Thinking Of Us

Escrito por Ana Clara Oliveira - Siga a autora no Twitter
Beta-Reader: Natashia Kitamura



Parte do Projeto Songfics - 14ª Temporada // Música: I Almost Do, por Taylor Swift

"Enfim chegou o final de semana!" Pensei assim que me joguei em minha cama. Essa tinha sido a primeira semana de aulas na faculdade, as aulas não eram nem de longe o que mais me cansava, desde o início delas me afastei de , pelo menos durante o tempo que estamos na faculdade. Ele é o namorado perfeito em todos os sentidos, tão perfeito que escolhi manter uma distância dele, pois sei que todos, ao nos verem juntos, pensarão: "Como namora ela?"; "O que ela fez para os dois estarem juntos?", e isso me assusta. Suspirei antes de afundar meu rosto no travesseiro, ouvi a campainha tocar e como me encontrava sozinha em casa, fui até a porta em passos lentos enquanto alguém apertava a campainha freneticamente causando um barulho desagradável.
- Ei , que demora! - Disse colocando a mão na cintura.
- E precisava segurar a campainha desse jeito? – Perguntei, irritada.
- Desculpe, todo mundo está no bar e você não apareceu lá o dia inteiro... Você está bem?
- Sim, só cansada da primeira semana de faculdade - Respondi rapidamente.
- Então já deu tempo de descansar, vamos! - Foi só o que disse antes de me arrastar para fora de minha casa. me conhece bem o suficiente para saber que não me deixando responder entre “ir” e “não ir” e não perguntar nada ela terá mais êxito se não perguntar nada.
Quando chegamos no tão conhecido bar onde toda a galera sempre se encontra, senti uma paz e tranquilidade que estava ausente durante a semana. Assim que adentramos o bar avistei Archie, Chop, Izzy e na "nossa mesa".
- Chegou quem faltava! - gritou Chop assim que notou e eu, nos aproximando fazendo com que todos olhassem para nós, foi impossível não olhar para e ver o sorriso dele se formando a me ver, eu simplesmente amo esse sorriso. Sentei ao lado de e foi recebida com um selinho, roubei um gole da cerveja que deduzi ser de .
- E como foi a semana de vocês? - Perguntou Izzy visivelmente animada.
- Não foi tão assustadora quanto pensei que seria, as veteranas são legais e sem contar os veteranos gatos - Respondeu sorrindo.
- Estou jogando futebol com os veteranos, tem sido legal, e você ? - Archie perguntou sorrindo.
- Ah... Foi legal. - Respondi dando de ombros e o silêncio pairou sobre todos.
- Vamos, - Foi só o que disse antes de se levantar e pegar sua jaqueta sorri para todos e segui que já se dirigia a porta pela qual entrei minutos atrás.
- Onde vamos? - Perguntei a quando saí do bar.
- A pergunta é, onde você esteve durante a semana inteira, ? - perguntou, me fitando.
- Estudando - Respondi desviando minha atenção para os carros que passavam na rua.
- O tempo inteiro? Não te vi nenhum dia!
- Eu... Não queria ver você. - respondi baixo.
- Por quê? - Perguntou ele estava confuso e eu não me encontrava muito diferente, não sabia o que responder.
- Talvez... Devêssemos terminar. - Disse receosa e não acreditando que tais palavras saíram da minha boca.
- Como assim terminar? O que aconteceu? - perguntou elevando sua voz.
- Não gosto como as pessoas olham para nós dois quando estamos juntos e não quero que façam piadinhas sobre nós ou sobre você. - Por fim disse tudo que vinha me incomodando há certo tempo e senti um alívio.
- Você não pode estar falando sério, ! Eu não ligo para o que digam, eu gosto de você! - falou pausadamente como certo tom de indignação na sua voz.
- Você pode não ligar, porém, eu ligo. Sinto muito, . - Foi somente o que disse antes de dar as costas a e voltar para casa em passos rápidos e com a visão embaçada por conta das lágrimas que escorriam pelo meu rosto.
Assim que cheguei em casa agradeci mentalmente o fato de minha mãe e nem minha irmã terem chegado, me dirigi até a cozinha a procura de algo doce para comer, meu peso que atraía olhares quando estava com , eu termino com ele e a primeira coisa que faço é vir até a dispensa atrás de comida, parabéns !

