Let Heaven In

Escrito por Isabela G - Siga a autora no Twitter
Beta-Reader: Mariana



Londres, Inglaterra, Reino Unido. 10 de Março de 2012. 10:42 AM.
Acordei com um barulho já conhecido todas as manhãs. O som do meu celular. Ninguém gosta de acordar com seu celular tocando, principalmente em pleno sábado. Tateei a cama procurando-o. Olhei diretamente para o visor. . Minha melhor amiga desde quando tínhamos 10 anos.
- ? – perguntei sonolenta esperando que ela tivesse uma boa razão para me acordar.
- , eu não acredito que você está dormindo ainda! Já é quase onze horas! Na verdade eu só liguei para avisar que nós vamos ao Sherlock Holmes, aquele pub que a gente costumava frequentar - quando ela terminou de falar eu tive certeza que naquele momento eu poderia me jogar frente de um carro.
- , não acredito que você me ligou pra isso... E eu realmente não quero ir - disse manhosa com a esperança que ela fosse me dar uma trégua.
- Nada disso! , você tem 24 anos e não vai ficar trabalhando e estudando todo o final de semana. Vou falar com o Ian e você vai falar com o Tobias – e ainda por cima tinha o Tobias, meu namorado, não que eu desprezasse a companhia dele, é que eu simplesmente queria ficar sozinha.
- Tudo bem, . Tchau. Até mais tarde – desliguei. Agora só faltava a coragem pra levantar da cama, tomar um banho e ligar para o Tobias.

Londres, Inglaterra, Reino Unido. 10 de Março de 2012. 8:05 PM.
Tobias iria passar aqui daqui exatamente 20 minutos. Eu já estava quase pronta, usando uma skinny escura com uma blusa leve e um casaco, só faltava colocar os sapatos de salto pretos. Sai do quarto indo até a sala não muito grande da casa que eu vivia sozinha. Meus pais moravam em Oxford, me mudei para cá com o meu ex-namorado quando tinha 18 anos, logo após de terminar o colégio. Sai dos meus pensamentos ouvindo a buzina do carro. Já fechando a porta, vi Tobias abrindo a porta do carro pra mim.
- Boa noite, meu amor, você está linda como sempre – me elogiou e me deu um breve selinho. Alguns minutos seguintes nós estávamos no nosso destino. O lugar aconchegante como sempre. Tobias entrelaçou nossas mãos e vimos dando um breve aceno.
- Boa noite, . Boa noite, Ian – cumprimentei-os brevemente. Fizemos nossos pedidos e o assunto logo se desenrolou. Estávamos conversando sobre o show que teria do Muse no próximo mês, quando parou de falar e começou a olhar para alguém, e logo me cutucou.
- , é alguém parecido... – meu nervosismo estava levemente aparente, só realmente perceberia. Mas eu estava enganada. Quando eu olhei para mesa, era exatamente ele, os mesmos olhos, sorriso... E quando eu percebi já estava a caminho da nossa mesa.
- ! Que surpresa te ver por aqui, pensei que você ainda estivesse na França – falou toda animada – Sentem conosco – terminou naquele jeito rápido de falar.
- ! ! – e se sentou com a mulher que o acompanhava, muito bonita por sinal. –Deixe-me apresentar, essa é Lisa, minha noiva.
Eu estava louca ou ele realmente tinha falado noiva.

Londres, Inglaterra, Reino Unido. 13 de Março de 2012. 8:32 PM.
Eu e tínhamos namorado durante três anos, os melhores anos da minha vida. Até que um dia nós estávamos assistindo um filme que passava na televisão e ele me deu a noticia de que iria para França com seu pai. Depois desse dia minha vida virou de cabeça para baixo.

Flashback
Londres, Inglaterra, Reino Unido. 25 de Setembro de 2008. 8:23 PM.

