Grávida de um Famoso

Escrito por Deborah Fagundes | Revisada a partir do capítulo 11 por Natashia Kitamura

« Anterior


Capítulo 1

Minha cabeça girava e meu sentia tonta, ah não, lá vou eu para o banheiro de novo. Entrei correndo, abri a tampa do vaso e simplesmente joguei tudo para fora. Eu já tava me sentindo fraca, acho que todas as proteínas e vitaminas que eu tinha comido foram embora, fui até a pia e joguei um pouco de água no meu rosto e voltei para a minha mesa de trabalho.
- , você tem que ir ao médico. Você não está bem mesmo. – disse sentando a cadeira em frente a minha mesa.
- Não , eu estou bem. - disse sorrindo para ela. – Acho que vou pra casa, estou morrendo de sono.
- Vem, eu te levo – disse ela pegando as chaves do carro.
- Ok, vou pegar as minhas coisas.
Vamos o caminho inteiro em silêncio, parou o carro em frente a uma farmácia e pediu para que eu a esperasse dentro do carro, minutos depois ela saiu com uma sacola branca um pouco transparente e dava para ver umas caixinhas rosa, não falei nada ela entrou no carro e foi direto para minha casa.
Abri a porta, joguei a minha balsa no sofá e deitei no mesmo, veio atrás de mim, sentou no sofá colocou a sua bolsa do lado das suas pernas ela e me olhou seria, aquele olhar que diz “temos um problema” sentei direito no sofá esperando ela começar a falar.
- você está atrasada? – disse e eu a olhei sem entender (olha quem é lerda é ela) – sua menstruação, tosca.
- Não. – pensei e me lembrei que sim, eu estava atrasada. – Espera, eu to atrasada, .
- Quando foi a última vez que você dormiu com alguém?
- Foi naquela festa que foi Justin Bieber, a One Direction, McFly – disse e sorri. – Pois é, você ficou com JB.
- Ta, momentos bons a parte... – ela deu um sorriso maroto – Você dormiu com quem na festa?
- Hm... Com aquele Harry, como é mesmo o sobrenome dele? – disse estalando os dedos.
- Styles. – disse fazendo cara de óbvio. – Vocês se protegeram?
- Não me lembro, tava um pouco bêbada.
- Vem, você vai fazer um teste de gravidez – ela disse pegando a minha mão e a sacola onde estava a caixa rosa.
- , eu não to grávida – ela me empurrou para o banheiro e abriu as caixinhas e foi entregando para mim.
Fiz os cinco testes, esperamos cinco minutos e eu já esta nervosa e tremendo, a me chamou no banheiro e eu fui correndo para la (lê-se: me matando) ela sorriu e mostrou os testes que estavam soltos na pia os cinco testes todos com duas listras vermelhas. Abracei e comecei a chorar igual a um bebê, como eu ia ser uma mãe solteira? Eu não sei se vou conseguir criar essa criança sozinha.
- , vai ficar tudo bem. – ela disse passando a mão nos meus cabelos. – Você tem o telefone do Harry?
- Não sei... eu... nunca mais... falei com ele. – disse entre soluços, ela se levantou e foi até a minha bolsa e pegou o meu celular.
- Achei – ela disse sorrindo apertou em alguma coisa e colocou o mesmo no ouvido. – Atende vai, atende. – Silêncio. – Harry, aqui é a , amiga da . – Silêncio. – Que bom que você lembra dela. Bom, tenho um assunto sério para falar com você. – Ela disse andando pelo quarto. – Você pode vir aqui na casa dela? Sabe aonde é? – um silêncio eterno – isso mesmo, estamos te esperando, tchau. – ela desligou e veio até mim.
- E ai?
- Ele esta vindo. – ela disse sorrindo. – Agora toma um banho. Vou fazer um chá para você, vai dar tudo certo. – deu um beijo na minha testa e saiu.
Despi-me rapidamente e entrei no box liguei o registro e deixei a água morna cai sobre o meu corpo, um lágrima solitário caiu e logo depois viram as outras, eu soluçava auto, tinha certeza que ouvia o meu choro. Como eu vou cuidar de uma criança sozinha? Será que o Harry vai assumir a criança? Por que comigo?
Saí do banheiro e coloquei uma roupa confortável, eu estava morrendo de sono, será que não podíamos ter marcado com ele outra hora? Olhei-me no espelho e vi que meu rosto estava inchado e meus olhos vermelhos. Desci para sala e logo me entregou um chá que ela tinha feito. Na TV passava Friends, nem ligava para o que estava passando, minha cabeça estava muito longe. Saí dos meus pensamentos quando ouvi a campainha tocando, deu um pulo do sofá e foi até a porta. Abriu e falou algumas coisas que eu nem prestei atenção e logo aquele deus grego estava na minha sala, ele sorriu e eu devolvi o sorriso para ele. entrou na sala e pediu para ele se sentar:
- Bom Harry, temos um assunto muito sério mesmo para falar com você. – disse e ele a encarou confuso.
- Podem falar.
- Você quer contar, ? – perguntou e eu concordei. – Ok, vou deixar vocês sozinhos. – ela se retirou da sala. Fui para o sofá ao lado do Harry:
- Vou ser direta, ta? – ele assentiu e eu simplesmente fechei os olhos e falei: – Eu estou grávida de você. – abri um dos olhos para ver a reação dele e ele simplesmente não fazia nada. Estava ali parado.
- , eu vou indo, qualquer coisa me liga! – disse pegando o sua bolsa. – Tchau Harry. – ele não se mexeu, logo, ouvi a porta se fechando.
- Harry, por favor, fala alguma coisa. – eu segurei a mão dele e fiz um carinho ele me olhou e abriu a boca para falar mais logo fechou-a de volta. – Eu sei que para você está difícil entender isso, mas pelo menos diz uma coisa!
- Não, isso não pode estar acontecendo. – ele disse passando as mãos nos cabelos.
- Mas está Harry, antes que você coloque a culpa em mim, lembre-se que eu não fiz isso sozinha.
- Eu não vou te culpar – ele disse olhando em meus olhos – mas eu preciso pensar um pouco – ele se levantou e me deixou ali sentada naquele sofá branco olhando a parede branca da minha sala. Ouvi o barulho da porta se fechando, me encolhi no sofá e fiquei ali em completo silêncio.

Já eram umas 9 da noite e eu estava sentada na minha cama olhando para a porta que deva para o meu closet, dei um suspiro e não acreditava que eu podia estar grávida de um famoso, eu tinha medo que Harry não aceitasse a criança ou que isso atrapalhasse na carreia dele. Tudo isso estava muito complicado tanto pra mim assim como pra ele também. Queria ver como seria no meu trabalho. A minha sorte que eu só escrevo colunas do jornal e poucas vezes vou cobrir algum evento. Encostei minha cabeça na cabeceira da cama, fechei os meus olhos e fiquei escutando os barulhos dos carros na rua, estava tudo tão quieto, parecia que tudo estava sem vida até meu celular tocar. Peguei o mesmo e vi no visor que estava escrito “Harry” com as mãos tremulas atendi o celular:
- A-alo? – disse com a voz um pouco embargada.
- Oi , é o Harry, gostaria de saber se você gostaria de sair sexta para conversamos sobre esse assunto. – Sei lá o que deu em mim, mas eu sorri:
- Oi Harry, claro, tudo bem, que horas? – disse e eu pude o ouvir rir pelo nariz.
- Às 8 da noite está bom para você?
- Sim – sorri.
- Tchau, até sexta então.
- Até, Harry – disse e desliguei o mesmo. Deite, logo fechei os meus olhos e dei um sorriso. Me cobri de um jeito tão gostoso que logo adormeci.

Acordei atrasada, estava correndo pela casa só com uma saia social procurando a minha camisa rosa, até que eu percebi que a cortina da sala estava aberta e o meu vizinho sexy estava na janela do seu quarto me olhando. Eu juro que fiquei vermelha, corri para a o meu quarto peguei a primeira blusa que vi e o meu sapato. Sai correndo para fora de casa, peguei um táxi e fui para o meu trabalho. Para ajudar, o trânsito estava uma merda. Cheguei correndo no prédio do jornal, entrei na minha sala, joguei a minha bolsa na mesa, olhei para que sorria e falava com alguém no telefone. Ignorei isso, peguei a pilha de papeis que estava em cima da minha mesa e comecei o meu trabalho.
Cheguei em casa completamente acabada, comi alguma coisa que tinha na geladeira e fui dormir. Por que será que agora que eu estou grávida, eu sempre estou morrendo de sono? Já não chega eu ter dormido na minha mesa de trabalho. Tomei um banho e fui dormir, não aguentava mais os meus pés.
Era sexta feira, eu estava dentro do meu closet procurando uma roupa para colocar. Não que eu estivesse gostado do Harry, mas eu queria causar uma boa impressão. Peguei um vestido branco e o meu sapato nude, joguei a roupa na cama e fui tomar um banho um banho rápido (45 minutos). Estava terminando de retocar a minha maquiagem quando escutei uma buzina. Peguei a minha bolsa, desci correndo as escadas, abri a porta e vi o carro preto de Harry estacionado em frente a minha casa. Fechei a porta, entrei no carro e lá estava aquele deus grego usando uma calça jeans escura com uma camiseta preta e um blazer azul escuro por cima, o cheiro amadeirado do perfume dele me deixou tonta. Meu pai, que homem!
- Oi! – ele deu um beijo na minha bochecha que me deixou sem graça.
- Oi! – sorri para ele em vergonhada e ele deu um sorriso de canto.
O caminho foi silencioso até o restaurante, quando chegamos, eu posso dizer que fiquei de boca aberta: o lugar era lindo, simplesmente maravilhoso. Sentamos em uma mesa no meio do restaurante, fizemos nossos pedidos e logo a comida chegou. Claro, eles estavam atendendo Harry Styles, óbvio que eles seriam rápidos. Comemos e ficamos falando algumas coisas sobre as nossas vidas até que eu percebi que Harry queria falar logo sobre o assunto da minha gravidez.
- Harry, por que mesmo você me chamou aqui? – disse séria e ele deu um sorriso fraco.
- , bom posso ter chamar assim? – eu assenti e ele continuou. – Então, eu andei pensando essa semana sobre tudo isso e eu vou assumir a criança. – ele disse e eu dei um sorri e Harry me acompanhou. – Mas antes posso te pedir uma coisa?
- Claro que pode. – sem querer eu toquei na mão dele que fez minha nuca arrepiar com o contado da pele. Que é isso, ?
- Eu comprei um apartamento e quero que você vá morar comigo. – ele disse e eu arregalei os olhos. – Você aceita?
- Harry, pra que tudo isso?
- Eu não sei – ele olhou para baixo por alguns segundos – eu quero cuidar de você, do meu... quero dizer, nosso filho – ele sorriu e eu arquiei a sobrancelha – , nós vamos morar como amigos, a casa é bem grande, tem espaço para você, as suas coisas e também para as coisas do bebê.
- Harry, eu não sei – disse olhando para baixo, ele colocou a mão no meu queixo e delicadamente levantou a minha cabeça.
- Por favor – ele sussurrou e fez uma cara de cachorro sem dono.
- Tudo bem – suspirei e ele sorriu vitorioso.
- Ótimo! Sexta feira estaremos levando a suas coisas para o apartamento – ele sorriu e chamou o garçom.
- Sexta?
- Sim, quanto mais rápido, melhor.
Harry pagou a conta e eu falei para ele que chamaria um táxi, mas ele insistiu em me levar em casa. O caminho foi silencioso, às vezes eu pegava Harry me olhando, ele percebeu que eu o olhava também e logo olhou para o trânsito. Encostei a minha cabeça na janela, fechei os olhos e logo adormeci.
- , – alguma coisa me chacoalhava. – , acorda.
- O quê? – disse passando as mãos nos olhos.
- Chegamos na sua casa – Harry deu um sorriso lindo.
- Ah, obrigada, Harry – fui dar um beijo em nele, mas o mesmo virou o rosto, me fazendo dar um selinho em seus lábios vermelhos. Não sabia o que fazer, até que senti a mão de Harry ir para minha cintura me puxando para mais perto de si, ele contornou os meus lábios com sua língua e logo eu abria a minha boca dando passagem a sua língua quente. Minhas mãos foram até a sua nuca e eu comecei a fazer um carinho em seus cabelos, Harry me puxou para mais perto de si (se é que isso dava). Seu beijo era bom, nossas línguas dançavam e Harry explorava todos os cantos da minha boca, o beijo começou a ficar mais intenso, então eu tinha que parar antes que algo a mais que beijos acontecesse. Separei o beijo dando vários selinhos em sua boca que começava a ter uma cor rosada, ainda estava de olhos fechados, abri calma mente e encontrei aqueles olhos verdes me encerrando. Dei um sorriso fraco e abri a porta do carro, dando um pulo e antes de fechar a porta dei um tchau para Harry.
- Tchau, Harry – dei um sorriso meigo.
- Tchau, – ele disse com um sorriso no rosto e eu fechei a porta, andei até a porta da minha abrindo a mesma, virei para trás e vi o carro de Harry sumir.
Cheguei em meu quarto, tirei a minha maquiagem e coloquei só uma camiseta, isso mesmo, eu ia dormir só de calcinha e uma camiseta, alguma problema? Eu morava sozinha em casa, frio estava sim, mas como a minha cama estava cheia de cobertores, eu sei que no meio da noite eu ai acabar tirando a calça, então vou dormir assim mesmo. Apaguei e a luz e me deitei na minha cama gostosa. Passei a mão nos meus lábios e sorri, o beijo dele era bom muito bom. Dormir pensando em Harry.

