais cedo para conversar com o antes do show. Fiquei pronta, liguei para o taxista e fui para o local do show.
0
Comente!x

  Levei minha identificação e os documentos que atestam que o era meu responsável legal. Só assim poderia entrar numa boate classificação dezesseis anos, tendo somente catorze. Havia uma multidão (ok, não era bem uma multidão, mas tinha bastante gente ali) na porta do local do show. Me lembrei que o me disse que não havia mais ingressos, tratei de ir logo para frente para entrar logo.
0
Comente!x

  - Licença. Desculpa, licença. – Fui tentando me infiltrar em meio às pessoas. Estava bem difícil, mas consegui chegar ao segurança. Ele estava bem irritado. – Com licença, eu sou irmã do vocalista da banda que vai tocar hoje, , ele disse que meu nome estaria com você aqui na porta. Me chamo Adeline . – Disse, na maior educação. Ele me olhou com cara de tédio.
0
Comente!x

  - Menina, sabe quantas “ Adeline ” apareceram aqui só nessa última hora? – Me disse irritado. – Sai daqui, vai. Acabaram os ingressos. Ninguém mais vai entrar! – Gritou a última frase.
0
Comente!x

  - Mas, eu sou a , olha aqui minha identificação. – Estendi minha identificação para ele ver, mas ele não quis e foi super ríspido comigo.
0
Comente!x

  - Já mandei sair, garota! – Ele me empurrou e eu caí em meio às pessoas. Algumas deram risada de mim. Tive dificuldade para me levantar, mas consegui sair do meio deles. E agora, o que eu faço? Tentei ligar para o , mas ele não atendeu. Liguei para o e ele também não atendeu. Ninguém atendeu minha ligação. Já eram 17h e eu não sabia como irei entrar.
0
Comente!x

  Deu 21h e eu ainda estava na porta da casa de show esperando alguém me atender. Meu celular descarregou, agora sim que não conseguirei falar com ninguém. Ventava muito, assim como no Canadá, nos EUA era início de outono. O tempo estava frio. Sorte que não estava chovendo nem nevando. Estava com frio, sem celular e com medo. O segurança entrou na casa de show e então eu fiquei sozinha do lado de fora. A rua estava um pouco movimentada, pois havia outra casa noturna próxima dali. O que eu vou fazer se ninguém aparecer para me buscar? Não tenho dinheiro para voltar para o apartamento do … e agora?
0
Comente!x

Capítulo 3

  POV

  O show acabou e a pateta da minha irmã não veio nos ver. Não veio me ver. Isso me magoa. Fomos ao camarim e então pude ver que meu celular tinha inúmeras ligações dela. Será que aconteceu algo? Os caras disseram que ela havia ligado para eles também. É, aconteceu alguma coisa com ela. Comecei a ligar desesperadamente para o celular dela, sem sucesso. Só caixa postal.
0
Comente!x

  - Inferno! Só cai na caixa postal. – Eu disse irritado, andando de um lado a outro. – Ninguém atende lá em casa. Ou ela desmaiou ou ela não está em casa. – Concluí a ligação e pus as mãos na cabeça. – O que pode ter acontecido, caras?
0
Comente!x

  - , calma. Vamos achar a . – Disse . – Eu a deixei em casa, ela disse que tomaria banho e decidiria se viria ou não. – Ele disse, tentando refazer os passos da última vez que encontrou com ela. De repente, ele teve uma ideia. – ! Já sei cara, liga para o taxista que você indicou para trazê-la aqui, ele pode ter alguma informação.
0
Comente!x

  - Verdade! Porra, , às vezes você pensa! – Disse ironicamente, ele riu. Liguei para o taxista. – Tem certeza? – Eu disse ao telefone, ele havia me dito que pegou a no meu apartamento às 16h e a deixou aqui, tinha até um comprovante da corrida, que depois ele me mandou por mensagem. – Tudo bem, cara, muito obrigado! – Desliguei e fiquei ainda mais preocupado.
0
Comente!x

  - E aí, ? – Perguntou Chuck. Todos estavam preocupados, juntamente comigo.
0
Comente!x

  - Ele disse que trouxe ela para cá às 16h. Me mandou um comprovante da corrida e uma imagem da câmera do táxi dele onde dá para ver a . Mas, já são 21h20 e onde ela está? – Eu disse derrotado, preocupado e quase chorando. Primeiro dia dela na Califórnia e eu a perdi. Sou um péssimo irmão e um péssimo tutor!
0
Comente!x

  - Caras! Tenho notícias da ! – Disse nosso produtor, entrando ao camarim animado. – Um segurança disse que várias garotas hoje se passaram por ela para tentar entrar, já que não havia mais ingressos, só que uma delas, além de dizer que era a , ainda mostrou uns documentos para ele. Só que ele não quis ver, pois estava muito movimentado e agitado. – Um alívio me consumiu por dentro, mas logo veio a angústia novamente. – Ele disse que acha que ela está lá fora ainda.
0
Comente!x

  - Nesse frio? Esse filho da puta acha que é quem para deixar ela lá fora? Que insensível! Vou buscá-la agora! – Eu falei furioso e saí correndo até a saída. Todos me seguiram. – ! – Eu falei assim que saí, mas não encontrei ninguém. – Ei, – chamei a atenção do segurança que estava na porta da casa de show, ele olhou para mim – havia uma garota aqui na porta, sozinha, chorando provavelmente?
0
Comente!x

  - Sim, ela estava aqui até cinco minutos atrás. Ela pegou os papéis que estavam com ela e saiu naquela direção. Se correrem, podem alcançá-la.
0
Comente!x

  - Obrigado! – Eu nem pensei duas vezes. Saí correndo na direção para onde o segurança apontou. Meu coração estava disparado por conta da adrenalina da corrida e pela preocupação com ela. Eu não sabia se ela estava bem. Sabia que ela estava esse tempo todo esperando por mim, sozinha, nesse frio. Ainda não consegui achar ela. – Acharam ela? – Perguntei para os caras, que vinham logo atrás de mim. Eles negaram com a cabeça. Eu estava começando a me desesperar, quando ouvi um grito de socorro. – É ela! – Era a voz da minha irmã, tenho certeza, vinha de um beco ali perto. Todos fomos até lá e encontramos ela cercada por dois caras bem mal-encarados. – Hey, deixem-na em paz!
0
Comente!x