- , vê se dessa vez você assiste o filme e não dorme, por favor – falei brava me ajeitando em seus braços. estava estranho ultimamente.
- , eu preciso falar com você, eu já venho adiando isso faz alguns dias, eu não sei como te contar isso... – nesse momento eu senti um aperto no coração – Há alguns dias meu pai me ligou – a mãe de o abandonou quando tinha três anos e desde então ele vivia com o pai, que também vivia em Oxford até ele se mudar para Londres, comigo – e nós tivemos uma conversa séria... Ele me disse que nós vamos nos mudar para França – nesse momento eu não sabia o que falar, meus olhos começaram a marejar e eu já estava sentindo as lágrimas – , não chora. Eu estou aqui, não é você mesma que fala para nós nos aproveitarmos o agora e deixar pra pensar no futuro pra depois?
- Quando vocês vão? – perguntei quase em um sussurro.
- Daqui duas semanas... – e foi quando ele disse isso, eu me levantei, peguei a chave do carro e sai aos prantos direto para casa da .
Fim do Flashback

Depois que eu aceitei o fato que ele iria embora e me deixaria, nós aproveitamos o máximo de tempo que tínhamos e dois dias antes de ele ir embora... Nós terminamos. E perdida nesses pensamentos foi quando ouvi a voz de chamando meu nome.
- ... - falou direcionando o olhar levemente para Tobias e Ian.
- Ah, claro! Esse é Tobias, meu namorado – falei com um sorriso – e esse é Ian, namorado da – terminei. continuava lindo e com o mesmo jeito sorridente. Nós conversamos por algumas horas, como se nada tivesse acontecido entre nós dois. Ele realmente tinha seguido em frente. E eu também.
Quando olhei para o relógio me assustei, já eram quase onze horas.
- Nós realmente gostamos de ficar aqui, porém eu e Tobias já vamos, temos planos para amanhã... – falei me levantando com Tobias logo atrás de mim – foi um prazer te rever, , qualquer coisa me ligue... Ou ligue para . Nossos números continuam o mesmo. Boa noite para vocês - e andamos para fora do pub.

Londres, Inglaterra, Reino Unido. 13 de Março de 2012. 11:38 PM.
Tobias tinha resolvido que essa noite dormiria aqui em casa. Nós já estávamos deitados e eu ainda estava um pouco perturbada com o que havia acontecido, eu não tinha mais esperança que eu fosse ver nunca mais, porém eu estava errada, principalmente quando ele contou que havia comprado uma casa em Londres não fazia poucos dias e que iria morar com Lisa. E também tinha o casamento que iriam marcar a data nos próximos meses.
- , aconteceu alguma coisa? - Tobias perguntou com um tom de preocupação.
- Não, eu estou bem, só um pouco cansada - falei me ajeitando na cama - boa noite - encerrei o assunto.

Flashback
Londres, Inglaterra, Reino Unido. 7 de Outubro de 2008. 6:53 PM.
- , eu te amo e sempre vou amar - dizia olhando nos meus olhos. Nós estávamos na praia Brighton vendo o pôr do sol, toda vez que dava nos íamos para lá, era um dos nossos lugares preferidos.
- Você sabe que nós não vamos conseguir manter esse relacionamento com você na França - disse e suspirei - é melhor nós acabarmos isso de uma vez.
- Eu te amo e eu sempre vou te esperar - nós já estávamos nos beijando. O beijo de despedida. Eu sentia suas mãos em volta da minha cintura enquanto segurava sua nuca como se estivesse segurando o meu bem mais precioso. Parti o beijo e olhei em seus olhos e eu me senti vazia só de imaginar que nunca mais o veria. Nunca mais sentiria o seu gosto, ou sentiria o seu cheiro.
Me levantei com as sandálias na mão e comecei a caminhar para casa. Que daqui pra frente eu viveria nela sozinha.
Fim do Flashback

