Through the time

Escrito por Bruna Villanueva - Siga a autora no Twitter
Beta-Reader: Natashia Kitamura



O tempo não para! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo.
- Mário Quintana

Capitulo I – Hora de Partir

O tempo pode ser o pior inimigo de alguém, pois ele passa sem piedade, sem dó. Então lhe sobram apenas as memórias, lembranças de uma época que nunca voltará...

Flashback On:
- Você vai deixá-lo? – perguntou-me minha mãe.
- É a minha única saída, não posso priva-lo de um futuro brilhante, não posso destruir os sonhos dele dessa forma. - respondi limitando-me a olhar em seus olhos, pois sabia que desistiria de minha decisão no momento em que os encarece.
- Mas tem certeza de que isso é o melhor, não só para ele, mas pra você também meu anjo? – Ela me questionou mais uma vez, o que vinha acontecendo sempre naquele dia.
Era isso, eu tinha certeza absoluta de que ir embora seria a melhor solução, eu estava condenada, e não podia permitir que sofresse, por isso.
- Sim eu tenho certeza – respondi convicta, em seguida peguei minha mala e finalmente encarei minha mãe.
- Tomara que seu pai cuide bem de você - seus olhos já estavam cheios de lagrimas, e partia-me ainda mais o coração vê-la daquele jeito.
Era como se de repente tudo começasse a ficar em preto e branco.

No, I'm not colorblind
I know the world is black and white
I try to keep an open mind
But I just can't sleep on this tonight

Flashback Off:

Capitulo II - Relações

's POV:
Acordei pela manhã com a claridade entrando em meu quarto, já haviam passado duas semanas desde o dia em que fui obrigado a me despedir de em uma estação de trem.
Eu odiava lembrar do fato de que havia sido abandonado por ela, sem explicações, sem nada que me fizesse entender o porque ela me deixou.
Naquela mesma manhã, decidi que mesmo ainda amando-a com toda a minha alma a vida continuava e eu teria que seguir em frente. E seguiria custe o que custar. Foi então que eu recebi a carta.

",
Desculpe- me por estar lhe enviando está carta, quando na verdade eu teria de lhe dizer isso pessoalmente, e mesmo que não justifique, eu tive medo. Sei que seria pedir de mais, que me perdoe, mas quero que saiba que se lhe deixei foi para o seu próprio bem.
Há alguns meses que descobrir estar condenada, tenho um tipo raro de leucemia e já é tarde de mais para que possa ser tratada, não se assuste e nem se preocupe, apenas siga a sua vida e seja feliz, eu te amo e para sempre irei te amar. Fique bem.

Com amor,
"

Ler aquilo simplesmente me destruiu.

Stop this train
I want to get off
And go home again
I can't take the speed it's moving in
I know I can't
But honestly, won't someone stop this train?

Alguém pode parar o trem da vida? Para que eu simplesmente possa voltar para o ponto onde não estou perdendo a mulher da minha vida, para o ponto onde eu a terei do meu lado, para sempre.

Capitulo III - Por que comigo?

Um mês já havia se passado, tudo estava diferente, não havia um só dia o qual eu não me perguntasse por que aquilo estava acontecendo comigo.
Em mais uma rotineira manhã de exames um médico entrou em meu quarto - há uma semana eu estava internada, devido a mal estares - com alguns exames nas mãos.
- Bom dia senhorita - disse o médico educadamente.
- Bom dia doutor - respondi desanimada.
- Bem, eu tenho duas noticias para lhe dar, uma boa e uma ruim.
- Pode me dizer doutor - respondi tentando ser confiante.
- A boa noticia é que a senhorita está grávida e a má é que - o médico olhava com pena, e receio - não sabemos como a doença vai interagir com a gravidez.

Don't know how else to say it
I don't want to see my parents go
One generation's length away
From fighting life out on my own.

Capitulo IV - Onde está meu final feliz?

's POV:
Quatro meses, e então recebo a noticia de que irei ser pai, e que a mulher que eu amo pode não resistir ao parto, por que isso foi acontecer justamente comigo? Andei tendo uma conversa com meu pai, ele me disse que essas são coisas que eu somente irei entender quando eu for mais velho. Não quero ser mais velho, se a mulher que eu amo não poderá envelhecer ao meu lado!

Had a talk with my old man
Said "help me understand"
He said "turn sixty-eight
You renegotiate"

Cá estou eu em Verona, seria uma das cidades mais românticas que existem, e seria o melhor momento que se pode imaginar se eu não estivesse prestes a perder a minha .
- Promete que irá cuidar de nosso pequeno? - Ela perguntou docemente.
Sim, eu havia ido encontrá-la, afim de que vivêssemos com intensidade esses últimos momentos que nos restavam. Foi quando tudo aconteceu, tão rápido como um piscar de olhos, urrava de dor, enquanto eu desesperado mudava o curso de nosso destino e dirigia o mais rápido possível rumo ao hospital.
Alguém pode parar este trem? Para que voltemos para casa e para que possamos respirar tranquilamente uma vez mais, sabendo que isso tudo não passara de um sonho ruim.

Epílogo

havia nos deixado, mas dessa vez para sempre. Ela morreu em meus braços e lembranças do que vivemos era tudo o que me restará. O trem não havia sido parado. Eu estava de volta a minha casa, com um filho que cresceria sem a sua mãe. O trem não havia sido parado e aquilo não era um sonho.
- Prometo que irei cuidar de nosso filho e prometo continuar te amando onde quer que você esteja minha . - sussurrei para o vento com a esperança de que ele levasse minha promessa até ela.

 

Comentários da autora



Foi muito divertido escrever essa songfic e espero que gostem tanto quanto eu! xx Brubs




Comente aqui