Capítulo 2

Passou um mês que estou na casa do Harry. A casa é perfeita, tem cinco quartos todos com suíte, uma cozinha enorme; acho cabia meu antigo quarto dentro dela; a sala era simples, mas era enorme também. Eu e Harry andamos ficando algumas vezes, mas nada que tenha passado de beijos, às vezes eu acordo de manhã e Harry não está em casa, mas sempre fica uma ordinária na cama dele; não que eu esteja com ciúmes, mas a casa também é minha. ia quase todo dia lá em casa, ela se dava bem com os outros meninos da banda, até eu falava e me divertia com eles.
Agora aqui estou eu indo para sala do meu chefe falar com ele, esses corredores cinza e com alguns quadros me irritam, mas graças a mim e a , minha sala é a mais viva do escritório. Entrei na sala de vidro e me sentei em uma das cadeiras brancas em frente a mesa de vidro com uma cadeira preta na frente; eu gostava muito da sala do meu chefe, assim como a minha, tinha uma janela atrás da mesa aonde você via toda a cidade. À noite isso é perfeito, as luzes, às vezes a chuva... é tudo maravilhoso. Meu chefe se sentou na minha frente e ficou me encarando com seus olhos azuis, toda pessoa que entra dentro deste escritório pensa que o chefe é um velho careca que só bebe café, mas na verdade, o chefe é um cara de cabelos pretos, olhos azuis, uma boca rosada que te da vontade de beijar quando ele fala, simplesmente perfeito. E não posso esquecer que o lindo chefe não é casado, olha só que perfeito, o problema é que eu estou grávida. Harry, me lembre de te bater por você esquecer que na primeira gaveta tem camisinha. Chris abriu a boca para falar e eu me segurei para não voar nele.
- , acabou de chegar uma proposta para você – ele disse sério.
- Que proposta?
- De você gravar um programa de entrevista com – ele jogou tipo de uma carta na minha frente. ? Acho que a conheço de algum lugar – você entrevistará bandas, atores, cantores e tudo mais, o programa será de quinta a sábado, das 9:00 às 10:00 da noite – ele disse calmamente para que eu entendesse. – Então, aceita?
- Sim, claro que eu aceito – eu sempre quis trabalhar em um programa de TV. eu estava quase beijando o meu chefe agora – quando eu começo a trabalhar, Mr. Keynes?
- Quinta-feira entrevistará... – ele pegou um papel na mão – One Direction.
- Claro, então até quinta, certo? – me levantei da cadeira confortável e fui até a porta.
- Está dispensada até quinta, – assenti e sai da sala. ? ? Ele me chamou de ?
Cheguei à minha sala contei tudo para enquanto guardava as minhas coisas na minha caixa, eu descobri que ela seria tipo uma assistente. Ficamos pulando igual a duas loucas dentro da sala, as pessoas que passavam por ali ficavam olhando com uma cara feia para nós.
Entrei em casa me arrastando e segurando uma caixa cheia de coisas que cobriam a minha cara, ouvi alguns xingamentos e reconheci a voz do Zayn e do Harry, andei mais um pouco e me deparo com cinco meninos jogados pela sala com pacotes de salgadinhos e caixas de pizza, e umas garrafinhas de cerveja. Disse um oi e fui andando ate o meu quarto. Joguei a caixa no chão do meu quarto e fui tomar um banho, me despi rapidamente e entrei debaixo do banheiro e deixei a água cair sobre o meu corpo. Depois de um banho e de ter colocado uma roupa confortava fui até a sala:
- Oi – Liam disse e veio me abraçar.
- Oi Liam – dei um beijo na sua bochecha. – Oi meninos.
- Oi pequena – Harry disse.
- O que tem para comer? – sentei do lado do Louis e encostei a cabeça no seu ombro, éramos amigos, então não fazia mal.
- Pizza de calabresa – Niall me entregou um pedaço e aquele cheiro da pizza fez meu estomago embrulhar, aquilo estava me dando ânciã.
- Tira isso de perto de mim, tem um cheiro horrível e ta me fazendo passar mal – disse e Zayn me olhou estranho.
- Mas você disse que essa é a sua preferida – Zayn disse colocando um pedaço de pizza na boca. Ai, como ele consegue?
- Não é mais, isso é horrível – disse fazendo uma careta e me levantando do sofá. – Vou ver o que tem na geladeira.
Abri a geladeira e não tinha nada saudável e gostoso, só tinha cerveja e uma vodka, abri o armário: bolacha, salgadinho, cereal, salgadinho, chave de um carro, salgadinho e uma coca-cola... o que isso ta fazendo aqui? Peguei uma cerveja e um pacote de salgadinho e fui até a sala, Louis me olhou estranho, mas não falou nada.
- Harry, você vive só disso? – mostrei a cerveja e o salgadinho.
- Basicamente – ele deu de ombros.
- Olha, naquela geladeira só tem cerveja e vodka – disse incrédula. – Eu to morrendo de vontade de tomar uma vodka sozinha, mas eu não posso porque você esqueceu que tinha camisinha na primeira gaveta. – disse e os meninos riram. – Vou ao mercado e depois no Nando’s. Niall, vem comigo?
- Sim – ele se levantou e ficou procurando a chave do carro. – Cadê a chave?
- No armário da cozinha – disse e fui andando até o meu quarto, troquei de roupa e voltei até a sala à procura de Niall.
- Vamos? – Niall apareceu na minha frente com um sorriso fofo.
- Sim.
No mercado compramos tudo o que era saudável, eu e Niall riamos igual a duas crianças. No Nando’s foi a mesma coisa. Niall me deixou em casa, ele me ajudou a levar todas as sacolas para a cozinha e depois foi embora, comecei a guardar as coisas até que senti dois braços enormes a minha volta. quando senti o toque da sua pele, eu me arrepiei. Acho que ele percebeu, pois deu uma risada:
- Bem que você podia me ajudar com isso, né?! – disse ele pegando algumas coisas na sacola.
- Claro – ele pegou algumas coisas e foi guardando – quinta eu e os meninos temos uma entrevista às 9:00 da noite então não vou estar em casa.
- Eu sei – peguei mais algumas coisas. – Eu também não vou estar em casa.
- Sabe? Vai estar onde? – ele me perguntou e terminou de guardar as últimas coisas enquanto eu guardava as sacolas.
- Sim, eu quem vou entrevistar vocês, o programa é meu e da .
- Parabéns – ele me abraçou e eu me senti tão bem, sei lá, ele me trás uma segurança. Olhei para Harry e fiquei encarando o mesmo, ele baixou o olhar para a minha boca, foi chegando mais perto ate que as nossas bocas se tocaram, o beijo era calmo até que ficou intenso, mas nenhum de nos queria parar com isso.
Harry foi andando comigo até o corredor, ele apertou a minha coxa me fazendo enroscar as minhas pernas na sua cintura, ele andava comigo até um dos quartos, de repente senti uma coisa gelada nas minhas costas. Harry tentava abrir a porta, depois de um tempo tentando, ele abriu e foi me levando até a cama me deitou na mesma e deitou em cima de mim. Minhas mãos estavam por dentro da sua camiseta branca, ele se arrepiava com o meu toque, fui levantando a sua blusa e o mesmo ajudou a tirar, o beijo parou por alguns segundos para Harry retirar a sua blusa e logo voltou a colar nossos lábios, puxou a minha blusa rapidamente e começou a beijar o meu pescoço me fazendo soltar um gemido baixo.

