Start Living

Escrito por Isabela Martins e Nayara Alves - Siga as autoras no Twitter: @Bella_Martins27 e @amor_do_malik
Beta-Reader: Jéssica



Estava cansada de certas coisas que estavam acontecendo ultimamente. Minha mãe não parava de falar, então resolvi ir dormir. Foi tipo automático. Deitei na cama e comecei a escutar música na esperança de que o sono viesse, porém não veio. Comecei a pensar em um milhão de coisas que gostaria que não tivessem acontecido. Com meus pensamentos, concluí que crescer é muito difícil, doloroso, machuca... Mudar tem seu lado bom e ruim... A vida nos faz crescer. Apesar de não percebermos, cada decepção, cada lágrima, cada amor não correspondido... Às vezes seria bom parar o mundo só para seguir o nosso ritmo, porque, quando a gente olhar para trás, vamos perceber que o tempo passou e amadurecemos sem tantas lágrimas derramadas e sem corações feridos.
Tudo parecia perfeito. Eu achei que tinha encontrado um amor que realmente valia a pena, mas me enganei completamente. Quando conheci , meu mundo em preto e branco se tornou colorido com apenas um sorriso do mesmo. Ele foi capaz de me transformar em uma pessoa que ninguém jamais imaginaria que eu fosse. Mas, como disse, parecia ser perfeito.