  - ! – Ela disse chorando, aliviada ao me ver. – Cuidado, , eles estão armados. – Me falou preocupada. Dali para frente, eu só parti para cima dos dois, com muita raiva, os caras me ajudaram. foi até para protegê-la. Ficou abraçado a ela. – , estou com medo. – Ela disse abraçada às costas dele. Enquanto isso, brigávamos com os dois meliantes. – PETE! – Fui atingido de raspão no braço pela faca que um deles carregava. Logo, a polícia estava ali e os caras fugiram, mas foram presos. Eles tinham pegado o celular da minha irmã, mas a polícia o devolveu. – ! ! Está tudo bem? – Ela disse, soltando-se das costas do e vindo em minha direção.
0
Comente!x

  - Au! – Gemi, pois ela tinha me abraçado forte demais, bem no braço machucado. Ela se afastou e pediu desculpas. – Tudo bem, anjinho, você está bem? Eles te machucaram? – Perguntei, acariciando sua cabeça.
0
Comente!x

  - Não, eles tentaram tocar em mim, mas eu não deixei. Na hora que vocês apareceram, eles iam tentar novamente, me ameaçando com a faca. Ah, que bom ver vocês! – Disse aliviada, repousando a cabeça em meu ombro.
0
Comente!x

  - Vamos voltar para boate. Lá você vai comer algo, deve estar com fome. – Ela concordou. Todos voltamos para boate, terminamos de curtir a noite e voltamos para casa. Ela dormiu no caminho de volta, deitada em meu colo. Tive que acordá-la quando chegamos. Subimos até meu apartamento e entramos. – Eu sei que você já deve conhecer, mas bem-vinda ao lar irmãzinha! Agora sim, oficialmente! – Ela sorriu e agradeceu pela hospitalidade. – Sou seu irmão e tutor. É minha obrigação. E mesmo se eu não fosse, eu te amo, . Jamais a deixaria sem um lar.
0
Comente!x

  - Amo muito você, meu irmão! – Ela pulou em meus braços. Na boate, eu fiz um curativo no braço, realmente não foi nada demais a ferida. Liguei para nossos pais para avisar que já estávamos em casa. Combinamos em não contar para eles o que havia ocorrido, pois os conheço bem e sabia que exigiriam a volta da para Montreal mesmo eu sendo o tutor dela.
0
Comente!x

  Após o ocorrido passou-se algum tempo. entrou numa escola tradicionalmente americana de ensino médio, fez amigos, sem os problemas que teve em Montreal. Ainda bem, pois isso me preocupava muito. Eu viajava muito com a banda, por isso, ela passava a maior parte do tempo sozinha. Ela tirou a carteira de motorista, dei um carro para ela de presente e com isso ficou mais fácil para ela ir para escola, pois a mesma ficava um pouco longe de nosso apartamento. Tudo estava indo muito bem para nós dois. A banda estava fazendo sucesso cada vez mais, muitas viagens, shows, CDs gravados. Ufa! Uma correria total. Às vezes, eu sinto falta de apenas chegar em casa, ir no quarto da minha irmã, pedir uma pizza e assistir a um filme ao lado dela. Saudades.
0
Comente!x

Capítulo 4

  POV

  Acordei cedo hoje, arrumei o apartamento, tomei um banho, me arrumei e fui ao parque praticar. Depois que meu irmão engajou na carreira como músico, eu tive que arrumar algo para me distrair do fato de não ter ele por perto por muito tempo, como era antigamente. Então, resolvi fazer aulas de fotografia junto com o colégio. Estou pensando em, quando concluir o colégio, fazer uma faculdade relacionada. Ainda não sei qual, mas a fotografia virou uma grande paixão minha. Além de desenhar e escrever, claro.
0
Comente!x

  Cheguei ao parque, agora são 13h49, está frio, mas faz um sol lindo aqui na Califórnia. Já se passaram dois anos e eu estou no último ano do ensino médio. É, o tempo voa. Mas, para mim, foram dois longos anos. Meu aniversário de quinze anos passou e meu irmão não pôde estar aqui comigo, somente meus pais. O que foi um alívio já que o não veio. Eu não contei para ele, não contei para meus pais, na verdade, ninguém sabe o quanto eu sofro por morar praticamente sozinha em uma cidade que ainda é estranha para mim, apesar desses quase três anos que estou aqui em LA. Qualquer lugar é estranho sem o meu irmão. Qualquer lugar longe do é estranho também. Pois é, eu ainda o amo muito.
0
Comente!x

  A veia artística do passou para mim da melhor forma. De uma forma que eu não sei se ele ficaria orgulhoso de mim, nunca conversamos sobre isso. Até por quê, ele não tem mais tanto tempo assim e esse meu talento surgiu recentemente. Passar horas e horas sozinha dá nisso, surgem coisas de você extremamente surpreendentes para os outros e para você mesmo, às vezes. Eu comecei a escrever letras de músicas aleatórias. Poucas eu coloquei melodia no violão. havia me ensinado o básico, quando eu era mais nova, acho que com oito ou nove anos. Hoje em dia, eu toco bem mais e acabei aperfeiçoando.
0
Comente!x

Alguém consegue me ouvir?
Ou estou falando comigo mesmo?
Minha mente está se tornando vazia
Na busca por alguém
Que nem olha direito para mim
Está tudo estático na minha cabeça
Alguém pode me dizer
Por que estou sozinho como um satélite?

Porque esta noite eu me sinto como um astronauta
Mandando SOS por esta pequena caixa
Eu perdi o sinal quando me levantei
Agora estou preso aqui e o mundo me esqueceu
Posso descer por favor?
Porque eu estou cansado de girar e girar
Posso descer por favor?