Acordei por causa dos raios de sol que batiam em meu rosto, abri os meus olhos e... Espera, aquele não era o meu quarto, e por que tem alguma coisa subindo e descendo embaixo de mim? Olhei para cima e encontrei Harry dormindo tranquilamente, eu tinha um lençol por cima de nos, olhei para baixo e dei um gritinho eu tava sem roupa, e o Harry também, de novo aconteceu.
- Bom dia pequena. – Harry sussurrou em meu ouvido me fazendo arrepiar.
- Bom dia Harry. – dei um sorriso fraco.
Bom, nosso dia foi assim chato, assistimos a um filme, comemos e depois dormimos, cada um em seu quarto com sempre deve ser, só que eu queria estar dormindo com o Harry, sei lá, ele me faz bem e quando eu falo com ele fico com borboletas no estômago, o que estava acontecendo comigo.
Quando em deitei, bateram na porta do meu quarto. Abri a porta e me deparei um Harry só de boxer preta e cabelos bagunçados na minha porta.
- Harry, o que você q... – fui calada por um beijo.

Capítulo 3

Certo, escreve ai, perguntar que porra o Harry está fazendo. Ele aparece no meu quarto pra me beijar, o que é isso? Invasão? Não tenho mais privacidade? Ta isso não tem nada a ver, mas enfim:
- Harry o que é isso? – o empurrei para longe.
- Desculpa – ele saiu.
Ele saiu. ELE SAIU E ME DEIXOU NA MAIOR CARA DE TAXO. O que foi isso Harry? Fechei a porta e me joguei na cama tentando dormir, rolava e tentava ficar de todos os jeitos confortáveis, mas não conseguia dormir. Mas que porra foi essa?

Harry’s POV on

Eu não conseguia dormir, ficava rolando tentando dormir, mas eu não conseguia. O flash da noite anterior ficava na minha cabeça. Eu não sei o que deu em mim, mas eu me levantei e fui em direção a quarto de , bati na porta, e ela toda linda com a sua camisola indo ate metade das suas coxas. E que coxas! Eu sentia a minha boxer mais apertada e quando percebi, minha boca já estava colada na dela. O que eu tava fazendo? Ela me empurrou para longe e perguntou o que eu tava fazendo. Só pude responder:
- Desculpa – e sai deixando ela parada ali sem entender nada, entrei no meu quarto, sentei na cama, passei a mão nos meus cabelos e comecei a estapear a minha cara – Idiota, idiota, idiota! Um idiota é isso que eu sou.

Harry’s POV off

Acordei e fui tomar um banho. Hoje eu queria ficar sozinha, não iria ver a e nem iria ao parque, queria ficar em casa, no meu quarto, assistindo à TV e dormindo. Tudo que aconteceu ontem ainda estava em minha cabeça, eu me sentia estranha, não entendi nada, estava confusa.
Entrei no banheiro e me despi rapidamente; andei até o box, mas acabei parando de frente ao espelho, virei de lado e fiquei olhando a minha barriga. Não estava grande, mas eu a alisava como se estivesse com seis meses, dei um sorriso bobo e entrei no box. Liguei o chuveiro e fiquei quieta ali deixando a água cair no meu corpo. Sai do banheiro enrolado em uma toalha branca felpuda e fui em direção ao meu closet, joguei a toalha no chão e fiquei andando dentro do meu closet, peguei uma calcinha e um sutiã diferentes, eu não pretendia dormir com ninguém mais, queria levar a minha vida entre eu e o meu filho, só, sem Harry, sem caras bonitos e sem o meu chefe (droga por que sem o chefe mesmo?). Coloquei uma roupa confortável e fui até a cozinha, peguei tudo que era necessário. Comida e bebida. Pronto, meu dia está perfeito, andei até o meu quarto, mas parei no meio do caminho vendo a porta do quarto de Harry aberta, ele não estava lá, mas o cheiro dele sim. Sentei na cama dele e fiquei lá sentindo o cheiro dele, aquele cheiro não me deixava enjoada como os outros, eu fiz o Liam trocar o perfume dele. Mas o do Harry era diferente, era bom, tinha um cheiro amadeirado, sei lá, era maravilhoso o cheiro dele. Sai do quarto dele e fui para o meu liguei a TV, passava Friends. Poxa, toda vez que eu ligo a TV ta passando isso, pelo menos eu gosto, né?
E praticamente o meu dia foi isso, comer, beber e assistir todos os seriados que existem, legal não? Não, cansa ficar sentada sem fazer nada. Harry já estava em casa, ele só veio no meu quarto perguntar se eu queria jantar, mas eu disse que não, estava bem assim, só eu e meu bebê, era bom ficar assim. Não era bom nada, quem eu estou querendo enganar? Eu nunca fui assim. Eu queria minha vida de volta.
- , sai desse quarto – Harry entrou no meu quarto e sentou na ponta da minha cama – você ta aqui o dia todo.
- Eu já sai daqui – disse olhando para TV.
- Ir até a cozinha não conta – pegou o controle da minha e desligou a TV, eu falei um “ei!”, mas ele simplesmente ignorou. – Venha, vamos sair.
- Não, eu vou dormir. – virei de lado e me cobri.
- Não, você não vai. – ele me descobriu e me pegou no colo.
- Harry, me solta! – eu batia no ombro dele e ele não fazia nada. – Me coloca no chão!
- Agora você só sai daí quando colocar uma roupa – ele me trancou dentro do meu closet e eu comecei a esmurrar a porta.
- HARRY, ME TIRA DAQUI! – eu chutava a porta feito uma louca.
- Não, agora se veste e nós vamos sair.
- EU TE MATO, HAROLD!
Peguei uma roupa e me vesti rapidamente, arrumei o meu cabelo olhando no espelho que tinha no meu closet, bati na porta e falei que estava pronta e ele abriu a porta com um sorriso maroto. Ah, vai se foder Harold, te odeio viado.
Entramos no carro e fomos até um restaurante perto de casa, era simples, mas bonito e a comida era boa, isso que importava.
Quando voltamos para casa eu simplesmente corri para o primeiro banheiro e joguei tudo pra fora, a maioria das coisas que eu comia ia por água a baixo, Harry apareceu na porta e depois andou até mim, se baixou e segurou o meu cabelo. Abaixei a tampa e dei a descarga; fui até a pia e joguei água no meu rosto, eu me sentia estranha, sei lá, uma bulêmica, tudo que eu comia eu jogava fora.
- Ta melhor? – eu olhava o espelho e vi a imagem de Harry atrás de mim, dei um sorriso fraco e sai do banheiro.
- Vou dormir, boa noite – andei até o meu quarto e simplesmente me joguei na cama, eu estava morrendo, não sentia os meus pés. Fechei os olhos e só os abri às onze da manhã, sono de princesa, o meu.

Capítulo 4

Estava sentada na cadeira giratória preta enfrente ao grande espelho aonde em cima do mesmo tinha duas lâmpadas amarelas ligadas, tinham vários produtos de beleza na frente do espelho, tinha acabado de colocar meu vestido, ele era um tomara que caia branco, era apertado fazendo a minha barriga pequena ficar visível, estava usando um sapato nude. Bateram na porta e logo entrar duas maquiadoras e vieram ate a cadeira onde eu estava e começaram a minha maquiagem.
Elas saíram e eu me olhei no espelho, a maquiagem não era forte, mas sim simples meus olhos estavam com um coral quase nude, minha boca só tinha o brilho do gloss, para mim estava perfeito, não gosto de coisas muito pesadas. Pedi para Chris comprar um sorvete de pistache, eu não gosto desse sorvete, mas estava com desejo. Estava quieta esperando Chris chegar quando alguém bateu na porta. Andei até a mesma e abri levando um susto.
- ? - disse sem acreditar no que via.
- ? - ela disse também assustada.
- O que faz aqui? - perguntei dando um abraço nela.
- Eu que te pergunto - ela sorriu. - Sou apresentadora do programa.
- Eu também - disse e bati no sofá para ela se sentar. - eu não liguei os fatos quando Chris me disse sobre você.
- Eu também não - rimos e Chris abriu a porta, ele olhou para que também o encarou. Parou a putaria com o meu chefe.
- Está aqui , seu sorvete de pistache - ele me entregou uma caixa branca com o desenho do sorvete na tampa e me entregou uma colher de plástico rosa com desenho de ursinhos.
- Sério, pode dar a outra colher - eu disse entregando a colher rosa para ele.
- Por quê? Você tem que entrar no espírito - ele disse e eu o encarei confusa.
- Que espírito Chris? - disse e ele bufou.
- Toma a sua colher - ele me entregou uma colher de verdade, pegou a outra e saiu. Abri aquele pote de sorvete pegando uma colher cheia de sorvete e colocando na boca, fechei os olhos e fiquei ali saboreando, cara isso é bom:
- , você nunca gostou de sorvete de pistache - disse me olhando estranho - e por que você está com essa barriguinha - eu fique em silêncio encarando-a e ela se tocou: - VOCÊ TA GRÁVIDA?!
- Shhh, eu to - disse colocando mais uma colher na minha boca - Não grita!
- Ai.Meu.Deus - ela disse colocando a mão na boca - Quem é o pai?
- Harry Styles - disse com a boca cheia de sorvete ela me olhou assustada. - Desculpa.
- HARRY STYLES, COMO ASSIM? - eu tinha certeza que todo estúdio ouvia e também acho que Harry se assustou ouvindo o seu nome.
- Harry Styles da banda One Direction - disse com a maior cara de óbvio. -, e você sabe como aconteceu.
- Vocês estão namorando?
- Não. - eu disse e ela ficou com um olhar confuso. - Um acidente em uma festa.
- Certo - ela se levantou. -, vou para o meu camarim, até mais - ela deu um beijo na minha bochecha e saiu.
Fiquei mexendo no meu celular, até alguém de novo bater na porta. Abri e Niall estava parado ali sorrindo igual a uma criança, ele me abraçou, disse boa sorte e saiu. Meu melhor amigo é escroto.
Agora estava sentada no sofá branco esperando chegar, a plateia estava cheia, assistentes andavam para todos os lado, tinham algumas maquiadoras arrumando os meninos que estavam do outro lado do estúdio. chegou correndo quase caindo e sentou ao meu lado sorriu; e eu também, olhei para baixo e vi sua pulseira com a bandeira da Irlanda, ela estava usando um vestido verde com um sinto preto na cintura e seu sapato também era preto. brotou do nada e entregou os papeis do programar para mim e deu um beijo na minha testa e saiu. Eu e líamos os papeis, levantei o meu olhar e vi que Harry me olhava, ele abriu um sorriso e eu sorri de canto, voltei meus olhos ao papeis na minha mão. Viramos para câmera e sorrimos quando o diretor disse que em dez segundos estávamos no ar.

