I Wanna See You Smile

Escrito por Vittória
Beta-Reader: Natashia Kitamura



Parte do Projeto Songfics - 18ª Temporada // Música: Smile, por R5

Lembrei-me que a sua família todo sábado ia caminhar então aproveitei para entrar na sua casa já que se não atende nem o telefone, imagina me receber em sua residência... Passei a mão naquele híbrido de penteadeira e canto de estudos que estava bagunçado no quarto de onde se encontrava o celular dela, a senha era a mesma de sempre e lá eu desejava encontrar motivos para que ela tivesse deixado de falar comigo. Sabia que era um pouco de invasão de privacidade, mas entrei nas mensagens dela com a Terry e descobri exatamente o que a afastou de mim: . Sai pela janela descendo pela árvore raposinamente antes de ser flagrado por alguém. Fui para casa dar um tempo, casa do Jonny, claro. Ele morava no centro do nosso bairro, o apartamento dele era tipo Brasília, ficava a mesma distância de todos os lugares. Usei a minha chave - teve uma temporada em que morei com ele - enquanto o Jones descansava da noite anterior, viver na balada dá nisso. Fiquei um tempo parado ao lado do aparelho telefônico reunindo coragem para falar o que ia, sou um pouco menos ousado (ou louco) do que os outros garotos da minha idade. Digitei os números do celular da já decorado no telefone e sem me identificar disparei:
- Estou pronto para ir pra sua rua sem roupa.
Ela me reconheceu prontamente:
- Não faça esse mal à humanidade, no Country Bar às dez horas.
Mesmo estando sentado na frente da praia observando as ondas, eu não queria estar ali de verdade, quero a de volta, mas as chances de ela ter coragem de vir aqui só pra cuspir em mim sem ouvir nenhuma palavra minha são enormes. Azar o meu que ela estava certa, eu estava também apesar disso ela não ia aliviar é como a : impulsiva, incontrolável e extremamente sentimental. Dobrando a boulevard, uma criatura loira de pouco mais de um metro e sessenta de altura vestindo uma saída de praia como se só tivesse vindo por não ter mais nada para fazer, ignorando-me e indo em direção ao balcão voltou à mesa em que eu estava.
- O que quer, ?
- Quero que você me deixe falar sem nenhuma interrupção. - assentiu. - Eu achava que não tinha namorada porque e eu tínhamos brigado tão seriamente que ela por si só já tinha sido um aviso que nossa relação havia terminado, foi quando te conheci e naquele dia que em que ela me beijou terminei com ela porque estou apaixonado por você, .
A expressão dela tentava bloquear qualquer tipo de emoção. Ela sabia que não sou do tipo de falar sobre amor, que já estou jogado aos seus pés. As lágrimas saiam silenciosamente e correu ao longo da orla para mais distante possível. Eu já tinha conquistado ela e podia fazer novamente, do jeito certo agora.
- , os meninos ainda estão tocando? Tenho uma missão para vocês.
Já era de madrugada e estava encarando os prédios como sempre fica quando está pensando, resolvi que era a hora exata de chamá-la.
- , ! Você não devolveu a minha roupa do Fashion Week. - desenvolvi a minha voz mais afeminada possível que aprendi com o .
abaixou os olhos para olhar em nossa direção. Ela sorriu observando a produção que suas amigas gentil (diabol) icante me ofereceram como Personal Stylists, me fizeram vestir uma regata com uma camisa de botões amarrada e uma saia no estilo Britney Spears no clipe de Baby One More Time, o pouco cabelo que me restava foi preso em dois minis rabos-de-cavalo e um sapato de salto alto apertando os pés desse garoto/garota.
- Vai cantar o quê, Britney do Paraguai?
- Cantar não é comigo.
- Ah querido, daqui não vai sair nada. - Virou jogando os seus cabelos longos aos ventos e nossos amigos em coro gritaram "oh!”.
- O que a plateia pede?
Várias vozes conhecidas falaram sucessos:
- Work Bitch.
- I'm a slave 4 U.
- Toxic.
Uma voz se sobressaiu no final com uma ideia diferente das outras apresentadas:
- Eu quero ver o fazendo twerk - uma voz masculina declarou, batendo palmas.
Virei-me com uma cara de medo e observei o Sr. nos encarando. Todos os meninos da banda pararam antes de começar a tocar "Toxic" que tínhamos combinado.
- Pai, não briga com o meu namorado.
Um silêncio perdurou por alguns instantes deixando todos para trás e subi para a varanda onde minha menina se encontrava. Peguei-a pelo braço e beijei-a com força da saudade que senti.
- Então, você sabia da antes de eu contar?
- Eu precisava de tempo para digerir, para pensar.
- ...
- Depois de vê-lo de mulher, o garoto mais tímido que já conheci em toda a minha vida, acho que você mereci uma chance de mostrar que fiz a coisa certa.

 

Comentários da autora

 --


Comente aqui