Ensurdecido pelo silêncio
Foi alguma coisa que eu fiz?
Eu sei que existem milhões
Eu não posso ser o único desconectado
É tão diferente na minha cabeça
Alguém pode me dizer
Por que estou sozinho como um satélite?

Porque esta noite eu me sinto como um astronauta
Mandando SOS por esta pequena caixa
Eu perdi o sinal quando me levantei
Agora estou preso aqui e o mundo me esqueceu
Posso descer por favor?
Porque eu estou cansado de girar e girar
Posso descer por favor?

Agora eu perco o sono e grito na gravidade zero
E está começando a ficar pesado para mim
Vamos abortar esta missão agora
Posso descer por favor?

  Essa foi uma das poucas músicas que tem uma melodia. É realmente uma música completa. Voz e violão. Compus em um dos dias mais tenebrosos da minha vida. Um dia em que eu não me aguentei de saudades do e do , dos meus amigos… e transformei em canção. Tenho andado muito triste ultimamente e nem sei dizer ao certo o motivo. Saudades, apenas? Ou seria algo mais profundo? Eu realmente não sei explicar. Também, eu já estou acostumada a ficar sozinha, apesar de odiar. Porém, vem a contradição de que, apesar de eu estar acostumada a ficar sozinha, eu suplico por ajuda e quero voltar a ser rodeada de pessoas que me amam, e que eu também ame. Eu quero poder acordar e ter meu irmão por perto ou, pelo menos, mais acessível do que eu o tenho hoje. Eu quero poder ir até o estúdio onde eles estão ensaiando e poder olhar o tocar. Ver o rosto dele se expressar em diversas caretas enquanto toca. Ouvir ele perguntar “Então, , tá legal essa parte?”, e eu sempre responder que está bom, porque realmente está. Minha vida está resumidamente restrita à saudade.
0
Comente!x

  Eu não costumo sair com amigos, gosto mais de ficar em casa e chamá-los aqui para uma reunião. Cada um traz alguma coisa e fazemos nossa festinha em casa mesmo. Prefiro. Porém, a Lia, uma das minhas melhores amigas e pessoas que pude conhecer aqui na Califórnia, me chamou para uma festa na casa de um amigo. De início, obviamente, eu não quis ir. Mas, sabe ser bem insistente quando quer.
0
Comente!x

  - ! Não seja chata, vamos, vai ser divertido.
0
Comente!x

  - Lia, eu não quero ir para ficar com cara de cu a festa toda. – Eu disse desanimada.
0
Comente!x

  - Então não fique. – Ela estava em pé, na minha frente, com as mãos pousadas na cintura e batendo o pé.
0
Comente!x

  - Lia… – hoje eu não estava a fim de sair, mesmo. Nenhum dia eu estou, mas, especificamente hoje, não era o meu dia de sair. Mas, ela insistiu.
0
Comente!x

  - Lia is my dick! – Gritou e eu arregalei os olhos. – Você vai e acabou. Não me interessa, , você precisa esquecer desse tal de . – Ela sabia que eu não queria sair para ficar em casa pensando no . Sou uma idiota, I know this, ok?
0
Comente!x

  - Não estou pensando no
0
Comente!x

  - Está sim, não adianta mentir para mim, baby! Sou expert quando se trata de Adeline .
0
Comente!x

  - Sou tão previsível assim? – Eu disse, rindo sem graça.
0
Comente!x

  - Yep! – Ela disse de supetão, enquanto eu revirava os olhos – Amiga, é sério. O pode ser um cara legal, bacana, famoso, um dos seus grandes amigos da infância, mas poxa, ele é um babaca quando se trata de amor. Você me disse que já falou para ele, antes de vir para Califórnia, que o amava e o cara nem deu bola. Ele ainda te vê como irmãzinha do melhor amigo dele. Isso não vai mudar. – No fundo, tudo aquilo que a Lia disse eu já sabia, só não queria aceitar. Mas desta vez, só desta vez, eu quis me permitir fazer diferente. Foi então que aceitei o convite/ultimato da Lia.
0
Comente!x

  - Ok, você me convenceu, Lia. Eu vou na festa hoje. – Ela deu um grito de felicidade e eu caí na gargalhada.
0
Comente!x

  Lia me ajudou a me arrumar. Ela já está de mala e cuia aqui em casa faz alguns dias. Nos arrumamos e fomos até a tal festa. Chegando lá, me deparei com uma enorme casa no lago. Era um lugar realmente lindo, perto da divisa de LA com a cidade vizinha. Haviam muitas pessoas lá, muita bebida e alguns caras bem interessantes. Porém, eu não quis ninguém. Aliás, nenhum relacionamento meu deu certo até hoje, pelo simples, e óbvio fato, de eu não querer mais ninguém além do . Eu sei que isso faz mal para mim, de certo ponto, mas, o que eu posso fazer se meu coração não se esquece do ?
0
Comente!x

  Algumas horas se passaram e já era noite. A essa altura da festa eu já havia me perdido da Lia, provavelmente ela estava com algum cara no meio dos matos que há atrás da casa. Lia é dessas: não se importa muito com o amanhã. Ela simplesmente vive, sem preocupações com sentimentos. Às vezes, eu queria ser assim: não me importar muito com sentimentos e simplesmente viver os momentos da vida, mas não sou assim. Uma pena, eu acho. Eu estava vagando, sozinha, pelos corredores da casa. Tinha gente deitada no chão, bêbada. Tinha gente se beijando no sofá. Enfim, eu estava bêbada já, mas ainda em plena consciência de meus atos. De repente, senti algo me segurando pelo braço. Virei-me para trás e tinha um cara me segurando, ele estava acompanhado de mais dois caras. Um deles me intimou a ir com eles para algum lugar. Eu não sabia onde era, então, disse que não queria ir. Mas, eles insistiram.
0
Comente!x

  - Vem, gatinha, vai ser divertido! – Um deles falou, enquanto me arrastavam contra minha vontade para algum lugar. Eu até tentei chamar por ajuda, mas ninguém se importou.
0
Comente!x

