Kiss Me Slowly

Escrito por Cassy C. Deschamps - Siga a autora no Twitter
Beta-Reader: Anne



Capítulo Único

Projeto Songfics 3ª Temporada - Música: Parachute - Kiss Me Slowly

Essa era pra ser a melhor noite da minha vida, mas até agora, eu não estava surpresa ao saber que nada que eu havia planejado tinha dado certo. Eu havia comprado o vestido mais lindo de todos, os sapatos perfeitos, meu cabelo finalmente havia colaborado comigo e ficou em ordem para um penteado legal e não havia nenhuma espinha no meu rosto.
Sabe que dia é hoje? É a noite do meu baile de formatura. Eu finalmente vou sair daquele inferno chamado escola, eu vou ter uma noite perfeita, com o cara perfeito, e com a roupa perfeita, certo? Errado, totalmente errado. Sabe por quê? Porque o meu par para o baile resolveu sair pra balada ontem à noite, voltou bêbado para casa e a mãe dele o colocou de castigo. E qual é o castigo dele? Ele não vai poder ir ao baile de formatura. Ou seja, eu não vou ao baile, ou pior, vou ter que ir sem um parceiro.
“- Mas muitas pessoas vão sem par, porque você não pode ser uma delas?” É fácil minha irmã mais velha dizer isso, porque ela já teve o baile perfeito, com o cara perfeito, e ainda por cima, ela tem uma vida perfeita.
- , quer ajuda com o cabelo? – minha irmã estava na minha porta do meu quarto, lixando a unha.
- Pra quê? Eu não devia ir nesse baile, só vou pagar mico!
- Está bem, estressadinha, quer falar com você. – e dizendo isso, ela simplesmente foi embora. era o nosso padrasto. Perdemos nosso pai há três anos, então por respeito a ele, nunca chamávamos o de pai e ele entendia isso perfeitamente, nunca nos demos mal.
- O que foi? – perguntei ao chegar à cozinha. Minha mãe e meu padrasto estavam lá, nunca tentativa fracassada de preparar o almoço.
- Temos boas notícias. – ela disse, sorrindo para mim.
- Vão pedir comida de um restaurante? – eu disse, irônica.
- Engraçadinha. Não, você vai poder ir ao baile. – disse, sorrindo também - E com um acompanhante.
- Olha, é muito legal da sua parte, mas não acho que eu vá pagar menos mico indo com o meu padrasto... – eles riram.
- Não, querida, arranjei alguém para ir com você. É um sobrinho meu. - Sobrinho seu? Eu conheço?
- Não, mas ele vai passar aqui pra levar você. Ou melhor, eu vou levar vocês até lá, porque ele tem a sua idade, e não pode dirigir sem nenhum responsável acompanhando, então...
- Entendi. Acho que vou me arrumar então.
Ter alguém para ir comigo era melhor do que nada, certo?

~*~

- ! Seu par chegou!
Tudo bem, sem nervosismo, ! Você vai para o baile de formatura com um cara que você nunca viu antes, mas não se desespere. Você está perfeita, e nada, NADA, vai estragar a sua noite, entendeu bem? A escada nunca pareceu tão longa quanto naquele dia. Eu não estava tão acostumada a andar de salto alto mas aquele seria um dia importante e eu não ia desperdiçar aquele salto maravilhoso. Quando cheguei ao final da escada, me arrependi eternamente de ter decido. Quem estava sentado no sofá, ao lado do meu padrasto, era ninguém menos do que , meu ex-namorado.

Não fuja...
E é difícil amar de novo,
Quando a única forma que tem sido,
Quando o único amor que você conhece,
Simplesmente foi embora...
Se é algo que você quer,
Querida, você não tem que fugir,
Você não tem que ir...

- ? – perguntei, já vendo meu rosto ficar vermelho de raiva.
- ? – ele perguntou, mas nada surpreso. Claro que ele não estava surpreso, afinal, ele estava na minha casa, e ele já havia vindo aqui várias vezes.
- O que você esta fazendo aqui?
- Ao que tudo indica, eu vou levar você ao seu baile de formatura. – ele disse, bem calmamente.
- Esperem, vocês já se conheciam? – perguntou, surpreso com nossas reações.
- Sim. – respondemos juntos, e então continuei sozinha - Ele é meu ex-namorado.
- Eu sabia que meu tio estava noivo, mas não imaginava que fosse da sua mãe! – me disse - Quando ele me deu o endereço da casa, eu fiquei sem entender mais nada, então perguntei a minha mãe, qual o nome da noiva dele e ai tudo se encaixou. Imaginei que não fosse a sua irmã que eu levaria ao baile, porque ela já se formou. Então só liguei os pontos e puf. – ele disse, sorrindo para mim, como fazia nos velhos tempos. Fazia quase um ano que havíamos terminado.