Londres, Inglaterra, Reino Unido. 11 de Março de 2012. 10:56 AM.
Acordei e vi que Tobias ainda dormia ao meu lado. Me levantei cuidadosamente para não acorda-lo e fui tomar um banho.
Depois de pronta peguei um casaco leve e fui caminhando até a Starbucks que ficava na rua de baixo. Chegando lá, adivinhe quem eu encontro? Exatamente. . Já havia passado um pouco mais de um mês que ele voltara para Londres e eu já estava habituava encontrar ele ali. Nossos olhares sempre acabavam se encontrando, às vezes trocávamos algumas rápidas palavras porque ambos sempre estavam com pressa, porém hoje estava sentado em uma mesa bem em frente à porta.
- ! - ele me chamou e eu apenas sorri.
- Por favor, me chame de - falei ainda de pé - que surpresa te ver por aqui – falei com um leve tom de ironia.
- Sente-se, não gosto de tomar café da manhã sozinho - claro, como eu poderia esquecer isso, não suportava fazer qualquer refeição sozinho. E eu me perguntava o porquê. Sentei-me e logo chamei o atendente - Bom dia, por favor, eu vou querer um Frappucino Mocha de Chocolate e um Brownie de Chocolate meio amargo para agora e dois Muffins de Banana com um café Mocha para a viajem - sorri agradecida.
- Surpreendente - falou com um sorriso fechado - depois de todo esse tempo você ainda pede o mesmo café - dei um sorriso tímido. Fazia anos e ele ainda lembrava-se do meu café favorito.
Apenas quando meu pedido chegou o silêncio foi quebrado.
- Então, ... Você aceitaria sair no próximo final de semana comigo? - dessa vez ele me pegou desprevenida - Se você não tiver nada pra fazer - terminou.
- Eu realmente não posso dar certeza de nada, mas eu posso te ligar se não tiver nenhum problema – nós conversávamos como se fossemos desconhecidos ou como se tivéssemos acabado de nos conhecer.
- Claro, mas agora eu tenho que ir, Lisa deve estar me esperando – falou se levantando – nos vemos em breve – e foi embora.
E eu fiquei sozinha saboreando o café e o brownie.

Londres, Inglaterra, Reino Unido. 11 de Março de 2012. 9:56 PM.
Eu e Tobias estávamos vendo 2 Broke Girls, quando ouvi meu celular tocar. Levantei do sofá e fui atender.
.
- Alô? ? – perguntei só para ter a certeza.
- , tudo bem? – e eu apenas disse um sim em resposta – Então, que tal nós irmos no sábado ao Hyde Park tomar um sorvete? – parecia uma boa proposta.
- Eu adoraria! Então nós nos encontramos três horas, pode ser? - perguntei, ele apenas assentiu e nos despedimos.
- Quem era? –Tobias perguntou depois de algum tempo
- Era o, nós vamos sair no próximo sábado – e foi quando eu falei isso, Tobias mudou completamente de humor.
- De onde você o conhece, ? – perguntou. E eu contei que eu o conhecia do colégio, e que a gente namorou por alguns anos e que basicamente ele era meu ex.
- Bom saber que quando eu chamo você pra sair tenho que praticamente implorar pra ir comigo, mas quando o seu ex-namorado te convida, você não pensa nem duas vezes – eu fiquei o encarando indignada – Quando você quiser sair, me ligue... Ou melhor, ligue para o seu queridinho – se levantou, pegou a chave do seu carro e saiu.
Tobias nunca tinha dado uma crise de ciúmes, não até hoje. Eu não me senti mal por isso primeiro porque nós não temos mais nada e segundo porque eu tenho um namorado e está noivo. Só me restava ir para a cama e dormir e foi exatamente o que eu fiz.