  - Me soltem, eu não quero ir! – Eu dizia e tentava me livrar deles. Em vão.
0
Comente!x

  - Para, garota! Deixa de ser chata, eu sei que você quer. Vem cá… – de repente, eu estava num quarto e eles me empurraram uma bebida goela abaixo. Do nada, tudo estava girando. Foi então que desmaiei. Quando achei que estava tudo perdido, ele chegou para me salvar. Meu herói!
0
Comente!x

Capítulo 5

  POV

  Dizem por aí que quando você ama uma pessoa, você sente quando ela precisa de você. Não sei se é verdade isso, mas ultimamente eu estou sentindo algo estranho. Nos últimos dias, ando muito angustiado, ansioso, e com uma imensa vontade de me confessar para a garota que amo. Apesar de eu já ter 27 anos, eu amo uma garota de 21. O pior (ou não): ela é irmã do meu melhor amigo. é o grande amor da minha vida, desde que ela se confessou para mim. Na verdade, eu já a amava, só não queria admitir. Talvez por medo da reação do , irmão dela; medo da reação das pessoas, por ela ser mais nova que eu; não sei. Esse medo todo, esse receio todo me fez perder muitos anos sem poder abraçar a como eu gostaria, além de amor de amigo, um quase irmão. Eu sei que ela me ama como homem, ela já me disse isso, mas, mesmo assim, eu tenho medo. Preciso parar com isso…
0
Comente!x

  A banda está indo tão bem. Graças a Deus, estamos fazendo bastante sucesso pelo mundo todo, muitos shows e turnês longas, hits lançados, clipes… muita fama! Junto com ela, vieram mulheres. Umas interessadas apenas na minha fama e outras que demonstravam gostar de mim. Mas, nenhuma delas foi capaz de me fazer esquecer da . Creio que o já saiba dos meus sentimentos pela irmã dele. Nunca falei abertamente com ele sobre isso. Nem com ele, nem com nenhum dos meus amigos que conhecem nossa “história”. Entre aspas, pois nunca chegamos a nos beijar, apesar de eu querer muito. E eu sei que ela também quer. A correria das turnês está tão louca que quase não temos tempo para ir à Califórnia para ver a . Passávamos longas tardes na casa do , ou na casa de qualquer um de nós, conversando, bebendo (a também, ela começou cedo a beber), tocando uns covers ou músicas próprias. Era muito divertido e prazeroso para todos. Sinto muita falta disso. Principalmente de poder vê-la todos os dias.
0
Comente!x

  Tivemos uma pausa de dois dias, uma folga micro, que poderíamos fazer o que quiséssemos. não pôde ir para Califórnia, pois ele estava doente e preferiu ficar em New York descansando. Eu resolvi ser homem, pelo menos uma vez, como diz o Dave. Foi então que peguei o primeiro avião para a Califórnia. Destino? Casa do , onde estava. Eu não contei para ninguém que iria lá. Disse apenas que iria para Califórnia, mas não disse exatamente para onde. Cheguei ao apartamento da e ela não estava. Liguei para o celular dela e nada dela atender. Parece que meu coração apaixonado me enganou, acho que ela não precisava de mim. Mas, por que essa angústia no meu peito? Abri o Instagram e vi a última publicação que a postou. “Noite agitada com a minha Lia!” Ela postou isso junto com uma foto dela com sua amiga Lia e uma localização. Será que eu devo ir lá para vê-la? Resolvi arriscar e fui ao tal endereço onde ela estava. Havia uma casa enorme próximo a um lago. Era tarde da noite já, eu tinha alugado um carro para ir lá. Chegando ao local, eu procurei por ela. Entrei na casa e tinha muita gente bêbada já. Nem ligaram para minha presença. Passei por todo andar de baixo da casa e nada dela. Será que ela já foi? Resolvi subir para o andar de cima da casa, na esperança de encontrar ela lá. Tem quatro quartos e um banheiro aqui. Fui diretamente no banheiro e havia só uma garota vomitando. Não era ela. Passei por três quartos e não tinha ninguém. No último quarto, a porta estava trancada. Bati e ninguém respondeu, mas eu pude ouvir vozes vindas do interior do quarto. Insisti. Até que um cara abriu a porta. Ele estava claramente alterado.
0
Comente!x

  — O que quer? — Ele disse rapidamente, só dava para ver uma fresta do interior do quarto.
0
Comente!x

  — Estou procurando uma amiga. O nome dela é . Essa aqui. — Estendi o celular pela greta e mostrei uma foto minha e da , só nós dois. Uma das poucas que temos juntos e na qual eu guardo com carinho. — Você a viu por aqui?
0
Comente!x

  — Não vi. — Ele disse seco e já ia fechando a porta quando eu ouvi um gemido e uma fala “Não! Não!”. Tive certeza de que era a voz da .
0
Comente!x

  — Espera!
0
Comente!x

  Empurrei a porta de volta, com força, e a mesma se abriu revelando o interior do quarto por completo. Quase não acreditei na cena que vi. Eu não queria acreditar. A minha querida estava deitada na cama, quase desacordada, e com dois caras em cima dela.
0
Comente!x

  — !
0
Comente!x

  Espantei o cara que estava na porta e entrei no quarto. Foi então que começou uma briga. Os caras foram para cima de mim, tentei me defender como pude, mas três contra um foi covardia. Após me baterem (o máximo que consegui foi desferir dois socos), os três foram embora. Ela ainda estava deitada, agora desfalecida na cama.
0
Comente!x

  — … — eu disse meio arrastado e me arrastando até a cama. Eu sentia muita dor, minha boca estava sangrando muito e meu olho esquerdo dolorido. Provavelmente estava inchado. — Vou te tirar daqui, sweetheart. — Eu falei sem nem pensar direito no que dizia. A carreguei no colo, com muita dificuldade, e a levei até o carro. Dei uma olhada no estacionamento e o carro dela não estava lá. Então, ela veio de carona. Fui dirigindo de volta para o apartamento dela, pensando no terror que ela viveu até chegar àquela cena que presenciei.
0
Comente!x

