Status

Loading

Avalie

Este texto foi revisado
Encontrou algum erro? Clique aqui

Esta história não possui capas prévias (:

Sem curiosidades para essa história no momento!

ainda com você

  A chuva apertava a cada passo que dava em direção ao bar de sempre, mas ele sabia que independente de chegar encharcado no local, precisava fazer essa rota.
0
Comente!x

  Ou enlouqueceria.
0
Comente!x

  Escutar o ruído do ar-condicionado da vizinhança havia virado a sua rotina, e toda vez que passava pelas mesmas casas, o rapaz sentia que o seu coração apertava ao ponto de achar que não seria capaz de suportar a dor de não poder mais vê-la. Por mais que lhe causasse sofrimento, o lugar trazia a sensação familiar que tanto buscava por aí nas noites solitárias de Seul, e como uma peça ensaiada, ele abriu a porta de vidro do bar, ouvindo pela milésima o som do sino soar por todo o ambiente. foi cumprimentado pelos rostos conhecidos e que o adoravam, e logo se sentou próximo ao bar, solicitando ao bartender a bebida de costume. Ele bebeu uma, duas, três doses e sorriu pequeno, agradecendo pelas palmas de seus espectadores; o homem ajeitou o microfone antes que escutasse os acordes de seu violão, respirando fundo algumas vezes e engolindo o choro, prometendo a si mesmo e a ela que faria uma ótima performance.
0
Comente!x

  Mesmo que a sua garota não estivesse mais lá para assistir.
0
Comente!x

  Cantar a música de sua própria autoria parecia não fazer mais sentido sem ter a sua fã número um consigo, porém, com um gosto extremamente amargo na boca, ele tentou repetir para si que “a música já existia antes dela”.
0
Comente!x

  Se dar conta da verdade doía, ah, como doía!
0
Comente!x

   tinha plena noção que deveria seguir em frente como a garota gostaria que ele fizesse, contudo, esse era o passo mais difícil a ser dado depois de perder a pessoa que você mais ama sem estar preparado.
0
Comente!x

   era como a lua, e queria ser uma estrela para ficar ao seu lado, independente da manhã logo surgir no dia seguinte. A mulher iluminava as suas noites de uma maneira terna e serena, com sua risada contagiante e um abraço que parecia ser o melhor do mundo, além de adorar escutar o rapaz cantar. Ela ia todos os dias no bar depois de um certo tempo, contudo, anteriormente, observava o homem através do vidro, um tanto curiosa para descobrir quem era o dono da voz mais bonita que já havia ouvido. Não é que lhe faltasse coragem, mas a garota possuía ciência que assim que colocasse o pé dentro do estabelecimento, confirmaria que estava apaixonada por aquele cantor que nem sequer sabia o nome e sobrenome. No entanto, após beber com um grupo de amigas, tomou coragem e entrou no bar, se sentando na última mesa que ainda a entregava uma ótima visão do palco. A partir dessa noite, começou a frequentar o bar semanalmente, até se apresentar formalmente para , que já havia percebido a sua presença desde a primeira vez. Conversa vai, conversa vem, ambos se conectaram perfeitamente bem, e não passou uma única noite que eles não se vissem naquele mesmo bar, no mesmo horário e depois da mesma apresentação da deliciosa melodia que o rapaz adorava cantar. O relacionamento veio como consequência de dois corações apaixonados, que não demorou muito para virar amor, e quando viram, se tornaram inseparáveis.
0
Comente!x

   bebeu mais duas doses ao terminar a apresentação, se preparando para enfrentar novamente a chuva que não lhe daria uma trégua. Para sua sorte, o seu guarda-chuva resolveu quebrar, e sem forças para esperar as gotas pararem de cair, ele se moveu debaixo delas, sem se importar de chegar encharcado em casa. Apesar de chover, ainda era possível observar o resquício da lua no céu, e o homem pensou qual seria o motivo dela aparentar estar solitária, deduzindo que suas gotas deveriam ser suas lágrimas por conta da melancolia. Mais uma vez, respirou profundamente, retornando para a sua casa com a mercê de seus sentimentos que transbordavam.
0
Comente!x