Flashback on
Eu e estávamos jogados no meu quarto assistindo a um filme qualquer na TV, só que, apesar de estar com ele, estava um tédio total. Como me conhece bem, percebeu como eu estava.
- , eu fui convidado para uma festa na casa de um amigo meu. Está afim de ir?
- Com certeza! Não aguento mais assistir esse filme ridículo.
- Então vai se arrumar, pois eu volto para te buscar em uma hora. – Ele disse se levantando da minha cama.
- Ok. – Ele me deu um selinho e foi embora.
Fui correndo para o banheiro e tomei aquele merecido banho. Em seguida, me enrolei em minha toalha e fui até o guarda-roupa procurar algo apropriado para vestir. Não demorei muito para encontrar um vestidinho perfeito. Depois de me vestir, fui arrumar meu cabelo, o que não foi tão difícil assim. Apenas passei um babyliss nas pontas e pronto. O mais difícil foi me maquiar, pois não era muito boa com essas coisas. Na verdade, quem me maquia é a vaca da , minha melhor amiga, que não estava aqui nesse momento, então o jeito era me virar mesmo. Peguei minha maleta de maquiagem e mãos à obra. Uns quinze minutos depois, estava pronta. Dei mais uma olhada no espelho e tenho que confessar que não me decepcionei com o que vi. Eu estava simplesmente linda. Escutei a buzina do carro de , então desci. Como , meu irmão, não estava em casa e minha mãe ainda estava no trabalho, não precisei avisar que eu estava saindo.
Saí de casa e fui em direção a , que estava encostado no carro com os braços cruzados. Ele sorriu quando me viu.
- Você está linda. – Ele disse, me dando um abraço.
- Você também está ótimo. – Sorri para ele e logo nos beijamos.
- Vamos? Já estamos um pouquinho atrasados. – disse, nos separando.
- Claro. – Ele abriu a porta do carro para mim. Quando entrei, ele fechou a porta e deu a volta no carro para entrar também. Logo deu partida no carro e fomos conversando.
- , de quem é a festa mesmo? – Perguntei curiosa.
- De um amigo meu, o Bryan! Você deve se lembrar dele. Ele joga comigo no time de futebol da faculdade.
- Não me lembro. – Respondi.
- Quando chegarmos lá, te apresento a ele.
- Tudo bem. – Depois disso, o silêncio tomou conta do carro.
Uns vinte minutos depois, parou o carro em frente a uma casa (mansão, na verdade) que estava lotada, a música estava muito alta e tinha muita gente caída em frente.
- Estamos na festa certa? – Perguntei pegando na mão de .
- Sim, estamos! – Ele respondeu.
Assim que entramos na casa, largou minha mão e foi em direção a alguns amigos dele. “Ótimo, estou sozinha”, pensei. Resolvi ir até o bar que tinha perto da piscina, sentei em um dos bancos que tinha ali e pedi uma dose de vodka.
- Você não acha que é um pouco nova para beber isso? – Um ‘ser’, que estava ao meu lado, perguntou.
- Isso não é da sua conta. – Respondi sem olhar para ele e dei um gole em minha bebida.
- Linda e nervosa. Adorei! – Ele riu e também deu um gole em sua bebida. Olhei para ele e... Espera aí, eu o conheço de algum lugar.
- Ei, eu te conheço! – Disse, analisando-o.
- É, eu também te conheço. – Ele respondeu.
- Você é amigo do meu irmão! ... Isso! Esse é o seu nome, . – Disse e ele riu.
- E você é a , a irmã mais nova do . – Ele disse sem olhar para mim.
- Isso mesmo!
- E o que você está fazendo aqui sozinha, ? – Ele perguntou.
- ? – Perguntei desentendida.
- Esse é o seu apelido, não é? – Eu assenti. – Então eu vou te chamar assim também – Eu sorri. – Mas você ainda não respondeu minha pergunta, .
- É que meu namorado me convidou para vir com ele a essa festa. Me arrumei toda para ver se eu chamo a atenção dele, mas parece que não deu certo. – Fiz uma careta e ele riu.