  — Ai… minha cabeça… — ela disse, deitada no banco de trás do carro. Olhei para trás e ela sentou-se com dificuldades. — ? O… o que faz aqui? Onde a gente está? — Ela perguntou com a voz rouca. — Ai meu Deus, os caras? Onde eles estão???? — Disse de supetão, assustada.
0
Comente!x

  — Calma, , a gente está indo para casa já, ok? Está tudo bem agora. — Acalmei ela, que pareceu se aliviar mais. Ela me olhou pelo espelho e viu meus machucados.
0
Comente!x

  — Seu rosto, … está machucado? — Disse preocupada. — Quem fez isso com você?
0
Comente!x

  — Aqueles caras que… que estavam lá no quarto com você. — Falei, ainda olhando para a estrada. Olhei para o espelho rapidamente e pude vê-la começar a chorar.
0
Comente!x

  — Ah, . Desculpa! — Ela estava chorando com as mãos no rosto. — Isso tudo foi culpa minha. Eu não me lembro de muita coisa. Só sei que eles me levaram para lá, me deram uma bebida e depois eu só lembro vagamente de você me carregando para fora da casa. — Contou em prantos.
0
Comente!x

  — Não é culpa sua, não chore, my sweet… — eu falei, sem pensar novamente, e me corrigi: — Não chore, , já estamos chegando em casa. Vou cuidar de você. — Concluí e quando olhei para o espelho ela me olhava, ainda chorando, confusa com o que acabara de ouvir. Desviei o olhar e continuei dirigindo. Não falamos mais nada.
0
Comente!x

  Chegamos finalmente ao apartamento dela. Ajudei-a a subir, coloquei ela na cama e a fitei. Ainda me perguntava porque meu coração estava um misto de medo e alegria. Talvez, porque agora ela esteja em segurança e, ao mesmo tempo, eu tenho medo dela interpretar errado aquele “my sweet” que eu larguei no carro. Se bem, que neste caso, só há uma forma de interpretação. Ela foi tomar banho, ela estava um pouco envergonhada por eu a ter encontrado naquela situação, talvez. Fui até a cozinha procurar um kit de primeiros socorros. A ferida na minha boca estava me incomodando bastante. Achei e fui até a sala, sentei-me no sofá, abri o kit e peguei uma gaze. Comecei passando no canto da boca, com calma, pois estava muito dolorido.
0
Comente!x

   chegou até a sala e sentou-se ao meu lado.
0
Comente!x

  — Deixa que eu faço isso, você está piorando tudo. Estabanado! — Ela disse brincando, sorrindo de leve e tomou a gaze da minha mão. Foi aos poucos passando o remédio na minha boca. Eu a olhava atentamente. — O que foi, ? — Ela perguntou envergonhada.
0
Comente!x

  — Saudades, apenas. — Falei aquilo que meu coração me mandava dizer. — Por que você estava naquele lugar, ? Não combina com você… — perguntei com um nó na garganta, pois lembrei da cena que presenciei naquela hora.
0
Comente!x

  — Essa é a nova , não sabia? — Disse dando de ombros.
0
Comente!x

  — Você não é assim, definitivamente não é. — Segurei suas mãos e a olhei no fundo dos olhos.
0
Comente!x

  — A vida fez isso comigo. Acostume-se. — ela falou decidida. Eu não podia aceitar que minha , aquela menina doce que sempre conheci, havia virado uma pessoa que frequenta aquele tipo de festa.
0
Comente!x

  — Eu não posso me acostumar com isso. Nunca. — Falei, enquanto ela passava novamente o algodão na minha boca. — Au! Doeu! — Ela o apertou com força, gemi de dor e ela abaixou a mão. Parecia estar com raiva, parecia estar confusa. Não sei direito. Eu não estou conseguindo decifrar o que ela sente agora. — Eu te amo, sabia? — Deus, por que permitiu que eu dissesse isso? Ah, que burro. Por que falei aquilo? E agora? Ela ainda está olhando para baixo, com a testa franzida e a boca trêmula. — ? — Ela me fitou, seus olhos estavam marejados.
0
Comente!x

  — Você o quê? — Finalmente ela falou alguma coisa. Eu repeti o que havia dito antes, só que desta vez segurando as mãos trêmulas dela. — Vo-Você tem certeza, ? Olha a minha idade… eu tenho 21 anos… sou irmã do seu amigo… eu não tenho nada para te oferecer. — Ela foi falando em lamentos. Segurei o seu rosto e o levantei para que me olhasse nos olhos.
0
Comente!x

  — Você tem aquilo que eu mais quero… — eu falei sorrindo e completei — …amor! É só isso que eu quero: o SEU amor. — Enfatizei que quero somente o amor dela e isso ela tem de sobra para me dar.
0
Comente!x

  A respiração dela, ofegante, se confundia com a minha, também ofegante. Fui aproximando meu rosto do dela. Percebi que ela estava gelada, talvez por medo ou talvez porque estava bem frio. Pensei em beijá-la, mas lhe dei apenas um abraço. Eu realmente não quero beijar a ela sendo mais nova. Eu consigo esperar. Já esperei todo esse tempo. Por que não esperar sua maior idade?
0
Comente!x

  Acolhi ela em meus braços e pude sentir que ela relaxou nesse abraço. Toda a tensão que ela sentia se foi e sua respiração ficou controlada novamente. Me afastei aos poucos e lhe dei um longo beijo no rosto. Ela me perguntou novamente se eu a amava, eu disse que sim. Naquela altura, eu não tinha mais dúvidas de que queria ficar com ela para sempre. Foi então, que ela me disse o “Eu te amo, que eu queria ouvir desde que saí de NY. Olhei para ela com meu olhar apaixonado e bobo e eu fiquei acariciando o rosto dela.
0
Comente!x