Londres, Inglaterra, Reino Unido. 17 de Março de 2012. 2:30 PM.
A semana havia passado lentamente, Tobias pediu desculpa pelo ataque de ciúmes e voltamos a nos falar. ficou tão feliz quando ficou sabendo que eu e iríamos sair juntos. Eu já estava quase pronta para encontrar com ele. Eu fiquei realmente feliz quando vi um pequeno sol saindo de trás das nuvens. Já estava quase pronta para ir, usando um short com uma blusa com mangas e tênis.
Minha casa não era tão perto do meu destino, e como o pneu do meu carro tinha furado, para minha sorte, eu teria ir andando. Saí de casa e no caminho eu notei que fazia algum tempo que eu notava a grande e linda Londres. Parei no caminho pra comprar um muffin.
Eu amo muffins e não resisti.
Quando cheguei, vi sentando em um banco bem em frente à entrada, com o cabelo despenteado propositalmente e um sorriso encantador. Como sempre. Nos cumprimentamos e dei um beijo desajeitado em sua bochecha. Seria uma tarde muito agradável pelo visto.
Hyde Park era um lugar lindo, eu realmente adorava todo aquele verde e aquela tranquilidade que o lugar passava, cheio de flores extremamente coloridas, árvores e arbustos em cores radiantes. Nós nos sentamos na grama e ele me contou como foi morar na França. E o assunto estava fluindo muito bem por sinal.
- Teve uma vez que eu fui pedir uma informação para uma senhora e como eu sabia muito pouco de francês eu acabei mandando ela se ferrar – quando ele me contou isso minha única reação foi começar a rir.
- Você precisa me contar essa história com detalhes, eu preciso saber como você foi esperto o suficiente para conseguir essa proeza – disse de algum modo rindo.
- Foi assim eu estava querendo saber onde ficava uma padaria e estava completamente perdido, então fui pedir para uma senhora que passava onde ficava essa padaria que se chamava Défonc, então perguntei – Comment se faire défoncer? – e ela ficou totalmente irritada falou alguma coisa que eu não sei até hoje o que significa e fiquei totalmente sem saber o que fazer até que uma bela moça veio até mim e ela falava inglês, disse que viu a cena e me explicou de que algum modo eu tinha dito para aquela senhora ir se ferrar e que a pergunta nem soou como uma e depois me explicou onde ficava a padaria que eu procurava – ele explicou fazendo algumas caretas.
- Essa moça realmente foi um anjo para você não ficar perdido pela França o resto da vida – falei sorrindo ainda da história.
- Ah, me esqueci de lembrar que a moça que me ajudou foi a Lisa – ele completou com um sorriso e eu estava surpresa de algum jeito novamente. É uma linda história de amor. Algumas pessoas invejariam a sorte dos dois.
- Com um caso desse você poderia escrever um livro – disse dando um sorriso largo – E depois desse emocionante capítulo nós vamos tomar sorvete – falei me levantando.
Então nós fomos até o carro de sorvete, pedimos e nos sentamos em um banco que dava de cara com uma fonte com algumas flores em volta. O barulho da água me acalmava, mas não que eu estivesse nervosa ou nada do tipo, eu e éramos amigos como há alguns anos.
No momento os barulhos dos pássaros, das águas e de poucas crianças que brincavam por ali se destacavam até que o teve a brilhante ideia de sujar meu rosto com sorvete.
- EU NÃO ACREDITO QUE VOCÊ FEZ ISSO! – falei em tom de indignação – Agora você faz o favor de limpar – conclui. E ele ria. Uma risada tão gostosa e que eu não ouvia há tanto tempo e que poderia escutar por dias. E quando eu me dei conta ele já estava com um guardanapo limpando minha bochecha e estávamos mais próximos do que deveríamos. E agora eu podia sentir sua respiração e via que aqueles olhos eram tão infinitos quanto o céu e tão brilhantes quanto às estrelas, ficamos assim por algum tempo, sim, ficamos nessa proximidade de centímetros apenas aproveitando a presença um do outro e esquecendo tudo e todos em nossa volta.
Foi quando eu senti suas mãos em minha cintura e quando senti nós já nos beijávamos, eu segurava em sua nuca e nossos lábios se encaixavam perfeitamente, aquilo era a prova que nós ainda tínhamos uma ligação mesmo que esquecida. Porém mesmo que aquele beijo tivesse algum sentimento além de desejo e saudades era a coisa errada. Eu tinha um namorado e ele estava noivo e Tobias e Lisa estavam nos esperando em casa. Eu separei o beijo e o encarei. Eu não queria falar, mas não tive escolha.
- Isso foi totalmente errado... – falei em um tom baixo com o olhar acompanhando o tom de voz e não sabia o que falar, eu abria a boca pra falar, no entanto não saia nada.
- , por favor, eu te...
- , não! Não continue – interrompi – Nós não sabemos o que estamos sentimos e nós temos compromissos com pessoas que supostamente amamos – terminei não conseguindo o encarar. Eu me levantei e me despedi – Eu tenho que ir... – e sai andando com o passo apressado.
Liguei para a e contei tudo o que tinha acontecido e ela ficou sem palavras. Deitei na cama, me cobri com o cobertor e acabei pegando no sono com o gosto dos lábios dele nos meus.