- Me deixa adivinhar: assim que vocês entraram, ele te deixou sozinha e foi conversar com alguns amigos dele.
- Exatamente isso. – Nós dois rimos. – Mas como você sabe disso?
- Fácil! Meninos como ele sempre são assim. Trazem a namorada para uma festa e logo depois a abandonam para conversar com os amigos.
- Você já fez isso com alguma menina? Porque, tipo, você fala disso muito bem. – Disse bebendo mais um pouco da minha bebida.
- Algumas vezes, mas garanto que não faço mais. – Ele riu e o som de Right Now, da Rihanna ft. David Guetta, passou a ser ouvido.
- Essa música é muito boa. – Ele disse balançando sua cabeça no ritmo da música e me fazendo rir. – Quer dançar comigo? – Ele levantou-se do banco e esticou a mão para mim.
- Por que não? – Segurei a mão dele e lá fomos nós dois para o meio da pista de dança.
Foi bem legal. é engraçado, divertido e dança muito pior do que eu. Ele já foi à minha casa várias vezes por causa do meu irmão, mas eu nunca tinha reparado nele. Sei que daqui em diante seremos ótimos amigos. Depois daquela música, vieram muitas outras. Tinha até perdido a noção do tempo. Era como se apenas eu e estivéssemos ali, duas crianças que dançam muito mal, mas que não estavam ligando para nada e para ninguém. Mas foi então que eu me lembrei de uma coisa...
- ? – Ele olhou para mim, ainda dançando.
- Oi?
- Se você está aqui, significa que o também está, né? – Ele riu.
- Sim, seu irmão está aqui! Ele trouxe uma menina e me largou. – Eu ri do comentário dele, mas depois fiquei meio triste, porque é apaixonada pelo meu irmão e vai ficar muito revoltada se eu contar para ela que veio com alguém para uma festa.
- O que foi? Ficou triste de repente. – perguntou preocupado.
- Nada não! Só me lembrei de uma coisa, mas não importa agora. Vamos apenas nos concentrar em nos divertir. – Disse voltando a dançar e ele fez o mesmo. Depois de mais algumas músicas, resolvi dar uma pausa, pois já estava bem cansada. Eu e voltamos a nos sentar nos bancos em frente ao bar.
- Você dança muito mal. – Ele disse rindo.
- Igualmente. – Rimos um pouco mais.
Olhei para um canto meio afastado, perto da piscina, e avistei um casal se pegando. O menino, com certeza, era o , mas a menina estava um pouco difícil de reconhecer. Como eu sou a pessoa mais curiosa do mundo, eu me levantei e, quando ia começar a me aproximar deles, segurou meu braço.
- Aonde você vai? – Perguntou ele.
- Eu quero ver quem é aquela menina com meu irmão.
- Deixa de ser curiosa, . Deixa seu irmão curtir a vida dele em paz.
- HA-HA! Quem é você mesmo para me dar lição de moral?
- Você só pode ser bipolar, né?! Em um momento estávamos dançando e rindo, agora você quer começar uma discussão.
- Eu não quero começar discussão nenhuma, é você que fica querendo proteger o amiguinho, mas saiba que eu vou até lá com ou sem sua aprovação. – Disse me soltando dele e indo até .
- Bem que o disse que você é bem teimosa. – disse vindo atrás de mim.
Cheguei mais perto dos dois e pude concluir que a menina era a... ? Como assim? Eu aqui preocupada com aquela puta vadia, e ela agarrando meu irmão. Ah, eu mato aquela vaca por não ter me contando que vinha à festa com .
- ? – Disse já próxima deles. Os dois se soltaram e soltou uma risada abafada atrás de mim.
- ?! – Ela disse assustada. – O que você está fazendo aqui?
- Eu quem te pergunto, sua vaca. Você me disse que hoje ia ficar em casa cuidando da sua irmã.
- E você também me disse que ia ficar em casa vendo filme com o ! E falando em , cadê ele?