  Resolvemos ver um filme na TV, mas acabamos dormindo e, quando menos esperei, havia amanhecido. Acordei primeiro que ela, me levantei, escovei os dentes e fui para cozinha. Havia pouca comida na geladeira. Deixei um bilhete para ela dizendo que ia ao mercado comprar algo para gente tomar café e almoçar. De noite, pretendo levá-la a algum restaurante para jantarmos. Sonhei a noite toda com ela. Os melhores sonhos que tive, até hoje.
0
Comente!x

  Quando eu voltei para casa, chamei por ela, mas não obtive resposta. Deixei as compras na cozinha e fui até o quarto para ver se ela estava lá dormindo. Ao me aproximar, pude ouvir som de um violão e alguém cantando. Era ela. Essa música eu não conheço. Cheguei mais perto para escutar melhor, acho que ela quem compôs. Será? ficaria orgulhoso ao saber que sua irmã está compondo. Peguei meu celular e comecei a gravar o som dela cantando. A sua voz é meio grave cantando, lindamente grave. A letra era profunda, falava de uma tristeza intensa. Será que ela se referia a si mesma? Imagino o que ela tenha vivido esses meses que passou sozinha em LA. Eu, com toda minha inteligência, deixei o celular escapar das minhas mãos e o mesmo caiu no chão. O áudio dela cantando tinha sido enviado para o grupo da banda, que temos para trocar mensagens. Ela se assustou e quase caiu da cama, se equilibrou novamente e me olhou envergonhada.
0
Comente!x

  — ! — Ela falou, ajeitando o violão no colo. — Não te vi chegar. — Eu entrei no quarto.
0
Comente!x

  — É, acabei de chegar e parei aqui para te ouvir cantando. — Falei com um sorriso no rosto. — Não sabia que cantava.
0
Comente!x

  — Ah, eu… — ela estava bem envergonhada. Sentei-me ao seu lado na cama. — Eu que… eu que fiz essa música. Escrevi a letra e a melodia. Ficou boa? — Questionou, com um sorrisinho de canto de boca e me olhando com o olhar mais lindo dos universos.
0
Comente!x

  — Ficou ótima! já ouviu? — Bom, se ele não tinha ouvido, agora já ouviu porque mandei para todo mundo. Haha
0
Comente!x

  — Não. — Agora já era. — Acha que eu deveria mostrar para ele?
0
Comente!x

  — Com certeza, . Essa música é muito boa. Quem sabe não fazemos uma regravação dela? Hein? Seria muito legal! — É uma ótima ideia, afinal.
0
Comente!x

  — Depois mando para ele. Me ajuda a gravar? — Concordei com a cabeça e lhe dei um abraço.
0
Comente!x

  — Vem, vamos para a cozinha fazer nosso café da manhã.
0
Comente!x

  Conduzi ela até a cozinha e conversamos mais sobre a música dela. Realmente, ela havia escrito esta música quando estava sozinha aqui no apartamento. Me dói saber que ela sentiu esse tipo de solidão, esse tempo todo, e eu sem poder ajudar. Longe dela. Porém, isso acabaria em breve. Fizemos um vídeo dela cantando a música que compôs e mandamos para os caras. Eles adoraram, mal pôde acreditar que aquela era sua irmãzinha cantando, compondo e tocando. Decidimos regravar a música. E foi o maior sucesso. “Astronaut”, esse é o título escolhido pela . Obviamente, os créditos da música são todos para ela.
0
Comente!x

  Infelizmente, hoje estamos separados por alguns quilômetros de distância, mas estamos namorando (apesar de só nós dois sabermos). Ela na Califórnia e eu, e a banda, na Europa. Viemos fazer uma pequena turnê por aqui.
0
Comente!x

  — Será que ela toparia vir? — Disse Dave, sentado na cadeira em frente à minha, dentro do avião.
0
Comente!x

  Nós falávamos da possibilidade da fazer parte da nossa produção. Ela estava em seu último mês do último ano do colégio. Logo, ela iria para uma faculdade, mas antes iríamos propor isso para ela. Será que ela toparia vir ficar conosco? Ficar ao meu lado?
0
Comente!x

  — Talvez hein… pergunta para ela, — Diz Dave, olhando para que estava mais na frente.
0
Comente!x

  — Não sei, Dave. — O nome dele é outro, mas chamamos ele assim, haha é mais fácil. — Acho que ela adoraria fotografar para gente. Ainda não falei nada com ela a respeito. Mas não sei se ela gostaria de deixar a Califórnia para viajar conosco. — Ele respondeu com um ar de tristeza. Desde o dia em que a vimos, no início do ano, logo após gravarmos a música, que ele não a vê pessoalmente. Quase três anos se passaram. Se eu sentia muita falta dela, imagina o
0
Comente!x

  — Por que não fala logo, ? — Eu gritei do fundo do avião. Ele virou o corpo para me fitar. — Não custa nada sondar, né? — Ele concordou com a cabeça e ligou para irmã.
0
Comente!x

  Quero deixar algo claro: eu e a estamos juntos, porém o não sabe. Ela tem medo de contar e, eu a entendo, pois compartilho do mesmo medo. E não, nós nunca dormimos juntos, ta?
0
Comente!x

  Enfim, ligou para irmã e colocou no viva-voz para que todos ouvissem.
0
Comente!x

Capítulo 6

  POV

  Liguei para minha irmã para saber se ela gostaria de viajar conosco pelo mundo sendo nossa fotógrafa oficial. Não sei se ela gostaria, faz tempo que não conversamos. Por causa das provas finais dela no colégio e das nossas turnês intensas pelo mundo.
0
Comente!x

  Nota do : se o pensa que está me enganando ao dizer que não tem nada com minha irmã, ele está pensando errado. É tão óbvio que todos na banda e na produção já sabem. super iludido. 🙂
0
Comente!x

  Fim da nota.