Londres, Inglaterra, Reino Unido. 18 de Março de 2012. 1:54 PM.
Tobias tinha chegado e eu estava fingindo um dor de cabeça horrível pra poder ficar em casa, eu tentei fazer com que ele fosse embora, mas nada adiantou. Até que ouvi a alguém batendo loucamente na porta, e fui ver quem era com Tobias me acompanhando logo atrás. Abri a porta e dei de cara com uma Lisa vermelha
- EU SABIA QUE VOCÊ ERA UMA VAGABUNDA QUE NÃO VALE A COMIDA QUE COME – ela gritava – É TOBIAS SEU NOME, CERTO? – falou olhando para o mesmo – Pelo visto a , que você tanto ama NÃO TE CONTOU QUE BEIJOU O . VOCÊS DOIS SE MERECEM E ESPERO QUE VOCÊS VÃO PRO INFERNO PORQUE GRAÇAS A VOCÊ QUE AGARRA O HOMEM DOS OUTROS MEU NOIVADO ACABOU! – simplesmente terminou de “falar” e foi embora. Quando virei para trás e eu vi um Tobias sem expressão.
- Tobias, eu posso explicar... – falei.
- Se eu disser que eu não estou surpreso, você acredita? – falou com um sorriso falso – Desde quando vocês se reencontraram você ficou estranha comigo. , você sentir algo por ele ainda não é um crime, porém você ficar comigo sem me amar é a atitude errada.
- Por favor, me desculpa... – disse com a cabeça baixa e num tom quase inaudível.
- , eu aceito você não me amar e amar ele, mas perdoar é uma coisa que não vou conseguir fazer tão cedo. – deu um suspiro – Vá atrás do .
Tobias tinha ido embora e eu estava jogada no sofá pensando... Afinal, como Lisa descobriu sobre o beijo? Me desviei dos meus pensamentos quando senti meu celular vibrar em baixo de mim.
1 nova mensagem.

, eu realmente preciso falar com você. Venha amanhã no Starbucks às 6 da noite. Por favor. . XO

Londres, Inglaterra, Reino Unido. 19 de Março de 2012. 5:34 PM.
Havia sido um dia cheio e ainda tinha que ir encontrar com , peguei meu carro de volta essa tarde e estava pedindo para que tudo isso se resolvesse hoje. Eu já estava pronta, porém eu estava com medo do que ele me diria hoje. Era tudo ou nada.
Fechei a porta da casa, caminhei até o carro liguei o radio e estava tocando Sad Beautiful Tragic. O mundo estava conspirando contra mim.

We had a beautiful magic love there
What a sad beautiful tragic love affair

E quando já me dei conta eu estava em frente ao Starbucks mais cedo do que o horário combinado. Fui entrando no lugar calmo e avistei-o sentado em uma mesa com a cabeça baixa, ele realmente parecia preocupado e pensativo, fui me aproximando lentamente e quando eu sentei na cadeira vaga ele levantou o olhar e sorriu.
- ... – eu sorri – Que bom que você veio – falou meio aliviado. Nós começamos a conversar pouco a pouco, e ele também me contou que foi ele que havia contado a Lisa do beijo.