- Ai, meu Deus! Eu me esqueci do ! – Eu disse, colocando a mão na testa. – Eu vou atrás dele, mas a nossa conversa não acabou aqui, ouviu, puta de beira de estrada?
- Não acabou mesmo, sua vadia prenha. – disse e nós duas começamos rir.
- Eu juro que não entendo vocês. – disse com cara de desentendido.
- Não tente, maninho. – Eu apertei a bochecha dele. – Agora me deixa ir atrás do meu namorado. Beijo, pessoas que me amam mais do que suas próprias vidas. – Disse mandando um beijo no ar para eles e saí.
Entrei na casa de novo e comecei a procurar em todos os cantos, mas não o achei, até que vi William, um dos amigos do meu namorado, e ele disse que viu subindo as escadas e indo até um dos quartos. Estranhei um pouco, mas não expressei nada, apenas agradeci, subi as escadas e me deparei com sete portas.
- Ai, meu Deus! Em qual quarto será que ele está? – Perguntei para mim mesma, então resolvi abrir as portas de uma em uma.
Abri a primeira e o quarto estava vazio, a segunda porta estava trancada, a terceira tinha duas mulheres se beijando, a quarta era um banheiro e na quinta tinha um casal se pegando. Quando eu ia fechar esta porta, tomei um choque de realidade e percebi que o menino que estava lá dentro era com uma menina que não era eu. Abri a porta de uma vez e os dois olharam para mim. Eles estavam apenas de roupa íntima. Naquele momento, senti meu coração parar de bater por alguns instantes. As lágrimas já escorriam rapidamente pelo meu rosto... Estava me sentindo um caco, como se alguém houvesse arrancado um pedaço de mim com suas próprias mãos, como se eu merecesse ser punida por todas as minhas atitudes. Eu me senti perdida e definitivamente sem chão. Não esperei ninguém falar nada, apenas fechei a porta de novo. Só queria sair daquele lugar o mais rápido possível. Fui empurrando todo mundo que vinha pela frente, até que esbarrei em uma pessoa. A pessoa certa: .
- O que aconteceu? Por que você está chorado? – Não consegui responder, apenas o abracei. Ele pareceu entender e retribuiu o abraço. Ele passou o braço por minha cintura e me tirou daquela multidão. Fomos para um lugar da casa menos barulhento e menos movimentado, o jardim. – Aqui podemos conversar. – Ele disse assim que nos sentamos na grama.
- Ele me traiu. – Eu disse encostando a cabeça no ombro dele.
- Ele fez o quê?! – perguntou um pouco desentendido.
- Sabe aquela hora que eu fui procurá-lo? – Ele assentiu. – Um amigo dele me falou que ele estava lá em cima, em um dos quartos, então eu subi e olhei cada quarto até encontrá-lo só de roupa íntima com uma loira, beijando-o na cama. – Disse.
- Nossa, , que cara mais idiota. Trair uma menina como você, tão linda, tão divertida, tão carinhosa... – Ele disse fazendo carinho em minhas bochechas.
- , me leva pra casa. Não quero mais ficar aqui. – Disse e ele assentiu.
- Só tem um problema. – O olhei curiosa. – Eu vim com seu irmão e sua casa não fica perto daqui, então teremos de procurá-lo. – Eu assenti e fomos procurar o e a . Não foi tão difícil. Assim que os achamos, me perguntou o que tinha acontecido e contou para ele, pois eu não tinha vontade de falar. Meu irmão queria ir lá em cima e dar uma surra no , mas eu e não o deixamos fazer isso, pois não valeria a pena. Logo, nós quatro saímos da festa. foi no banco de trás comigo, foi dirigindo e no banco do passageiro. E assim terminou o pior dia da minha vida, mas, desse dia tão escuro, saiu uma coisa boa: . Tenho certeza que ele vai mudar a minha vida para melhor.
Flashback off