Capítulo 5

- Boa noite, Londres - disse sorrindo. - Eu sou Karin.
- Eu sou - disse sorrindo para câmera. - Hoje no LOF [n/a: Live Of a Famous] vamos conversar com uma banda que é a sensação do momento - sorri e senti se ajeitar atrás de mim. - São cinco garotos...
- E nós só temos quatro lugares - disse e todos riam.
- Não, tem cinco lugares - disse olhando para ela. - Três estão solteiros - disse e sorri malicioso fazendo a plateia rir.
- E dois estão namorando - fez um cara de triste e a plateia riu mais ainda.
- Hoje estamos com a One Direction! - a plateia começou a gritar quando os meninos apareceram acenando. Eu e levantamos e fomos cumprimentar os meninos. Andamos até eles e foi primeiro abraçando Zayn, depois Louis, Niall, Liam e Harry, eu fui atrás dela, quando eu fui abraçar Liam, ele arregalou o olho e olhou para o meu decote, quando ele voltou olhar para cima viu que eu estava assustada e começou a ficar vermelho, os meninos e riram baixo, menos Harry, que estava sério, abracei Harry e fui para meu lugar. Os meninos se sentaram e Liam continuava vermelho e eu me segurava para não rir.
- Bom, meninos, como é estar em primeiro nas paradas? - disse virando de lado para olhar para eles.
- É incrível - Louis disse sorridente. - Nunca pensamos que poderíamos chegar até esse nível.
- E as fãs? - perguntei e Zayn logo respondeu:
- São incríveis também.
- Todas são divertidas, atenciosas - Niall respondeu,
- Nos divertimos muito com elas nos shows, entrevistas e tudo mais - Harry finalmente colocou um sorriso na cara.
- Bom Harry, vimos que você comprou uma casa nova - disse e aparecia umas fotos da minha casa e de Harry na TV.
- Sim, eu preciso de mais espaço para as coisas que estão lá em casa - ele disse e riu e eu o olhei incrédula.
Ficamos fazendo perguntas para os meninos por um bom tempo, até que chegou umas fotos de Niall no mercado quando eu olhei, vi que tinha eu nas fotos, quase morri, será que alguém ia perceber?
- Niall, essa é sua amiga? - perguntou.
- Sim, minha melhor amiga - Niall sorriu e olhou para mim, eu retribui o sorriso.
- Awn, que fofo Niall - disse sorrindo igual a uma boba. - Então, vamos para as perguntas da plateia.
- Oi - uma menina loira de óculos disse. - Desculpa a pergunta, mas Liam por que ficou vermelho no começo do programa? - eu me segurei para não rir, acho que todo mundo também, menos o Liam:
- Me deu um pouco de febre - Liam sorriu e fã se sentou com uma cara "e eu sou o Batman".
- Próxima - disse.
- Olá - Uma menina morena perguntou uma coisa que eu fiquei imóvel olhando para Harry. - Harry, qual foi a sua reação ao descobrir que ia ser pai?
- Bom, quando ela me contou, eu fiquei imóvel - ele disse olhando disfarçadamente para mim. - Mas depois que eu fiquei um tempo pensando, eu percebi que isso seria a melhor coisa do mundo para mim - ele disse, e quase agarrei ele ali na frente de todo mundo.
- Niall, você gosta de garotas que usam roupas verdes? - Uma menina ruiva perguntou e eu pensei "indireta para ".
- Acho legal - Niall respondeu sorrindo.
Depois de umas perguntas na plateia nos fomos para as do twitter, estavam engraçadas igual as respostas dos meninos, eu e Harry ficamos quietos e todos olharam para nós, leu a pergunta e Harry me encarou perguntando se ele podia falar eu simplesmente assenti:
- "Harry, qual é o nome da mãe do seu filho?" de Jessie K. - falou.
- Hm - Harry respirou fundo e falou - .
O clima ficou meio tenso depois disso acabou o programa e todos nós fomos em uma pizzaria. Estava rolando um clima entre Niall e , Liam e . Ficamos até meia noite e pouco na pizzaria e depois fomos embora. Harry colocou o carro na garagem e quando ele estava preste a desse eu puxei seu braço:
- Harry, me leva no colo - estendi meus braços para ele.
- O quê?
- Eu to com dor nos pés, por favor - disse fazendo bico ele sorriu e saiu do carro dando a volta no mesmo, abriu a porta do meu lado e me pegou no colo, abri a porta para ele, então andamos até o meu quarto. Harry me deitou na cama e antes que ele saísse eu puxei a mão dele:
- Eu sei que é pedir demais, mas você pode fazer massagem no meu pé? - disse e ele sentou na cama, tirou o meu sapato e começou a fazer a massagem. Sorri de leve e fechei os olhos sentindo toda a dor que latejava em meu pé ir embora. Quando Harry terminou, deu um beijo na minha testa:
- Boa noite, princesa - eu sorri e ele fechou a porta e pagou a luz, me lembrei do meu pai me colocando para dormir.

Capítulo 6

Já passaram dois meses e aqui estou eu, com quatros meses e com a minha barriga. Hoje vamos descobrir o sexo do bebê, estou tão calma, diferente de Harry que está quase parindo na minha frente. Ele não comeu nada e agora são 2:45 da tarde. Finalmente estamos chegando ao hospital, antes que Harry de uma cria aqui. Entrei no hospital todo branco e com umas cadeiras brancas estofadas, Harry entrou segurando a minha mão, era tão bom. O toque dele era quente e me passava uma segurança tremenda. Depois de um tempo na sala de espera, o médico nos chamou, eu e Harry andamos de mãos dadas atrás dele. Chegamos à sala e ele pediu para eu me deitar na maca, Harry sentou-se na cadeira ao lado de mim e continuou a segurar a minha mão, cujos dedos agora estava entrelaçada nos dele. O médico colocou um gel na minha barriga fazendo eu me arrepiar pelo contado com a minha pele quente, pousou um aparelho sobre a minha barriga e logo começou a mexer com ele por toda extensão da mesma, Harry agora alisava a minha mão com seu dedão e eu olhei para o lado e sorri, ele retribuiu o sorriso.
- Parabéns, vocês serão pais de... - o medico nem terminou de falar e Harry gritou.

- UM MENINO – Harry deu um grito fazendo eu e o médico nos assustarmos.
- Parabéns e... – de novo Harry interrompeu o medico fazendo ele o fuzilar com o olhar.
- UM MENINO, EU VOU SER PAI DE UM MENINO – Harry pulava sem parar até que eu bati na sua perna o fazendo calara a boca.
- Nos vemos na próxima consulta Sra. – ele nos levou até a porta.
- É UM MENINO – Harry me pegou no colo e me rodou.
- Sr. Styles, por favor, não grite – o médico abriu a porta atrás de nos e eu ri:
- Desculpa – ele disse envergonhado.
Dentro do carro, Harry não parava de gritar e dizer que era um menino, nunca vi alguém tão feliz como Harry estava. Eu estou feliz, agora sei que é o meu pequeno, aquele que vai ter vergonha de quando eu der um beijo na sua bochecha na frente dos amigos, mas aquele que eu também vou tentar ser a sua melhor amiga, eu aprendi com a minha mãe que a sua melhor amiga é a sua mãe. Chegamos em casa e primeira coisa que eu fiz foi ir para cozinha pegar o meu bolo de chocolate e sentar no sofá, Harry estava no telefone com os meninos dizendo que era uma reunião de emergência, ligou para as meninas também e logo se sentou ao meu lado com o sorriso bobo. Coloquei o prato na mesinha de centro e me sentei no sofá jogando a cabeça para trás, estava pensando em tantas coisas que só voltei à realidade quando senti uma mão quente na minha barriga, olhei para baixo e vi a mão grande de Harry fazendo carinho na minha barriga, ele sorria bobo e eu sorri também coloquei a minha mão encima da dele fazendo-o me olhar assustado sorri e ele retribuiu o sorriso, fiz um carinho em sua mão e depois fiz passei a mão na sua bochecha o fazendo fechar os olhos, ele vinha mais perto até nossos lábios se tocarem ficamos um minutos com os lábios colados quando Harry foi dar início ao beijo a campainha tocou, Harry deu mais um selinho em mim e saiu. Mas que merda de campainha.
Estávamos todos sentados e Harry estava em pé enfrente a TV com o sorriso na cara, todos o olhavam estranho era até engraçado de ver essa cena.
- Qual é o problema? – Louis disse.
- EU VOU SER PAI DE UM MENINO! – Harry gritou fazendo se assustar por estar prestando atenção em suas unhas – UM MENINO, UM MENINO!
- HARRY, SE CONTROLE! – deu um tapa em sua cara e todos riram.
- Parabéns me abraçou e logo abraçou Harry. Os meninos e fizeram o mesmo.
- Qual é o nome? – Liam perguntou.
- Não pensamos ainda – disse Harry.
Ficamos conversando por um bom tempo e logo todos foram embora, eu me levantei para tomar banho e passei na frente do quarto de Harry e vi que estava a porta aberta, me encostei ao batente da porta, procurei Harry até que o encontrei na varanda. Ele estava muito pensativo, olhava para o ceu é sorria. Foi para meu quarto e entrei no banheiro, me despi e então entrei no box, fiquei pensando como seria o meu pequeno, a cor do se cabelos, olhos, como seria forma de sua boca, sua voz, tudo que eu podia imaginar comecei a pensar em nomes vários vieram a minha mente, sai do banheiro e coloquei uma roupa confortável e fui até a cozinha.
Quando cheguei na sala, Harry estava sentado no sofá olhando para TV desligada, quando percebeu a minha presença sorriu e bateu no sofá para me sentar ao seu lado.
- Andei pensando em um nome – ele disse olhando para mim.
- Eu também – disse me perdendo em seus olhos verdes e borboletas brincavam no meu estomago, foco foco – Qual nome você pensou?
- Fala você – ri.
- Sean.
- Edward – ele disse junto comigo, rimos.
- Styles – disse depois que paramos de rir.
- Certo será Sean Edward Styles – Harry disse. – Quero te apresentar à minha mãe, você tem alguma coisa amanhã?
- Não, por quê? – comecei a brincar com a mão dele.
- Porque nos vamos para Holmes Chapel – ele disse e me abraçou. Não entendi o porquê, mas retribui o abraço – saímos às oito da manhã.
- Certo, então vou dormir – quando fui me levantar Harry me puxou e me beijou, seu beijo era calmo e me trazia uma paz sem igual, coloquei meus braços em volta de seu pescoço, Harry cortou o beijo me dando um selinho fiquei uns minutos com os olhos fechados abri-os devagar vendo Harry me encarando – Boa noite.
- Boa noite.