Um mês depois
Exatamente um mês hoje... Um mês desde que terminei com e não tem um dia que não pense no que ele está fazendo, nesse momento posso imaginar ainda acordado depois de uma longa semana de provas, e fantasio que às vezes ele ainda pensa em mim.

I bet this time of night you're still up
I bet you're tired from a long, hard week
I bet you're sitting in your chair by the window
Looking out at the city
And I bet sometimes you wonder about me

Caminhei até a janela do meu quarto e passei a observar a noite e o quão estrelado o céu se encontrava. Olhei para a minha escrivaninha e avistei meu celular e uma vontade imensurável de ligar para o me atingiu, não ligar para ele é exaustivo, rouba todas as minhas forças, e qual motivo eu tenho para ligar? Eu só queria que ele soubesse que eu quase ligo...

And I just want to tell you
It takes everything in me not to call you
And I wish I could run to you And I hope you know that
Everytime I don’t I almost do, I almost do

Aposto que acha que não quero mais o ver ou até mesmo que o odeie, pois não atendo quando ele me liga e aposto também que nunca passou pela cabeça dele que eu não o atendo porque não suportaria dizer apenas um oi para ele.

I bet you think I either moved on or hate you
‘Cause each time you reach out there’s no reply
I bet it never, ever occurred to you that I can’t say hello to you
And risk another goodbye

Fiz uma bagunça e talvez seja melhor assim, nos meus devaneios, toca meu rosto e pergunta se quero tentar outra vez e eu quase aceito.

We made quite a mess, babe
It’s probably better off this way and I confess, babe
That in my dreams you’re touching my face
And asking me if I'd want to try again with you And I almost do

Como posso eu continuar vivendo imaginando o que anda fazendo, o que ele pensa e ainda fantasiar que ele vai me pedir para voltar? Eu terminei nosso namoro, não deveria estar assim. Dirigi-me até a escrivaninha de meu quarto e peguei meu celular; a vontade de ligar para veio mais forte e eu quase liguei. Sacudi a cabeça em uma tentativa inútil de tirar da minha cabeça, me deitei em minha cama ainda observando meu celular, então o mesmo começou a tocar, na tela indicava o nome de , atendi apressada.
- ? - Ouvir a voz de depois de tanto tempo foi indescritível, não sabia se estava sonhando acordada.
- Oi - Respondi me focando em ouvir a respiração de do outro lado da linha.
- Eu... Queria ouvir sua voz, . - Disse .
- Eu também queria ouvir a sua - Respondi brevemente.
- E por que não me procurou na faculdade ou me ligou?
- Eu quase liguei - Respondi envergonhada por admitir isso.
- Engraçado você falar que quase me ligou, eu quase apertei sua campainha - disse pensativo e eu me perguntava onde essa conversa ia chegar.
- E por que não apertou? – Perguntei e ficou em silêncio, podia ouvir com perfeição sua respiração.
- Eu posso? - respondeu depois de alguns segundos em silêncio.
- Claro, quando você quiser - Respondi rapidamente e então ouvi minha campainha tocar, me assustei de imediato, não podia ser, agora são três da manhã!
- ? – Perguntei ainda não acreditando que podia ser ele.
- Você falou que podia! - disse rápido e eu levantei da cama rapidamente, corri até a porta e abracei , que retribuiu o abraço na mesma intensidade - Estou quase te pedindo para não me soltar mais.
- Eu não vou soltar, nunca mais.

 

Comentários da autora

 --


Comente aqui