“Eu tive uma facilidade para dar amor e uma enorme dificuldade para receber. Era medo. Sou repleta de medos. Tenho medo de começar a chorar e não conseguir mais parar. Medo de ser magoada. Eu tinha medo de passar a vida inteira convivendo com uma dor, até que me apaixonei por você e acabei sendo obrigada a isso, porque você me machucou pra valer. Mas é assim mesmo e a gente começa sempre sorrindo para terminar chorando. Eu sabia que terminaria assim, no entanto, me recusava a acreditar. Na minha vida sempre houve muitas chegadas e com isso aconteceram grandes partidas também. Tive de tomar decisões e fazer milhares de coisas difíceis, mas, sem dúvida alguma, a coisa mais difícil que fiz foi esperar aqueles dias melhores que todo mundo fala, sabe? Todos os dias eu espero que você sinta minha falta. Toda vez que escuto uma piada ou leio algo sobre amor, é o teu nome que surge em minha mente. Estou farta disso tudo. Estou farta de ouvir essas músicas românticas, tristes e lentas que destroçam meu coração. Estou cansada de viver presa a lembranças, cansada de tantas lágrimas e tanta dor. Eu estou me acabando porque não consigo recomeçar e essa é a pior sensação do mundo. É horrível se sentir assim... Como se você fosse um erro, como se vivesse errado e mesmo depois de um tempo, mesmo parecendo mais forte, ainda sinto a mesma sensação filha da puta que insiste em permanecer comigo. Ainda sinto dor porque parece que tudo o que é errado vem até mim. É, o errado ama a minha companhia. Mas, cara, eu estou enlouquecendo de verdade. Eu tinha encontrado tudo o que eu sempre procurei e, de repente, tudo se perdeu graças às suas ações. Assim, do nada, sem nem esperar. Queria muito poder dizer que não sinto nada, mas eu sinto, sinto muito, sinto pra caralho mesmo, e é impossível não sentir. Por enquanto eu quero esquecer, desapegar. Me amar mais e esperar.
Eu venho tentando diariamente fazer com que a felicidade venha até mim sem maiores esforços, mas é tão difícil desapegar. Esquecer porque em cada lugar tem um pedaço seu e o pior é esperar, odeio esperar.
Tenho pressa de ser feliz e mesmo que pareça bobagem, qualquer um pode te fazer sorrir, mas é muito raro encontrar alguém que possa te completar e te fazer feliz.
Talvez a vida seja só um mar de lembranças. E eu sempre me lembrarei de você, porque seu toque me concertava, por mais errada que eu fosse. Porque com aquele “para sempre”, o nosso “para Sempre”, que você dizia entre nossos abraços, me deixava segura. Porque toda vez que fecho os olhos, imagino você ao meu lado, mesmo depois de tudo que me fez sofrer. Depois de todas as lágrimas, eu sei que nunca te esquecerei. Pensarei em você do início ao final do dia.
Não há nada pior que a dúvida. Não há dor mais filha da puta da que você me faz sentir. Quando diz que precisa de mim e depois me derruba e me despedaça como quem quebra um copo de vidro. Não importa quanto se desculpe, ambos sabemos que nada vai concertar o meu coração.
Eu aprendi duas coisas: a primeira é que o amor que tudo cura, transforma e leva às nuvens é o mesmo amor que machuca e derruba. Faz-te cair feio. A ponto de morrer ou matar por ele. E a segunda é que chega uma hora na tua vida que a ficha cai você percebe que aprender a viver sem algumas pessoas que sempre viveram sem você é a melhor escolha. Mas ainda não entendo porque insisto em me preocupar e amar apenas uma pessoa, sendo que há bilhões de outras pessoas pelo mundo.
Eu fico observando, sabe, existem pessoas que querem tudo, querem ter o mundo em suas mãos e eu não as entendo. Porque eu só quero você. Você é simplesmente tudo o que eu preciso. Eu tinha o mundo em minhas mãos, mas o deixei escapar, tudo o que me importava naquele momento era você, só você.
Dizem que para encontrar a felicidade não precisa necessariamente de um lugar, um endereço. Mas porque preciso estar ao seu lado para? Venho vivendo nessa amargura, odiando até o brilho do sol, porque toda vez que ele nasce ou se põe, significa que por mais um dia eu não vou te ter.
Isso não faz o menor sentido. Mas aquele último SMS que você mandou é agora a única forma que encontrei de te ter um pouquinho de você perto de mim.
Quero deixar claro que eu sempre me declarei para você, quando eu ficava quieta, o silêncio era a minha mais bonita declaração. E tu sabes que eu tenho saudade de milhares de coisas, não é? Mas não sabe que todas elas são relacionadas a você. E para finalizar a lista de coisas que não entendo nessa porra de vida: gostaria de saber, por que com tantas coisas para arrancar de mim, como sorrisos, palavras fofas ou até mesmo a minha roupa… Você escolheu arrancar justamente o meu coração?”.