Capítulo 7

Olha as árvores passando e ficava pensando em várias coisas. Estava tão cansada que acabei fechando os meus olhos e dormindo. Acordei quando o carro parou na frente de uma casa branca, com uma sacada aonde tinha umas cadeiras e um escada para subir na sacada aonde tinha um casal sorrindo, deviam ser os pais do Harry, desci do carro e parei ao lado de Harry pegou a minha mão e andou ate a escada aonde estava sua mãe e seu padrasto como Harry tinha me dito hoje de manhã.
- Olá, sou Anne – mãe de Harry me abraçou e sorriu. – Você é a , certo?
- Sim, prazer Anne – sorri e o padrasto de Harry veio até mim enquanto Anne abraçava o filho.
- Prazer , sou Robin – ele me abraçou.
- Prazer.
- Venham, entrem – Anne pegou a minha mão e me levou até a casa. A casa era linda demais! Toda ela me lembra a minha primeira casa quando eu vim para Londres. Uma garota desceu a escada correndo e pulo no colo de Harry acho que deve ser a sua irmã.
- Gemma, essa é – Harry me apresentou a ela.
- Prazer , benvinda à família Styles – ela me abraçou e eu achei estranho o que ela disse não era nada de Harry para ser da família.
- Eu arrumei o quarto do Harry para vocês – mãe de Harry disse toda sorridente. O antigo quarto de Harry era azul e tinha uma cama de casal com lençóis brancos. Harry e Robin colocaram as malas no chão – bom, depois desçam para o almoço – Anne fechou a porta.
- Você não disse para eles que não somos namorados? – perguntei.
- Eu esqueci, desculpa – Harry deitou na cama e começou a mexer no seu celular.
- Vou tomar um banho – peguei uma toalha e foi para o banheiro. Ainda estava tomando banho quando Harry me chama:
- ? – eu olhei para a porta e lá estava ele.
- AAAH HARRY! – peguei a tolha e me cobri.
- Já vi você pelada – ele deu um sorriso malicioso e sentou no vaso de costa para o box – quero tomar banho.
- Venha tomar comigo – falei brincando dando uma risada, uns minutos depois vi o boxer sendo aberto o Harry entrando – eu tava brincando.
- Mas não parecia – ele sorriu e entrou debaixo do chuveiro, peguei a toalha e sai do box – vai aonde?
- Já terminei meu banho – ouvi Harry bufar sai do banheiro e gritei. – SAFADO!
- GOSTOSA! – que vontade voar nele – AGORA VOCÊ FALA GOSTOSO!
- MORRE HARRY – gritei e ri.
Estava sentada na cama assistindo TV esperando Harry sair do banheiro, ele tinha pedido para eu o esperar. Faz quase meia hora que eu estou aqui olhando para essa TV, eu sinto que a minha bunda ta quadrada, Harry finalmente saiu do banheiro só com uma calça jeans e uma toalha jogada envolta de seu pescoço, seus cabelos estavam molhados o deixando mais sexy, um arrepiou passou pela minha espinha quando ele passou em minha frente vestiu uma camisa e me chamou para descer. Gemma e Anne terminavam de colocar a mesa, Harry se sentou e pediu para eu sentar em seu lado, fiz o que ele pediu logo Anne serviu o almoço.
Estávamos conversando quando enquanto Anne comíamos uma sobremesa que Gemma tinha feito, a família de Harry era muito divertida eles era queridos me sentia em casa.
- Qual é o nome? – Anne perguntou toda sorridente.
- Sean – disse.
- Que lindo – disee Gemma – Por que você escolheu esse?
- Tu li em um livro e gostei do nome.
- O nome do Harry eu... – Robin interrompeu Anne.
- Harry, vamos assistir o jogo? – Rabin disse e nos rimos.
- Claro - Harry se levantou e foi atrás de Robin.
- Mãe, eu tenho que sair – Gemma deu um beijo na bochecha da mãe – Tchau .
- Tchau - disse, Anne se levantou pegando os pratos e levando para a cozinha. Fui atrás dela e comecei pagar as coisas para lavar a louça.
- Não precisa querida – Anne tentou pegar a esponjada da minha mão.
- Não, tudo bem. - comecei a lavar a louça enquanto Anne secava e guardava. Estávamos quietas nem uma de abria a boca nem para cantar algo.
- Obrigada por fazer o Harry feliz – Anne disse isso e eu me assustei.
- O quê? – a fitei.
- Harry mudou muito depois que soube que ia ser pai. – ela riu. – No dia em que você o contou ele me ligou dizendo o quanto estava feliz, sabia que por um lado era estranho ser pai com dezoito anos de idade. Harry está feliz eu percebo isso ele gosta de você, se sinta uma garota de sorte. Ele parece aqueles que pega qualquer uma, mas ele sabe amar. É um bom garoto, Harry não é assim como todos pensam, ele é bom e gosta de você – ela disse e eu fiquei sem palavras não sabia o que falar, aquilo veio da mãe dele era um pouco estranho – quantos anos querida? - Vinte – disse voltando um pouco para a realidade.
- Harry não muda mesmo – rimos.
Eu e Anne estávamos sentadas na cama do quarto de Harry conversando até que Harry entrou no quarto:
- Posso roubar a um pouquinho? – Ele disse sorrindo para mãe.
- Claro meu amor – Anne deu um beijo em sua bochecha. – Cuide bem do meu filho.
- Sim – ri. Ela acha mesmo que sou namorada dele.
- Venha, quero te mostrar uma coisa. – ele me puxou para fora do quarto.
- Aonde nos vamos? – perguntei quando chegamos no carro.
- Quero te mostrar um lugar – ele deu a partida no carro.

Capítulo 8

Estávamos sentado no banco de um parque, era lindo aquele lugar as crianças brincavam e corriam sem parar eu ficava imaginando quando Sean estaria correndo assim também, Harry me contou que ele ficava horas naquele parque pensando quando o contei que estava grávida, ele disse que gostaria de estar aqui para pensar. Eu olhei para Harry, deviam ter umas cinquenta meninas tirando foto com ele, Harry era querido demais com as fãs, gostava do jeito que ele as tratava, depois que todas saíram uma menina ignorou Harry e veio até a mim, achei que ela ia voar em mim:
- Você é tão linda – ela disse com um pouco de vergonha. – Posso te abraçar?
- Claro – me levantei e dei um abraço nela.
- Obrigada por fazer o Harry feliz – ela disse separando o abraço. – E parabéns pelo bebe.
- Obrigada – dei um beijo em sua bochecha e ela deu um abraço em Harry e foi embora.
Voltamos para casa e jantamos, eu subi e me joguei na cama, estava muito cansada. Harry me acordou às oito da manha dizendo que queria voltar Londres, me arrumei e voltamos para nossa cidade. Anne me deu um abraço e disse que eu já era da família, assim como Gemma disse. Harry foi a viagem inteira cantando. Ele começou a cantar umas música infantis, me fazendo rir.
- Você é diferente – ele disse depois que eu gargalhei. – Tem um gargalhada gostosa.
Estava sentada no sofá quando literalmente e invadiram a minha casa, levei um susto, Harry apareceu de boxer na sala fazendo as meninas corarem, ele reagiu normal, nem ligou para elas e sentou no sofá:
- Temos presente para o Sean – elas tiram dois pacotes de presente da sacola.
- Como vocês sabem o nome dele? – disse sem entender.
- Harry colocou no twitter – olhei para ele que agora mexia no celular.
- Abre – me deu um pacote azul, quando abri os olhos de Harry brilharam uma camiseta do Ramones para bebe, ri com a reação de Harry cantou a camiseta da minha mão e tirou uma foto.
- Que lindo – disse pegando o pacote de presenta de , abri e uma roupa branca com escritas azuis na camisa estava escrito “Styles” no sapatinhos estava escrito “” – que perfeito meninas!
- Mais que perfeito – Harry babava na camiseta ainda.
- Eu sei, sou uma ótima madrinha – disse. lhe deu um tapa – Bom, eu vou indo, tenho que achar uma roupa pra o meu encontro.
- Com quem? – perguntei.
- Niall Horan – ela disse e Harry tirou os olhos da camiseta para fitá-la.
- Também vou indo – deu um beijo na minha bochecha e sai atrás de .
Peguei meu notebook e entrei no twitter, eu tinha milhões de seguidores e várias garotas estavam me xingando, ta em alemão, e como elas descobriram que eu sou brasileira?

Sete da noite e eu sozinha em casa, Harry foi para uma reunião com os meninos e eu fiquei aqui, assistindo desenho animado enrolada em uma coberta bebendo um chá, me ligou e disse que quando Niall a deixou em casa e foi direto para reunião, mas na verdade eu não estava me importando só liguei para ela para ver se eu saia do tedio. Vou lhe dizer algo, É HORRIVEL ESTAR GRÁVIDA SEM MARIDO E TEM QUE FICAR VEGETANDO. Desliguei a tv e fechei os olhos e fiquei pensando na minha vida ate de acabei dormindo.

Estava em um pub no centro de Londres, as pessoas dançavam ate eu percebi que a minha volta estava vários cantores, atores quando percebi eu estava na área VIP do pub andei ate o bar e pedi uma cerveja não estava a fim de me embebedar, olhei tudo em volta e percebi que já estava se agarrando com um cara, minha melhor amiga só está ficando com o Justin Bieber... O QUE? Ignorei isso mesmo sendo um pouco surpreendedor para mim, minha cerveja tinha acabado decidi dançar um pouco.
Uma musica que não conhecia tocava, estava dançando nem ligando para o que as pessoas achavam ate que olhei para o sofá um cara me olhava de encima em baixo, ignorei e continuei a dançar. Uns minutos depois senti alguma coisa atrás de mim, uma respiração batia no meu pescoço me fazendo ficar arrepiada.
- Como uma moça linda pode dançar sozinha? – me virei e me deparei com os olhos verdes mais intensos que eu já vi
- É o que aconteceu quando sua melhor amiga te deixa só – disse sorrindo – Prazer
- Direta não?! – ele sorriu e ignorou a minha mão e colocou as mãos na minha cintura – Harry. Acho que deve me conhecer – depois que ele disse isso eu percebi quem ele era
- Sim – coloquei minhas mãos em volta de seu pescoço – Harry Styles
Um bom tempo depois eu estava rindo igual a uma retardada sentada no bar conversando com Harry ate que ele parou de rir e me encarrou
- O que foi? – sorrindo olhando para ele
- Você é tão... – ele não disse nada e colou nossos lábios, depois tudo não passava de flashes na minha cabeça