Flashback’s POV
Londres, Inglaterra, Reino Unido. 18 de Março de 2012. 12:45 PM.
Eu tinha voltado para minha casa depois daquele beijo e ele tinha mexido comigo. Eu pensei o caminho todo de volta. Beijar não foi errado, errado estava sendo aquele casamento. Lisa estava bem a minha frente, estávamos almoçando e iria contar pra ela sobre o beijo. “Ah, não foi nada meu amor, eu só beijei a e foi um dos melhores beijos que já recebi, mas nem se importe com isso, não vai acontecer de novo.” Foram as palavras que se formaram na minha mente.
- Lisa, ontem quando eu encontrei com a , eu não resisti – ela arregalou os olhos - Se eu falar que eu não a beijei eu vou estar mentindo... – disse e vi ela ficar vermelha – Foi coisa de momento...
- O QUÊ? COISA DE MOMENTO? QUANDO ENCONTRO UM EX-NAMORADO EU NÃO SAIO BEIJANDO ELE POR AI! – ela estava em pé na minha frente gritando - EU CONFIEI EM VOCÊ E VOCÊ FAZ ISSO? COMO VOCÊ CONSEGUIU DORMIR A NOITE SABENDO QUE TRAIU A MULHER COM QUEM SE CASARIA E QUE ESTEVE AO SEU LADO POR TODO ESSE TEMPO? EU PENSEI QUE VOCÊ ME AMAVA MESMO NUNCA TER TIDO ISSO PARA MIM! – ela estava certa, eu nunca tinha dito um eu te amo para ela, e sim eu pedi ela em casamento sem falar essas palavras, para mim isso significava muito, muito mesmo – Está tudo acabado entre nós, se é mesmo que tinha algo – ela falou em um tom mais calmo se isso era possível e deixou a casa.
Fim do Flashback

Londres, Inglaterra, Reino Unido. 19 de Março de 2012. 5:34 PM.
- E foi isso... – ele terminou de contar.
- Logo depois disso ela foi a minha casa, me chamou de vagabunda, falou que nós dois nos beijamos e Tobias me deixou... – disse como se fosse a coisa mais normal do mundo.
- Sério que ela te chamou de vagabunda? – falou em tom sério e eu apenas assenti dando de ombros - Agora você poderia escrever um livro – ele disse em tom brincalhão – E agora eu estava pensando se nós poderíamos ir à praia Brighton – ele concluiu com um doce sorriso.
- Eu adoraria, faz algum tempo que eu não vou lá – e então nós saímos e cada um foi no seu carro. Estava realmente frio quando saímos e como eu não tinha levado casaco, me forçou a usar o casaco dele. O caminho demorou um pouco mais de 40 minutos até que chegamos... A praia Brighton era sempre muito linda, eu sentia saudades das tarde que eu e ficávamos aqui apenas sentindo a presença um do outro ou de quando nós comíamos algodão-doce no Brighton Pier. Estava escuro então apenas o barulho do mar era o suficiente.
- Eu sinto falta desse lugar – falei indo de encontro com o mesmo. Nós nos sentamos, ele passou o braço pelos meus ombros, deitei a cabeça na curva de seu pescoço e ficamos assim por algum tempo, como nos velhos e bons tempos. E depois disso ele quebrou o silêncio.
- , eu queria que você soubesse o quanto eu sinto sua falta, eu nunca te esqueci, eu pensava em te ligar, porém minha consciência falava que você iria me evitar ou algo assim. – ele falou me encarando, encarei-o de volta, e nos já estávamos há centímetros de distancia – Você se lembra de quando nós nos deitávamos e ficávamos falando no nosso casamento? Nós nem sabíamos o que aconteceria no futuro, mas hoje nós podemos ter tudo isso de novo - sussurrou em meu ouvido.
- ... – disse em tom baixo.
Os lábios deles encostou nos meus e cedi. Era o beijo mais calmo, tranquilo, mas com tanta urgência, desejo e saudades. Ele segurou na minha cintura como no dia anterior e aquilo era a prova de que nossos destinos tinham que ficar juntos. Ele partiu o beijo e falou exatamente como disse naquele 7 de outubro.
- , eu te amo e sempre vou te amar.

FIM

 

Comentários da autora