(Créditos: ressonancias)

- Levanta dessa cama agora! – Disse entrando no meu quarto toda arrumada.
- Não. – Eu disse cobrindo minha cabeça com o cobertor.
- Você vai se levantar imediatamente! Nós duas vamos para a inauguração da Roxy. – Ela disse com animação a palavra Roxy.
- Primeiramente, o que é “Roxy”? – Eu perguntei, imitando sua empolgação.
- A boate mais esperada da cidade, ou talvez do estado. – Ela falou se sentando na beirada da minha cama.
- Hum! Que bom. – Respondi fingindo empolgação.
- Você sabia que todos os convites para a festa de hoje à noite acabaram meia hora depois de começarem a vender? Como eu tenho um amigo que trabalha na boate, ele me descolou dois convites. – Ela disse mostrando os convites.
- Boa noite e divirta-se. – Disse cobrindo minha cabeça de novo.
- Nada disso! – Ela puxou o cobertor. – Você vai comigo!
- Não estou afim, eu só quero ficar aqui na minha cama, curtindo minha dor.
- Para de ser dramática, levanta logo dessa cama e vem se divertir comigo.
- Chama o para ir com você. – O sorriso que estava estampado no rosto de se desmanchou. – O que que aconteceu? – Perguntei preocupada.
- Depois daquele dia que o te traiu, seu irmão nunca mais falou comigo. – Ela disse de cabeça baixa.
- O quê? Tipo, vocês dois estavam no maior “love” naquele dia, cheguei a achar que estavam namorando.
- Pois é! Eu também pensei que ia rolar alguma coisa entre a gente, mas aí né...
- Que gay esse meu irmão hein... – Eu comentei espantada. – Nem um oi, um telefonema, nada?
- Nada! Mais isso não importa, agora eu quero que você entre naquele banheiro, tome um belo de um banho, se produza toda e partiu festinha na Roxy. – Ela disse levantando da cama.
- Não, ! Não estou afim, e eu também nem ia ser uma companhia muito agradável.
- Para, ! Eu não acredito que você está assim por causa daquele canalha do . O menino te trai, te faz de trouxa e, em vez de dar troco, você fica aí chorando, sofrendo por alguém que não te merece. Eu duvido muito que ele chorou, soltou uma lágrima sequer por você. Duvido que ele ficou trancado no quarto sofrendo por você. Está na hora de cair na real, amiga, e acorda que a vida continua. Não vai adiantar nada ficar se lamentando. Pelo amor de Deus, vamos dar a volta por cima, vamos mostrar que você superou, que o é passado, página virada. Você é linda, inteligente, pode ter qualquer homem em seus pés. Então mostre o seu poder e volta a viver! , você é minha melhor amiga e eu te amo muito para te ver assim, triste, sofrendo, chorando. Volte a ser aquela menina animada e de bem com a vida que você era. Eu sei que ela ainda vive aí dentro de você. Volta, por favor... – Ela já estava com lágrimas nos olhos quando parou de falar, realmente a está certa, o não me merece.
- Você está certa! – Levantei-me. – Vamos para essa festa nos divertir, dançar e nos acabar porque está de volta!
- Isso aí, amiga, vamos abalar! – disse e eu ri.
- Escolhe uma roupa para mim, que eu vou tomar um banho. – Disse e fui para o banheiro.
- Pode deixar!