Acordei com uma dor nas cotas me levantei e percebi que tinha dormido no sofá, peguei a minha coberta e fui para o meu quarto quando sentei na minha cama um flash do meu sonho passou na minha cabeça, aquele lugar, aquela musica, as bebidas eram tão conhecidas por mim. Espera, eu acabei de sonhar quando eu e o Harry se conhecemos , escutei um barulho de porta se fechando olhei para o relógio ao lado da minha cama três da manhã, não achava que a reunião de Harry seria tão tarde assim.
Acordei com um barulho irritante segurei o meu despertador e o ataquei literalmente no chão ouvindo barulho de algo sendo quebrado, Harry entrou correndo no meu quarto e simplesmente me cobri e voltei a dormir.
- O que aconteceu? – ele me disse o fitei
- Taquei meu despertador no chão, por quê? – disse com os olhos serrados por causa da claridade
- Percebi que gosta de acordar cedo – ele pegava os cacos de vidro e o despertador – Você está atrasada – ele disse saindo do quarto e eu corri para o banheiro
Tomei um banho mais rápido que pude, catei a roupa mais descente que vi na frente corri para a cozinha peguei uma maça e a chaves do carro e sai igual a uma vaca loca correndo, entrei no carro e dei a partida graças ao pai o transito de Londres quis colaboram comigo, cheguei em vinte minutos no estúdio sendo que eu levo cinquenta minutos no transito só para ir ao meu lindo trabalho. Por um lado eu agradeço em só trabalhar três dias na semana, mas eu gostava do meu antigo trabalho.
Voltei para casa e única coisa foi concordar com o que Harry disse, espero que seja uma pergunta e que ele não esteja no telefone, e depois eu literalmente me joguei na minha cama tão perfeita.
Depois de esses últimos dois dias de ficar entrevistando famosos, eu podia ficar em casa encarrando a cara de Harry, fingindo entender o que ele esta falando... AH MENINO CALA A BOCA E FALA ALGUM INTERESSANTE
- Eu vou entrar em turnê – ele disse e eu prestei atenção – Viajo amanha as cinco da madrugada
- Vai ficar quanto tempo? – perguntei
- Não sei, mas acho que dois meses e meio – meu coração apertou ao ouvir isso, o que está acontecendo?
- Vou ser sincera – ele me encarrou confuso – Vou sentir sua falta
- Também vou sentir a sua – ele me abraçou e eu sorri boba – Boa noite
- Boa noite

Capítulo 9

Faz quase dois meses que o Harry esta em turnê, nós só nos falamos pelo skype, eu sinto Sean se mexendo, é tão sei lá estranho. Quando contei para Harry, ele disse que gostaria de estar aqui. Sabe quando você sente falta te alguém e não sabe o porquê, então é isso que eu estou sentindo é tudo muito estranho. Era para eu estar indo para o aeroporto para ver os meninos, mas como eu estou cansada não consegui dormi simplesmente não fui fiquei aqui em casa sem fazer nada.
Meia hora depois Harry entra em casa se arrastando e literalmente se joga no sofá, me fazendo levar um susto
- HARRY – o abracei – Eu e Sean estávamos com saudades
- Também estava pequena – ele se aconchegou em meus braços e fechou os olhos
- Bom, vai tomar uma banho que eu vou fazer algo para você comer – bati de leve nas suas costas para ele se levantar – Vai ter alguma preferencia?
- Não – ele andou ate o corredor, entrei na cozinha – Mas um pão com hambúrguer já está bom
- Ok – andei ate a geladeira
- Batata frita também – ele voltou ate a porta da cozinha – Bem crocante – ele saiu e eu voltei a pegar as coisas – Ah e um suco de laranja – algo saldável pelo menos, pensei
- HARRY SE VOCÊ VIR PEDIR MAIS ALGUMA COISA VOCÊ VAI COMER O SEU PROPRIO GOZO ENTENDEU SEU... (N/A: a fic é +16 então as vezes terá coisas assim)- não terminei de falar por causa de Harry
- Ta, eu vou tomar banho – ele saiu e eu finalmente pude começar a fazer a comida do McDonald’s, se ele queria isso por que não foi lá? Enquanto eu fritava as batatas eu comia umas, ah qual é quem nunca fez isso? Coloquei o prato em cima da banca e foi para o meu quarto – Eu não quero comer sozinho – Harry segurou meu braço no meio do corredor
- Eu já vou lá – entrei no meu quarto e me joguei na minha cama, eu me sentia tão feliz, meu estomago dava voltar eu parecia àquelas adolescentes que ficam longe do seu namorando e quando ele volta é a melhor coisa, sabe aquela coisa de estar apaixonada? Então eu me sinto assim. Deborah você só pode estar louca se apaixonar você haha impossível, será? Olhei para a cama e Harry estava sentado na ponta da mesma comendo o seu hambúrguer – Harry o que faz aqui?
- Você não foi pra cozinha, eu vim de atrás – ele disse e eu ri
- bobo – dei um tapa em sua perna – Eu só estou cansada - Quem viajou por horas foi e eu não você – rimos
- Então porque você não vai descansar? – perguntei colocando as mãos atrás das costas para eu me sentar
- Porque eu quero ficar aqui com você – mais borboletas no estomago
- Nossa então sentiu minha falta – ri, mas ele continuava serio
- Eu senti a sua falta mais do que tudo – ele disse tão calmamente e não sabia o que falava ate que a única coisa saiu
- Boa noite Harry – O QUE? Não paro tudo o que eu disse?
- Boa noite – ele deu um beijo na minha testa e saiu.

Capítulo 10

- HARRY! – andava pela casa. – HARRY!
- O quê? – ele a pareceu no meio do corredor.
- Hoje nós vamos comprar as coisas para o quarto do Sean – disse puxando ele. – Venha.
- Ta, deixa eu pegar a minha carteira – ele passava a mão pelos bolsos.
- Ta na sua cama – disse andando até a porta.
- ! – alguém gritou quando eu abri a porta.
- AAHHH – dei um pulo para trás. – O que você quer ?
- Bom, estão reformando a minha casa... Posso ficar aqui? – ela perguntou.
- Claro – quando disse ela colocou as malas dela dentro de casa.
- Qual vai ser a minha chave?
- Toma – Harry entregou uma chave a ela – não sei que hora nós voltamos – ele fechou a porta.

Estava dentro de uma loja escolhendo as coisas para o quarto de Sean. Não queria que o quarto de Sean fosse tudo azul, então eu pegava coisas verdes, beges e azuis. Harry brincava com um menininho de uns cinco anos de idade, eles estavam sentados em cima de um tapete onde ficavam as crianças, Harry brincava com ele, fazendo o pequeno rir. Ele subiu no coloco do mais velho e enterrou o rosto em seu peito se aconchegando e fechando os olhos, Harry passava a mão nos cabelos pretos do menino que agora ressonava em seu coloco, uma mulher de uns trinta anos pegou ele dos braços de Harry e saiu. Eu sabia que Harry seria um ótimo pai, ele gostava de crianças, sei também que teria um grande cuidado.
- Já escolheu? – me assustei quando ele apareceu em meu campo de visão.
- Não sei qual eu levo – olhava para os bebês-conforto. – Esse está mais barato, mas aquele... Ah, sei lá.
- Não importa o preço , você escolhe o melhor – ele disse.
- Ok – eu fui escolhendo tudo o que via e não me importava com o preço. Arrastei Harry para outras lojas, ele saiu cheio de sacola parecia filmes, cheguei em casa completamente cansada tomei um banho e fui dormir.
Acordei no meio da noite para beber água, coisa que nunca faço, quando passei na frente do quarto de Harry, a porta estava aberta e uma coisa verde brilhava na cama dele, andei atá lá e vi que era Harry que estava brilhando. Todo o rosto dele estava verde assim como os braços e pernas, me segurei par não rir. Quando cheguei na cozinha segurava uma caneta na mão e ria.
- Você quem pintou o Harry? – perguntei para ela enquanto pegava um copo.
- Sim – ela disse rindo. – De dia ela não aparece, mas no escuro sim.
- AI. MEU. DEUS – disse rindo.
- Bom, vou indo – ela se levantou. – A tinta dura cinco dias e amanhã os meninos vem assistir filme aqui.
- Só quero ver – depois disso voltei para meu quarto.

Capítulo 11

Os meninos estavam pintando o quarto de Sean enquanto eu, e fazíamos o almoço. A tarde passou rápida, até que chegou a hora mais esperada do dia por mim e por , Niall colocava o filme no DVD e eu pedi para Harry ir buscar um suco para mim na cozinha. Apagamos todas as luzes ate Harry apareceu, ele estava todo verde e brilhando. Estávamos rindo igual a loucos desvairados.
- Por que vocês estão rindo? – Harry perguntou irritado.
- Você... Você... Ta verde! – Louis dizia rindo.
- O quê? – Harry pegou o celular. – QUEM FEZ ISSO?
- Eu – disse e todos riam.
- Te odeio – ele sentou ao meu lado e colocou a cabeça em meu ombro.
- Daqui quatro dias sai – disse e ele bufou.
Passava “De Volta Para o Futuro” e eu assistia atenta mente, amava aquele filme eu e Tom meu ex-namorado vivíamos assistindo. Harry estava deitado no meu ombro ainda, estava atento ao filme, eu não entendia como ele conseguia ser tão perfeito, tão carinhoso, tão... Ah, sei lá, ele era simplesmente único, o que eu to falando? O que deu em você ? O filme acabou e Harry tirou a cabeça do meu ombro:
- Eu assistia esse filme com o Tom – falei. – Lembra meninas?
- Sim – elas falaram em um coro.
- Que Tom? – Zayn perguntou.
- Tom Fletcher – eles estavam paralisados – O que foi?
- Tom... Tom Fletcher do McFly? – Niall perguntou e eu assenti.
- Já pegou mais algum famoso que nos não sabemos? – Liam perguntou.
- Nop.
Depois que os meninos voltaram ao normal todos foram embora, atá disse que ia para casa da , mas eu não sei, desde quando Niall virou . Entrei no Skype e comecei a falar com a minha irmã, eu sentia tanta falta dela, Aline e Lilian minhas duas irmãs mais velhas moravam no Brasil, ficaram cuidando de uma das impressas do meu pai. Falando em pai, ele veio me visitar quando Harry estava em turnê.
- Vou para Londres – disse Aline. –, tenho que cuidar de você.
- Por quê? – disse. – Eu sei me cuidar ta? Tenho a minha casa, meu trabalho e...
- E tá grávida. – dei de língua e ela riu. – Ah, o Vitor quer dar oi.
- Oi tia – Vitor meu sobrinho de quatro anos acenava para mim.
- Oi grandão, tudo bem, e você?
- Claro, to comendo bigadelo – ele disse mostrando uma colher. – A mamãe faz para você quando nos chegarmos ai.
- Hm, que delicia – disse rindo.
- TIA, O HARRY TA AI? – Mariana gritou, Mari tem quinze anos e é uma Directioner histérica.
- Não.
- CHAMA ELE NÉ – ela disse toda animada. – MINHA TIA TA GRÁVIDA DO HARRY STYLES!
- Quieta Mariana – Aline disse.
- HARRY, VEM AQUI – chamei-o.
- Oi – ele pareceu na porta.
- Quero te apresentar a minha irmã e a sua fã – ele sentou ao meu lado. – Aline minha irmã, Vitor meu sobrinho e...
- MARIANA, SUA MULHER – ela disse só que nem percebeu que estava falando em inglês.
- Opa, sou casado – ele riu e ela ficou vermelha. – prazer Aline e Mariana.
- Ei, e eu? – Vitor disse fazendo bico.
- Oi grandão – Harry acenou pra ele.
- Você ta muito perto da minha tia, vai mais pra lá – ele fez uma cara brava e nos rimos. – É sério.
- Tudo bem – Harry foi um pouco pra lá.
- Hã, atevido – começo a rir e Vitor foi pra lá.
- Bom, tenho que desligar – eu disse.
- Espera – Mari colocou a mão na frente. – Harry, preciso do seu número.
- Pra quê? – Aline perguntou.
- Quem vai me buscar no aeroporto?
- Eu – disse.
- Mesmo assim, vai que precise falar com o Harry... – ela disse com a maior cara de óbvio.
- Só não ligue para ele ta? – Aline disse e o Harry passou o número para Mariana que saiu do quarto.
- ALICE, EU TENHO O NÚMERO DO HARRY STYLES, EU AMO A MINHA TIA – escutei ela gritando atrás da porta.
- Bom, tchau – disse.
- Tchau.