  — Mana! — Ela atendeu, parecia cansada, mas feliz ao me ouvir. — Está no viva-voz, fala com os caras. — Todos deram oi para ela, que retribuiu animada. Meu coração estava disparado ao ouvir a voz dela. Quanta saudades eu sinto. — Como está, maninha?
0
Comente!x

  — Estou bem cansada, para falar a verdade. — Ela riu. Sabia que estava cansada. — E vocês como estão? — Todos responderam individualmente. parecia estar bem nervoso.
0
Comente!x

  — Sentimos sua falta, ! — Disse Jeff.
0
Comente!x

  — Sim, sentimos muito sua falta. — falou e eu tinha certeza de que ela também sentia muita falta dele. Conhecendo bem minha irmã, como conheço.
0
Comente!x

  — Também sinto muitas saudades de todos vocês. Muita mesmo. — Ela falou com a voz meio chorosa.
0
Comente!x

  — Então, mana, gostaria de te fazer uma proposta. — Ela concordou e então eu falei o que tinha para falar. Aguardei ansioso pela resposta dela. — E aí? O que acha? — Foram os 10 segundos mais longos da história de minha vida.
0
Comente!x

  — Claro! Aceito sim! Vai ser ótimo para mim. Para todos nós, na verdade. — Finalmente veio a resposta e todos comemoramos.
0
Comente!x

  — Então, eu espero por você mês que vem, sem falta! — Eu disse e ela concordou.
0
Comente!x

  Um mês se passou e eu estava muito, mais ansioso para rever a minha irmã. Combinamos de buscá-la no aeroporto de Madrid, Espanha. Ainda estávamos na Europa fazendo shows. Conseguimos mais duas cidades antes de ir para a Austrália fazer mais dois shows e aí voltaríamos para os EUA para uma sequência de shows intensa pelo país. Claro que tudo isso intercalado com participações em programas de TV e rádio, fora os ensaios para o novo CD. Planejamos fazer com que a minha irmã registre tudo isso em vídeo e fotos, queremos lançar vídeos semanalmente no nosso canal do YouTube, para dar uma agitada lá. Enfim, antes dela desembarcar, chamei o em um canto.
0
Comente!x

  — Fala, , que foi? — Ele falou apreensivo, na espera da chegada da minha irmã.
0
Comente!x

  — Vem cá, , até quando você vai esconder que está namorando minha irmã? — Juro que senti o coração do parar de bater e quase saltar por sua boca. Não contive a risada. — Calma, cara, não estou bravo.
0
Comente!x

  — N-Não? — Perguntou meio gaguejante. Neguei com a cabeça e sorri. — É… estamos namorando sim.
0
Comente!x

  — E por que não me contaram? Todos já sabem e eu fico sabendo por último?! — Falei meio ofendido, que de fato estava.
0
Comente!x

  — Desculpa, cara, mas ela estava com medo de sua reação e confesso que eu também estava. Ela vai fazer 21 anos ainda e eu tenho pouco mais de 30. Achei que fosse proibir. Não sei.
0
Comente!x

  — Sou o tutor da ainda, mas não sou dono dela. Ela sabe muito bem o que quer da vida, já é independente há algum tempo e eu só estou aqui para protegê-la de qualquer mal. Você não é mal para ela. Eu sempre soube dos sentimentos dela por você e sei que você sente o mesmo. Por que eu seria contra? Além do mais, ela é quase maior de idade.
0
Comente!x

  — Não sei, ahh perdemos tanto tempo… desculpa, cara, deveríamos ter lhe contado antes.
0
Comente!x

   sempre foi um cara, digamos, “certinho”, uma pessoa que sempre se importou com os sentimentos e opinião dos outros. Às vezes, ele deixava de ser feliz por causa disso, e eu sempre o repreendi por isso. Não dá para ser “certinho” em todos os momentos. Às vezes, é bom largar o “foda-se” para opinião alheia e simplesmente ser feliz, não importando o que digam. E, além do mais, e formam um casal muito bonito. Jamais seria contra isso, somente se o a fizer infeliz… Aí sim, eu me meteria na relação deles. Chuck me chamou, pois estava vindo pelo portão de desembarque.
0
Comente!x

  — Ela chegou! — Disse e foi correndo ao encontro dela. Eu o segui.
0
Comente!x

  — Cheguei, meninos! — Ela falou animada e foi logo abraçada pelo Chuck. Eles sempre foram bem próximos, conversavam sempre. Depois de mim, Chuck era o confidente da . — Que saudades, Chuck! — se aproximou dos dois e abraçou a . Afastou-se um pouco e ia lhe dar um selinho, mas ela o afastou. — ! — O olhou arregalando os olhos. Todos rimos.
0
Comente!x

  — Todo mundo já sabe, . — ele se referiu a todos saberem, inclusive eu, que os dois estão de flerte há anos. Aliás, esses dois me enganaram por quase TRÊS ANOS. Cara, isso não se faz!
0
Comente!x

  — Já? — Ela olhou para mim com os olhos de peixe. Eu tive que rir.
0
Comente!x

  — Relaxe, maninha, estamos torcendo por vocês. — Falei e isso pareceu confortá-la.
0
Comente!x

  — Obrigada, ! — Ela disse e sorriu para mim. Depois, virou-se para o e o beijou. Todos aplaudimos este milagre dos céus. Obrigado, Deus! Finalmente esse casal se assumiu! Temos que comemorar.
0
Comente!x

  — Vamos almoçar!? Estou morrendo de fome. — Chuck disse e todos concordamos.
0
Comente!x

  Fomos em um restaurante que tinha perto do hotel onde nos hospedamos. Antes, passamos lá para registrar a minha irmã. O quarto dela fica ao lado do meu. Almoçamos e depois fomos ao local do show para fazer o último ensaio antes do show. Pedi para levar o equipamento de fotografia dela, para poder tirar algumas fotos, fazer alguns vídeos. Ela já está por dentro do que pensamos em fazer com o canal do YouTube da banda. Passado o ensaio, fomos todos para o camarim. mostrou as fotos como ficaram, no cru, sem edição, e posso dizer algo para vocês: ficaram tão boas quanto a música que ela compôs. Juro! Minha irmã é demais, puxou a mim no talento. Hahahaha Modéstia à parte, sinto muito orgulho da minha irmã.
0
Comente!x