Tomei um banheiro relaxante e merecido, me enrolei na toalha e voltei para o quarto.
- Você tem um gosto incrível para escolher roupa. – Eu disse olhando para o look que colocou em cima da cama.
- Eu sei disso, querida. – Ela respondeu e jogou uma mecha de cabelo para trás.
- Convencida! – Dei um tapa no ombro dela.
- Agora vai se trocar que eu vou te maquiar!
- Ok! – Vesti-me e deu um jeito no meu cabelo e me maquiou, uns quarenta minutos depois eu estava pronta.
- Lindas e poderosas. – comentou olhando a imagem que o espelho refletia.
- Com certeza! Agora vamos logo para a Roxy!
- Partiu! – Nós duas saímos do quarto e fomos em direção ao carro da .

***

Boate lotada, música alta, pessoas dançando como loucas, ou seja: PERFEITO PARA MIM!
- Vamos beber alguma coisa para animar? – Perguntei a .
- Bora! – E lá fomos nós duas em direção ao bar.
Depois de uns três ou quatro copos de uma bebida colorida e doce que eu não sei o nome, eu e já estávamos bem animadas.
- Pronta para arrasar na pista de dança? – me perguntou.
- Já nasci pronta, baby. – Nós duas rimos e fomos mostrar como se dança de verdade (só que não).
A música I Could Be The One, do Avicii vs Nicky Romero, já arrepiava nossos corpos. Eu e riamos alto enquanto dançávamos e isso chamava a atenção de algumas pessoas, mas nem ligávamos, queríamos apenas nos divertir e esquecer os problemas. Depois de umas seis músicas, eu já estava cansada, precisava beber mais alguma coisa.
- Estou indo no bar pegar alguma bebida, vai querer alguma coisa? – Perguntei a .
- Não. – Ela respondeu ainda dançando.
- Já volto. – Ela apenas fez um positivo com a mão e fui ao bar. Pedi uma dose de vodka, ri lembrando-me do dia da festa, onde eu conheci o . Desde daquele dia, a gente nunca mais se falou; quer dizer, a gente se cumprimenta e tudo mais, mas nunca mais rolou uma conversa igual a daquele dia, sinto muita falta dele.
- Bebendo vodka de novo, ? – Olhei para o lado e lá estava ele sorrindo para mim.
- ? Está me seguindo, é?
- Nunca faria isso. – Ele riu. – Eu vim com o seu irmão hoje, era para ser a noite dos garotos, mas parece que ele encontrou uma menina e me deixou sozinho. Como sempre. – Eu ri. – E você, o que faz aqui?
- Eu vim com a , hoje é a noite das garotas. Conclui que ficar chorando por alguém que não te merece não nos leva a nada, então resolvi me divertir.
- Fico feliz por você, te ver daquele estado me deixava muito triste.
- É! Tenho que encontrar a , a deixei sozinha para vir beber alguma coisa.,br /> - Acho que ela não está mais sozinha. – Ele apontou para a pista de dança e lá estava e conversando animadamente.
- Estranho! A me disse que desde aquele dia o não fala com ela.
- É que seu irmão não sabia o que falar com ela; não sei se você sabe, ele nunca ficou com uma menina por mais de um dia.
- Isso é verdade! Nunca vi menino mais mulherengo que esse. – Rimos.
- Na verdade, ele está gostando dela e estava tomando coragem para dizer isso a ela.
- Sério? – Disse surpresa e animada ao mesmo tempo.
- Sério! – Ele afirmou e logo terminou de beber sua bebida.
- E você, , não tem nenhuma menina que te interesse?
- Na verdade, tem. Mas ela estava distraída com uma coisa insignificante demais para perceber.
- Menina de sorte essa!
- Pena que ela não percebe isso. – Ele riu tímido. – Mas que tal a gente ir dançar? Esfriar a cabeça um pouco?
- Vamos, com certeza! – Concordei, me levantando e fez o mesmo.
Estávamos dançando animadamente ao som de Give Me Everything, do Pitbull ft. Ne-Yo, Afrojack, Nayer, até que olho para o lado e vejo dançando com a mesma menina loira que estava na cama com ele aquele dia. Paralisei, aquilo foi como se eu tivesse tomado um tiro, meu chão estava desmoronando de novo, as lágrimas já brotavam em meus olhos, quando lembrei das palavras de – “eu duvido muito que ele chorou, soltou uma lágrima sequer por você. Duvido que ele ficou trancado no quarto sofrendo por você. Está na hora de cair na real, amiga, e acorda que a vida continua. Não vai adiantar nada ficar se lamentando” – e ela estava certa, chega de promessas que jamais vão se cumprir. Chega de relembrar. Acabaram as lembranças que doem. Chega de se culpar. Não vou acumular sofrimentos. Sem conseguir me perdoar. Chega de gostar de quem não dá a mínima para mim. Não vou mais me esconder da vida. Não vou deixar de viver a vida por você. Chega! Agora eu vou é lutar pela minha felicidade, vou voltar a viver, voltar a sorrir, voltar a ser eu mesma. A partir de agora o é uma página virada na minha vida, é hora de começar a escrever um novo capítulo, um novo começo, uma nova vida.
- Você está bem? – Perguntou .
- Melhor do que nunca! – Sorri para ele e voltamos a dançar.

Três meses depois...

Agora a minha vida não se resume mais em lágrimas de dor, e sim em sorrisos que nunca esperava dar. Sorrisos verdadeiros. Sim, consegui esquecer aquele que me fez sofrer, eu descobri que o amor acontece quando menos esperamos, onde nunca pensamos em encontrar. Eu encontrei no a minha maior felicidade, hoje para mim ele é só motivo de alegria, porque me sinto completa ao lado dele.
Depois do dia da boate, eu e ficamos cada vez mais próximos e descobrimos um sentimento maior do quer qualquer outro. Eu só devo agradecer ao , porque se não fosse por ele, eu não teria descoberto a pessoa maravilhosa que é.
Vamos fazer dois meses de namoro em uma semana e ainda não esqueço o dia em que ele me pediu em namoro. Foi simplesmente o dia mais feliz da minha vida.