Capítulo 12

Tinha acabado de chegar o aeroporto com a minha irmã, Harry pegava as malas no carro enquanto eu mostrava a casa para ela:
- Tia, tem um bebê ai? – Vitor apontou para minha barriga.
- Sim, é o Sean, seu primo.
- Minha mãe disse que as mulheres só tem bebê quando são casadas – ele disse e Aline segurou a risada. – Você é casada com tio Harry?
- Não – “Triste, mas não.” Pensei.
- Então por que você tem um bebê?
- Porque quando as pessoas namoram, elas às vezes tem bebês – Aline disse se abaixando para ficar a altura dele.
- Você ta namorando o tio Harry?
- Não.
- Amigos coloridos também tem bebês – ela olhou para mim.
- O que é amigos colorido? Então eu posso ter um bebê com a Bia? – ele disse assustado.
- Espero que não meu filho, espero que não.
Aline tinha saído com Vitor para mostrar Londres para ele, Mari tinha ficado arrumando seu quarto. Liam estava na cozinha comigo quando Mari começa a gritar:
- LIAM, MEU BEBE, TO INDO TE SALVAR – Liam se assustou eu ri: – LIGUEM PRA AMBULÂNCIA, FÁBRICA DE FITA, ANDA TIA TIAAAA – ela corria pela casa. – VOCÊ TEM FITA? – ela entrou na cozinha correndo. – Oi Liam – ela passou por ele e voltando ando de costas – Liam Payne?
- Oi – ele sorriu e a minha sobrinha caiu (rimou).
- Ta, me ajuda a levar ela para o quarto – disse e ele a pegou no colo. Ah se ela soubesse que Liam Payne a carregou desmaiada ela desmaiaria de novo.
Uns minutos depois eu e Liam estávamos conversando na sala, Mari apareceu um pouco pálida e andou até o sofá.
- Está melhor? – perguntei.
- Sonhei que tinha visto o Liam ai eu desmaiei. – ela olhou para Liam. – Ah, não foi sonho.
- Desculpa – Liam disse. – Tiro uma foto com você, te dou um autógrafo e te sigo no twitter, pronto, minhas desculpas.
- Olha, se quiser casar comigo também... – Haha, direta igual a tia né?
- Haha, não sei – Liam riu.
- Você ta solteiro – ela disse. Ah se ela soubesse que ele é propriedade da ... Bom, ainda não.

- Liam, para de ser envergonhado – Discutia com Liam há uma hora.
- Não dá – Ele entregou o celular.
- Você gosta da . – sorri e me sentei ao seu lado.
- Não sei se é gostar...
- Então liga!
- Não!
- VOCÊ GOSTA DELA!
- TA, EU GOSTO!
- Liga – Entreguei o telefone – Não precisa ter medo, ela gosta de você.
- Será? – Ele me encarrou;
- Eu conheço a minha melhor amiga – Digitei o número tão conhecido e entreguei o telefone para ele. – Ela vai aceitar.

Liam POV’S
Minhas mãos suavam sem parar, meu coração estava acelerado, até que ela atendeu:
- ? – Ela disse com a voz doce.
- , aqui é o Liam – DEUS EU TO MORRENDO!
- Oi Liam!
- Bom , eu queria saber se... – Comecei a ficar mais nervoso do que estava.
- Fala, traste – deu um tapa na minha perna.
- , você aceita sair comigo? – Eu estava tremendo.
- Hum, Liam... – Acho que é um não. – Claro, quando?
- Hoje às oito?
- Ok, até.
- Até – Ela desligou e eu ainda segurava o telefone.
- Ta Liam, vai se arrumar – pegou o telefone da minha mão.
- Com quem você vai sair? – Mari apareceu atrás de mim.
- AAHH! – Coloquei a mão sobre o meu peito. – Você quase me matou!
- Desculpa...
Liam POV’S off

Capítulo 13

Oito meses acaba com qualquer mulher, nenhuma roupa serve, você engorda mais e suas pernas e pés doem. Parei de trabalhar e agora eu fico a semana inteira vegetando, Harry não está ficando mais em casa, todo final de semana ele sai e só volta de madrugada e a idiota aqui fica a noite inteira acordada esperando o traste chegar bêbado para dar banho na criança. Estive pensando, tirando tudo isso sobre o Harry, ele é bom, me trata como uma princesa, mas estou com medo, Harry por um lado está diferente comigo, mas eu ignoro. Toda vez que ele me toca eu me arrepio, o perfume dele me persegue, sinto borboletas no estômago quando ela me abraça e eu sempre fico vermelha, eu acho que estou...
- APAIXONADA – Disse me levantando do sofá.
- O que, ? – Harry olhou para mim.
- Ops! – me sentei de volta. – Pensei alto de mais.
- Apaixonada por quem? – Ele em olhou no fundo dos olhos. – Quem ?
- Ninguém – POR VOCÊ IDIOTA, ou não.
- Ah, fala – Ele sorriu e mais borboletas.
- Ninguém – Disse sorrindo fraco.
- Eu vou descobrir – Ele ficou de pé. – Harry Styles sempre sabe de todos os segredos. – Rimos.

Estávamos todos sentado no sofá ou no chão comendo pizza, Harry colocou a mão na minha barriga na esperança de Sean mexer.
- Harry, eu disse que o Sean só mexe com o pai de verdade dele – Disse brincado.
- Toma banho – Ele sentou emburrado e pegou uma pedaço de pizza, Liam sentou ao meu lado e ficou fazendo desenhos na minha barriga enquanto assistia TV, Sean deu um chute de leve.
- ELE MEXEU! – Liam gritou e todos olharam assustados para nós.
- PUTA QUE PARIU! – Harry disse rindo.
- Com quem foi que eu dormi na festa? – disse e todos riram.
- Na verdade, eu fui embora antes da festa – Liam disse. – Acho que Sean gosta de mim.
- E não gosta do próprio pai? – Falou Harry.
- Harry, aceite isso – Louis deu um tapa na suas costas.
- E difícil – Harry fingiu que chorava.
Depois que todos foram embora, eu fui para o meu quarto e literalmente apaguei.
Estava sentada no sofá quando Harry abre a porta e me chama, andei até ele que me olhou um pouco triste.
- O que foi? – cheguei perto dele.
-, eu... – ele não conseguia falar direito.
- Fale.
- , eu estou namorando – aquilo foi como um choque para mim, mas por que ele estava triste?
- Por que esta com um olhar triste? – olhei para seus olhos verdes que estavam em uma pura tristeza.
- Pois eu acho que machuquei alguém – ele olhou para baixo. – Alguém que eu amo.
- Quem?
- Não sei

Acordei assustada, olhei para o relógio era quatro da manhã, fiquei rolando pela cama tentando procurar o meu sono e nada dele voltar, o que o Harry disse sobre estar namorando no meu sonho me assustou, queria saber quem ele tinha machucado? E quem ele estava namorando? Depois de muitas perguntas apaguei.
Depois que parei de trabalhar, eu que cuidava da agenda de Harry, sempre sabia os horários, dias em que ele tinha alguma coisa importante para fazer, era tanta coisa que eu estava quase pedindo um salário. Harry estava novamente em uma balada, já eram seis da manhã e nada dele, pelo menos não chegou com nenhuma vadia, ainda. Ele está tão estranho, tão diferente, eu quero antigo Harry de volta.
Resolvi dar uma volta por Londres, mas quando eu botei o meu pé para fora de casa, não sei da onde, mas milhões de garotas apareceram gritando e chorando pedindo um autógrafo ou uma foto. Depois que todas tiram fotos comigo eu finalmente consegui sair de casa em segurança, nunca na minha vida fui atacada desse jeito, nunca. Londres, linda como sempre amava aqui mesmo tendo saudade de Liverpool onde meus pais moram, o lugar onde eu passei toda a minha adolescência, amo muito aquele lugar assim como amo Londres. Depois de um tempo rodando por Londres resolvi voltar para casa, Harry está dormindo no sofá. O mandei para o quarto para ser mais confortável, mas como sempre foi resmungando.
Quando estava prestes a dormir me ligou:
- Adivinha quem está namorando? – ela falava todo animada.
- Você? – disse um pouco sonolenta.
- SIM! O NIALL ME PEDIU EM NAMORO! – ela gritava tive que tampar o celular com o travesseiro.
- Parabéns! – disse sorrindo.
- Você não está bem – ela mudou de assunto. – Está apaixonada?
- Não sei.
- Harry?
- Talvez.
Depois que desligou, demorei um pouco para dormir. Fiquei pensando se eu estava mesmo apaixonada por Harry, mas isso é tão estranho, Harry só é pai do meu filho, isso aconteceu por um erro nosso, não que eu não ame Sean, mas amar o Harry é meio que im... possível.
Estava sentada no sofá olhando para a TV desligada, Harry estava limpando a cozinha para mim, estranho, eu sei, mas depois que comecei a ficar em casa Harry começou a me proibir de limpar a casa e fazer qualquer coisa então eu fico aqui sentada. Harry ligou a TV e se sentou ao meu lado, seu cheiro entrou pela as minhas narinas e se prendendo nas paredes do meu pulmão para que nunca mais saia, fechei os meus olhos e soltei um suspiro aquela sensação tão boa de sentir seu cheiro um sorriso abriu em meu rosto parecia uma retardada, abri os meus olhos e fiquei olhando para sua mão que estava largada no sofá estava com tanta vontade de cruzar nossos dedos, sentir a textura de sua mão pelo menos mais uma vez, uma coisa passou pela a minha cabeça uma coisa em que não imaginei com ninguém, ver a sua mão esquerda sobre o sofá me fez imaginar uma aliança em seu dedo, nunca eu tinha imaginado isso com ninguém, mas não uma aliança qualquer. Uma aliança aonde eu teria uma igual, aonde eu poderia saber que em qualquer momento difícil eu teria a outra para dividir a mesma dor que a minha, que toda vez que eu pensar que ele estiver longe olhar para seu nome escrito nela e pensar “logo ele vai estar aqui”, sai dos meus pensamentos quando Harry me chamou:
- Pensando em quê, ? – olhei para ele e me perdi em seus olhos por alguns segundos.
- Nada – disse e voltei a minha atenção para sua mão.
- Você nunca me contou sobre a sua família – ele se sentou mais perto de mim. – Me conte.
- Bom – pensei por onde começar. – Conhecer Peter e Katherry ?
- Peter é um dos caras mais conhecidos e importantes de toda Inglaterra – ele disse e depois se tocou do que eu queria dizer – VOCÊ É FILHA DO CARA MAIS IMPORTANTE DE TODA A INGLATERRA?
- Sim – ri pela cara dele. – Antes que você me pergunte por que eu morava sozinha, e morava em uma casa simples e blábláblá – disse me lembrando da mesma pergunta que todos faziam. –, queria viver sozinha, ter o meu dinheiro, a minha vida e pedi para meus pais me deixarem vir para Londres eles no começo pagaram o aluguel da minha casa e pagaram a minha faculdade, só isso, pois o resto quem conseguiu tudo sozinha fui eu, para eles eu ia cuidar de alguma filial deles de qualquer empresa em outro pais ou continente, mas queria ter a minha vida própria.
- Ok – Harry ainda absorvia tudo o que eu disse. – Você sabia que podia ter uma vida de princesa?
- Sim, mas quando eu era adolescente, eu sempre fiquei mais em casa, eu limpava meu quarto, não gostava que faziam a minha comida, sendo que eu a minha mãe fazíamos a comida, meu pai vai de calção e camisa polo para o trabalho, minha família não é mimada, meu pai ama muito mais a família do que a reputação dele.
- Admiro a sua família – Harry disse sorrindo – Eu tinha a impressão que você era uma adolescente mimada, metida, nojenta, mesquinha, irritante e...
- Chega ok – disse rindo. – eu entendi, não sou assim.
- Gosto de você – do modo que ele disse eu me assustei, eu queria que fosse como se ele estivesse falando “te amo tanto”, mas eu sabia que não era isso.