Ela desmoronou junto ao que foi desfeito,
Quartos separados e corações partidos,
Mas eu não vou ser aquele que deixa você partir

- Puf. – eu repeti, sem conseguir conter um sorriso. Isso me lembrava uma noite, em que nós dois assistimos Harry Potter e o Enigma do Príncipe, desde então “Puf” era algo que sempre falávamos. E ele havia falado, depois de três anos, ele ainda se lembrava do “puf”.
- Muito bem crianças, vou levar vocês e depois vocês me ligam para que eu vá buscá-los.

~*~

Tudo ocorria perfeitamente no baile. A decoração estava fantástica, todos dançavam animados, o som estava de ótimo gosto, as bebidas e os aperitivos estavam saborosos e nós dois ainda não havíamos discutido nenhuma fez. Tudo muito bem, obrigada.
- Então... – ele começou, se levantando, e me oferecendo seu braço - Por que não dançamos um pouco? Afinal, estamos em um baile, muito bem planejado por sinal.
- Obrigada. – ele não entendeu o agradecimento, enquanto eu aceitava seu braço - Faço parte da organização. – Ele assentiu, sorrindo para mim. Nesse instante uma nova música começou. Era Kiss Me Slowly, do Parachute. Era a nossa música. Foi essa a música que estava tocando na lanchonete que fomos em nosso primeiro encontro.

Fique comigo, fique comigo amor,
Não me deixe sozinho esta noite.
Caminhe comigo, venha e caminhe comigo,
Para o limite de tudo que nós conhecemos

- Você se lembra? – ele perguntou, olhando para a mesa de som.
- Claro que lembro. – respondi, olhando pra ele - Como esquecer?
- Sabe, eu nunca entendi porque brigávamos tanto.
- Sempre fomos de mundos diferentes, você queria passar o tempo com os seus amigos, e eu com os meus, e quando íamos um no grupo do outro, não éramos aceitos, então paramos de nos ver na escola, e fomos nos afastando cada vez mais. Então resolvemos terminar, porque não estava mais dando certo.
- Eu sei, mas ainda não acredito que terminamos por causa de outras pessoas. A maioria dos casais termina porque não estava dando certo entre eles!
- Não somos como a maioria dos casais.

Eu posso te ver lá com as luzes da cidade,
Décimo quarto andar, olhos azuis pálidos.
Eu posso respirar você.
Duas sombras ao lado da porta do quarto,
Não, eu não poderia te querer mais do que eu quis naquele momento,
Em que nossas cabeças se aproximaram.

- Eu sei, e eu estive pensando. , você agora se formou, não precisa mais se estressar com isso de grupinhos escolares. Eu também já sou formado, somos adultos agora. Por que não nos damos uma segunda chance?
- Segunda chance?
- Sim. Vem comigo. – ele me puxou para o canto do salão, antes estávamos no meio dele. – Podíamos nos dar mais uma chance, tentar de novo, e se não der certo, pelo menos tentamos.
- Eu acho... que pode dar certo.

Bem, eu não tenho a certeza do que isso vai ser,
Mas com meus olhos fechados tudo o que eu vejo
É a linha do horizonte, através da janela,
A lua acima de você e as ruas abaixo.
Prendo a respiração enquanto você está se movendo,
Eu saboreio seus lábios e sinto sua pele.
Quando chegar o momento, não tenha pressa amor, apenas me beije lentamente

- Essa parte da música. – dissemos juntos, e rimos depois. Bem nessa parte havíamos nos beijado pela primeira vez como namorados. Essa música tinha muita história para contar em nossas vidas.
- Fique comigo, fique comigo amor. – ele cantou, junto com a música. E em seguida, me beijou. O beijo mais perfeito de todos.

 

Comentários da autora