Flashback on

Era o dia do meu aniversário de 18 anos, eu e a estávamos nos arrumando no meu quarto, hoje eu, ela, e , íamos a uma boate comemorar. Nós duas riamos enquanto maquiávamos uma a outra, até baterem na porta, eu a abri e não tinha ninguém, mas no chão tinha um bilhete. “Siga as pétalas de rosa”. Olhei para o corredor e tinha um caminho de rosas vermelhas.
- ? – Ela olhou para mim. – Olha isso, ela levantou da cadeira e veio até a porta, eu entreguei o bilhete para ela e a garota olhou para o corredor também.
- Ai, que lindo! Você vai, né?
- Nem sei quem fez isso.
- Deixa de ser burra, ! – Ela me olhou séria. – Vai logo menina. – me empurrou.
E lá fui eu. O caminho de rosas terminava na sala, onde estava , parado, com uma rosa na mão. Sorri e ele veio até mim, me entregou a rosa e se ajoelhou na minha frente.
- A primeira vez que eu falei com você, meu coração bateu mais forte, foi como se tudo sumisse só nós dois estivéssemos naquela festa. Depois daquele dia, você não saiu mais da minha cabeça, cada vez que eu te via meu coração acelerava, quer dizer, ainda acelera. – Ele falou corando. – Eu durmo pensando em você, acordo pensando em você, passo o dia todo pensando em você, bom, resumindo, eu vivo pensando em você, você se transformou na garota mais importante da minha vida – Ele respirou fundo. – Então, , quer dizer, , você aceita ser minha namorada?
Eu fiquei paralisada, não conseguia responder.
- O que foi? – perguntou confuso, talvez por eu não ter reagido.
- Você tem certeza?
- Eu tenho certeza que eu amo você.
- , eu não sou fácil de lidar.
- Eu aprendo. Mas se for para dizer não, fala logo.
- E se for para dizer sim? – Falei fazendo bico.
- Isso quer dizer que...
- Eu amo você – Falei sorrindo e ele sorriu e, logo depois, chegou mais perto, levou uma das mãos a minha nuca e a outra a minha cintura, e me puxou levemente ao seu encontro. Já estávamos a poucos centímetros, ele acariciou a maçã do meu rosto quando seus lábios se encontraram aos meus. O beijo era calmo, ele pediu passagem para língua e eu cedi. O menino levou a mão que estava em minha cintura até minhas costas, me puxando mais para si, como se quisesse nos juntar em um só, eu fui parando o beijo com vários selinhos. Ficamos nos encarando. Logo pudemos escutar gritos e palmas, olhamos para o topo da escada e lá estavam e sorrindo.
Flashback off

Não tenho palavras para explicar o quanto feliz eu estou. me faz muito bem, quando estou com ele me sinto uma rainha.
Ah! E vocês devem estar se perguntando o que aconteceu com e ... Bem, os dois também estão namorando. Meu irmão tomou a iniciativa um pouco antes de me pedir em namoro. chorou que nem uma condenada quando mostrou a caixinha com as alianças para ela, mas foi lindo e hoje eu posso falar que os dois são o casal mais fofo que eu conheço.
- Amor, vamos. – disse, me tirando dos meus pensamentos. – Vamos a um parque de diversões com a e o . – Nós quatro sempre saíamos juntos e sempre dávamos muitas risadas com as palhaçadas que fazíamos.
Hoje eu posso finalmente dizer que estou realizada, que estou completa, que estou verdadeiramente feliz, que se choro é de tanto rir das piadas horríveis do , que apesar de serem horrorosas, me fazem gargalhar.
Minha vida está perfeita, pelo menos por enquanto, e pretendo mantê-la assim, mantendo quem eu amo perto de mim.

THE END

 

Comentários da autora



n/b: Quero agradecer a Adriely e a Lavi, duas capistas lindas que me ajudaram a corrigir essa fanfic. Garotas, vocês são demais! <3 hahahha
Achou algum erro? Entre em contato comigo por e-mail e estarei o corrigindo. Obrigada! ;) x J.