  A rotina de sempre prosseguia, e os sonhos constantes que tinha com o perseguiam sem descanso. Já era hora de se encaminhar para o bar, e com um sorriso triste, ele fez o caminho de costume, tentando sentir a presença da mulher nas rotas conhecidas. Bebeu suas doses e subiu no palco, refazendo o processo que estava cansado de repetir. Ele jurou para si que essa seria a sua última apresentação, e horas após a performance, pôde ver no fundo, sentada na mesma mesa e com um sorriso alegre, apesar de ter lágrimas em seus olhos. O rapaz levantou de forma brusca, pedindo desculpas para os clientes por sair tão depressa; seguiu a silhueta até o final da rua, onde pararam com certa distância um do outro, e finalmente as palavras que tanto queriam dizer saíram por sua boca:
0
Comente!x

  — Eu sinto tanto, tanto a sua falta, meu amor.
0
Comente!x

  Então, ele correu. Correu tão rápido que assim que sentiu o calor da garota, quase a derrubou, escutando a risada tão adorável que só a sua tinha. O rapaz queria manter essa memória vívida junto com as outras, de modo que elas não se apagassem conforme fosse envelhecendo, e puxou mais a mulher para si, com as lágrimas rolando por suas bochechas vermelhas. O homem sabia que seu tempo era curto e o amanhecer estava por vir, mas ele não se importava se o amanhecer fosse frio o bastante para congelar tudo a sua volta, já que não mediria esforços para andar na direção de sua amada independente de estar descalço. O que importava, na verdade, era estar com ela.
0
Comente!x

  — — a sua voz fraca o chamou do jeito mais doce do mundo.
0
Comente!x

   a encarou com um sorriso triste por saber o que vinha em seguida, mas, escolhendo bem suas últimas palavras, segurou a mão de e disse:
0
Comente!x

  — Nossos pés podem não estar em sintonia, mas eu quero continuar andando nessa estrada com você.
0
Comente!x

  Ao piscar os olhos, viu que já não estava mais lá, contudo, as palavras que proferiu eram a mais pura verdade.
0
Comente!x

   continuaria andando nessa estrada com ela, por mais que não a tivesse mais do seu lado.
0
Comente!x

  — Mas, por mais doloroso que seja, o caminho se torna suportável, . Por ser ainda com você.
0
Comente!x

Fim

N/A: eu amo essa música e amo o jungkook <3
Eu juro que tentei fazer algo mais alegre, mas sempre que vejo a tradução não consigo escapar de algo mais melancólico e tristinho (e combina com o estado da autora). E eu meio que prometi que não teria mais tristeza numa outra fic, massss, faz parte, né? Hehehehe
Não prometo uma continuação, mas, quem sabe no futuro?
Até a próxima <3

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
9 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Natashia Kitamura
Admin
7 meses atrás
  — Desculpa, hyung! Foi sem querer! — O mais novo exclamava enquanto continuava a correr." Read more »

ô dó. O que te deixou assim, menino?

Natashia Kitamura
Admin
7 meses atrás
  — Volte aqui, Park Jimin! — Seokjin gritava segurando uma garrafa de água aberta, o cabelo estava ensopado." Read more »

Aiii, me deu até um arrepio.

Natashia Kitamura
Admin
7 meses atrás
  — O quê? " Read more »

Eita. ACHEI QUE ELA TINHA MORRIDOOOO

Natashia Kitamura
Admin
7 meses atrás
  — O quê? " Read more »

Ainda bem que não morreu, ufa

Natashia Kitamura
Admin
7 meses atrás
  Hoseok olhou confuso para Jungkook que suspirou pesadamente." Read more »

AI CARAIO, MORREU MESMO

Natashia Kitamura
Admin
7 meses atrás
  Hoseok olhou confuso para Jungkook que suspirou pesadamente." Read more »

LIIIVVVVV (queria falar um palavrão, mas me segurei)

Natashia Kitamura
Admin
7 meses atrás

Nossa que fanfic intensa! Estou num mix de sentimentos aqui, mas nenhum negativo (só a ponto de te xingar um pouquinho mentalmente, rs). Mais uma vez arrasou! (Mas faz o menino kookie feliz da próxima vez, esse garoto tão bonito não pode ser infeliz hahahahaha)


You cannot copy content of this page

9
0
Would love your thoughts, please comment.x