  — … Vem cá. — Vi minha irmã fazer sinal para o que estava do outro lado do camarim. Fingi que não vi e continuei comendo meu sanduíche. se aproximou dela. — Sério que o está tranquilo com nosso namoro? — Perguntou apreensiva. Ela me olhava de canto de olho. E eu ria do outro lado.
0
Comente!x

  — Sim. Não se preocupe com ele, . Ele me disse que quer apenas que você seja feliz. E eu também. Juntos então… melhor ainda. — Ele deu uma risadinha e abraçou ela. E completou dizendo: — Eu te amo, minha pequena . — essa frase a fez sorrir. E confesso que também me fez sorrir, pois a felicidade da minha irmã também é a minha. Os dois se beijaram.
0
Comente!x

  Ao contrário do que muitos podem pensar, isso não é estranho para mim. Não quando é o , sabe? Se fosse qualquer outro cara, acho que não seria muito do meu agrado vê-lo beijando minha irmã, como já aconteceu. Anoiteceu e finalmente o show começou e estava lá para registrar tudo. Foi um baita show! Acabado tudo, voltamos para o hotel.
0
Comente!x

[📷]

  Já amanheceu novamente e agora estamos no avião a caminho da Austrália: nossa última parada antes de voltarmos para os EUA. viajou ao lado do e eles realmente formam um casal muito fofo. Sinto vontade de ter uma companhia assim ao meu lado, porém, nenhum dos meus relacionamentos deram certo até então. Finalmente chegamos na Austrália e vou contar algo para vocês: que lugar quente! Literalmente falando. Hahahaha sofremos um pouco com o calor, afinal viemos de um país essencialmente frio. Detestamos calor em excesso. Ainda mais quando não se tem muitas praias, como é o caso do Canadá. A Califórnia até que tem, dá para refrescar um pouco, mas… Enfim. Acho que já devem ter percebido que eu não gosto muito de calor, de fato.
0
Comente!x

  — Está indo para onde com esse nano short? — Perguntei intrigado ao abrir a porta do meu quarto e avistar minha irmã vestindo um short bem curto. Sério, dava para ver a virilha dela. — Hein, mocinha? já te viu assim? — Ela passou por mim e me olhou com cara de tédio, revirando os olhos em seguida.
0
Comente!x

  — Você também, ? Aff, me deixem vocês dois. — Provavelmente, já deve ter a visto assim e também não gostou.
0
Comente!x

  — , diz para ela botar outra roupa. — invadiu meu quarto logo após entrar no mesmo.
0
Comente!x

  — Obrigado, ! — Finalmente alguém que concorde comigo.
0
Comente!x

  — Pois, senão vou querer tará-la no meio do saguão do hotel. — Completou, para minha surpresa. Ele e deram risada e eu fiquei atônico, completamente sem reação. Os engraçadinhos estavam zoando com a minha cara.
0
Comente!x

  — Hey! — Eu disse, batendo na cabeça de — É da minha irmã que você está falando. Respeito! — Ele riu e pediu desculpas. — Já estão prontos? — Ambos concordaram com a cabeça e seguimos para a piscina do hotel.
0
Comente!x

  Com um calor desses, obviamente que nós aproveitamos a piscina do hotel. Disso eu gosto: piscina! Melhor que praia que tem areia e a água é salgada. Não curto. Curtimos o calorzinho de Darwin, capital do Território do Norte, AUS. Uma cidade litorânea muito linda. É nossa primeira vez aqui e estamos bem empolgados. Após nosso banho na piscina, nos arrumamos e fomos ao local do show. Uma casa de show bem localizada no centro da cidade.
0
Comente!x

   tirou muitas fotos desse momento de ensaio também. Como era perto, voltamos para o hotel para nos arrumarmos para o show. Será um grande dia, tenho certeza. Mas, algo estava me incomodando desde que entramos no avião a caminho para cá. Não sei o que é, mas sinto que algo grande acontecerá hoje. Temo que seja algo ruim… espero estar errado.
0
Comente!x

Continua

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
5 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Lelen
Admin
2 meses atrás

Só quero deixar registrado aqui que: Chuck é meu e eu sou dele <3 HASOIDHASOID
E gente, é bom esse irmão e bff do irmão terem uma boa razão para não estarem perto do celular deles porque se não tiver… 😌🔪
Eu nem tô passando frio no meio da rua e já fiquei p da vida, ia fazer drama pros dois SIM. Eles iam ter que me paparicar por pelo menos uma semana sem descanso 🧐
Vamos ver o que vão dizer no próximo capítulo HEHEHEHEH

Li Santos
Li Santos
2 meses atrás
Reply to  Lelen

Só pra dizer que Chuck terá um parzinho na fic. Hehehe
Se não tiver… a faca vai cantar!!
Hahahaha haja paparico!

Lelen
Admin
1 mês atrás

Veja bem, quem foram os adultos que não estavam perto dos celulares pra receber a ligação da moça mais nova, hein? 😑😑
Sorte de vocês que teve a cena do finzinho pra vocês se desculparem, ou então cês realmente iam ter que paparicar muito ela 🧐
Gzus amado, essa pp precisa se benzer pra ver se afasta esse povo estranho e pervertido dela, porque olha 😦😦
Agora esperando ver o Seb surgir para salvar a pp.

Li Santos
Li Santos
1 mês atrás
Reply to  Lelen

Se não fosse o final ia ter que rolar muita babação de ovo haahhhaha
ALÔ BENZEDEIRA. A PP TA PRECISANDO DE VOCÊ!
Será que teremos o heroizinho em ação? Boatos fortes que sim 🫣

Lelen
Admin
29 dias atrás

TRÊS ANOS? TRÊS ANOS???
Okay, se eu fosse o Pierre eu ia me sentir muito ofendida 😂
Mas ok, o importante é que por enquanto deu tudo certo e a família permanece feliz e unida.
Só que com esse fim de capítulo, há margens para dúvidas de quanto tempo a paz vai permanecer, né 👀👀


You cannot copy content of this page

5
0
Would love your thoughts, please comment.x