Capítulo 14

Eu vou explodir a qualquer momento, estou com nove meses e estou quase morrendo, Sean querido, não vejo a hora em que você vai resolver sair para fora e dizer “oi mamãe”, não aguento mais de dor nas costas, meus pés parecem um pãozinho de tão inchado, eu não consigo nem andar direito e tenho que ficar com o pé erguido em algo e tenho que estar sentada, minha bunda está literalmente quadrada. Harry está tão ansioso por estar no último mês que ele está terrível, pior que criança toda hora ele fica perguntando se eu estou sentido contração, eu estou quase empurrando ele da varanda e quando a policial perguntar o que aconteceu, eu digo que ele se jogou.
- você... – Harry entrou na cozinha.
- HARRY, QUANDO EU ESTIVER PERTO DE PARIR EU TE AVISO OK? – olhei para ele irritada.
- Quer comer no Nando’s? – ele disse assustado.
- Ok – disse sem graça.
Quando chegamos no Nando’s, encontramos Niall e (que novidade), e Liam, que finalmente resolveram juntar as trouxinhas e agora estão morando juntos, quem teve que fazer o Liam ter vergonha na cara e perguntar se a aceita a namorar com ele, claro que fui eu como sempre.
- Olá – disse dando um abraço em cada um.
- Olá disse – Oi Hazz.
- Oi pessoal – Harry se sentou do meu lado, logo o garçom chegou e fizemos nosso pedidos.
- Eu vou explodir – disse passando minha mão na barriga – o Sean me mata.
- Não só ele, como o pai também. – Niall disse rindo.
- Poxa, só quero saber quando ele vai nascer – Harry disse.
- Todo mundo quer saber Harry – disse –, mas todos temos calma, já você... – rimos.
- Eu sou o pai.
- E nós os padrinhos – Liam aponto para ele, Niall, e .
- Parem vocês – a comida chegou e eu finalmente pude me saciar.
Já passou duas semanas, Harry não está em casa desde manhã e ontem eu passei a noite inteira com dores, tipo, uma cólica horrível, nunca senti tanta dor na minha vida, eu estou sofrendo aqui e o Harry ainda não chegou, já são onze da noite e eu to sentada aqui no sofá morrendo de dor. Na sala só escuta os meus gemidos de dor, as coisas de Sean já estão arrumadas, mas é para Sean nascer daqui cinco dias, eu acho que isso é normal, mas isso é muito pior que eu já pensei, vomitei hoje pelo menos umas três vezes. Ouvi alguém abrir a porta era Harry andei ate o corredor de frente para porta quando Harry fechou a porta e olhou para mim eu senti algo molhado olhei para baixo e vi que a minha calça estava toda molhada:
- Harry – olhei para ele que estava assustado, Harry pegou o celular dele e ligou para Niall e me pegou no colo não sei como ele conseguiu me pegar.
- Niall, corre para o hospital agora – Harry me colocou no banco e eu estava tão calma comparada a ele.
- Harry, deixa eu pelo menos trocar de roupa e pegar as coisas do Sean – disse calma para ele que ligava o carro.
- Não, nós vamos para o hospital agora – ele saiu correndo quase me matando. – Depois eu pego as coisas de Sean.
Chegamos no hospital e depois do pequeno escândalo que Harry fez me colocaram em uma maca. e e o resto do povo entraram correndo no hospital, eu só vi o médico chamando Harry para entrar na sala de parto, Harry correu ate a mim e segurou a minha e sussurrou no meu ouvido e disse “vai ficar tudo bem, eu estou aqui” eu apartei a sua mão e sorri, quando entramos na sala de parto eu quase morri. Harry segurava a minha mão e o médico pedia para eu fazer força eu estava morrendo ali, de repente, eu só escutei o som mais perfeito que eu já ouvi em toda a minha vida, o choro de Sean, olhei para Harry, que sorriu e desmaiou.
- Ele faz todo aquele escândalo para desmaiar no final. – disse rindo.
Limparam Sean e o colocaram em meus braços, quando eu pude senti-lo em meus braços não pude conter o choro, eu não acreditava que aquela coisinha estava em meus braços poder finalmente poder ver seu rostinho tão delicado, suas mãozinhas tão pequenas. Me levaram para um quarto e eu só vi os enfermeiros carregando Harry para uma maca, quando finalmente eu pude entrar no quarto, eu simplesmente apaguei, nunca estive tão cansada em toda a minha vida.

Harry POV’S on
Eu acordei em um quarto completamente branco, não pensei que fosse o céu, pois tenho uma dúvida de um dia conseguir entrar lá. Uma enfermeira entrou e me levou ate um quarto antes de entrar eu li na porta “Sean Styles” sorri e entrei. Olhei para que dormia tão calma, parecia uma princesa que esta em seu sono de beleza, fiquei alguns minutos olhando para ela pensando como ela pode ter acabado de ter um filho e estar tão perfeita, olhei para um berço que estava eu seu lado, andei até lá e vi a coisa mais pequena e delicada do mundo ressonando calmamente, ele era tão perfeito. Uma lágrima caiu do meu rosto quando passei a mão em sua bochecha um pouco avermelhada. Fiquei velando seus sono em pensamentos profundos.
- Perfeito né? – escutei falar, olhei para ela que agora tinha um sorri bobo para Sean –, tão pequeno...
- Não acredito que é meu – disse olhando para ele.
- Nosso – olhei para que sorriu para mim e não pude me segurar e sorri junto, voltei a minha atenção a Sean – Pode pegar.
- Não sei se eu consigo.
- Ah Harry, você aprende pegue – ela disse, quando coloquei as minhas mãos em volta de seu tronco ele acabou se mexendo, quando o coloquei em meus braços, ele se mexeu como se estivesse achando um jeito confortável de ficar deitado em meus braços, aquela coisa tão pequena entre os meus braços eu podia segurá-lo só com um braço, fiz um carinho em seu rosto e segurei a sua mãozinha tão pequena fiquei olhando cada detalhe de seu rosto.
- Inacreditável – ela disse – Não sei se é porque ele é meu filho, mas eu o acho o bebê mais lindo do mundo.
- Concordo com você – sentei na ponta da cama. – Como está?
- Bem feliz – ela disse e alguém bateu na porta e Niall entraram com ursinhos de pelúcia e balões.
- Oi e Harry – disse dando um beijo na bochecha de e na minha. – Awn, que coisa mais linda!
- Perfeito – Niall disse ao lado de .
- Posso? – perguntou eu concordei e entreguei Sean em seu braços, fiquei com ciúmes, não queria tirá-lo dos meus braços.
Harry POV’S off

Eu não sei quem babava mais, eu ou o Harry; acho que os dois. O quarto estava cheio de ursinhos e balões, Harry estava sentado no sofá com Sean no colo enquanto eu comia o meu almoço que levaram para mim. Quando terminei, fui até o banheiro escovei os meus dentes e voltei para cama, sei que nos dias de domingo eu amo ficar deitada, mas agora está chato ficar dentro desse quarto. Harry andou até a cama e sentou na ponta e olhou para mim:
- Vai comer – disse esticando os braços para pegar Sean.
- Não to com fome - disse sorrindo, seu estômago roncou um pouco alto.
- Ta – ri. – Vai lá, a já deve estar vindo.
- Ok – ele colocou Sean em me colo e deu um beijo na minha testa. – Cuida bem dele.
- Harry, vai logo.
Ter Sean em meus braços era a coisa mais incrível, olhar para ele dormindo calmamente era simplesmente prazeroso. Olhei bem para ele e o rosto de Harry estava estampado na cara dele, mas tinha alguns traços meus, poucos, mas tinha. abriu a porta e colocou a cabeça para dentro sorri e ela entrou:
- Jesus, o que é isso? – ela colocava a bolsa e olhando para Sean. – Posso pegar?
- Claro – ele pegou Sena de meus braços.
- A cara do Harry.
- Todo mundo diz isso – sorri. – Você carrega eles noves meses na barriga para ele parecerem o pai.
- Verdade. – riu baixo para não acordar Sean. – Como é pequeno, parece de mentira. – ri com a cara boba que ela fez.
ficou uma meia hora comigo até que foi embora, pois tinha que ir trabalhar, uma enfermeira entrou e me ajudou a dar banho em Sean, sei lá por que isso eu já sei dar banho em bebe. Harry chegou alguns minutos depois, estava com outra roupa e o cheiro do seu perfume estava mais forte, coloquei Sean no berço ao lado da minha cama e andei até a sacada do quarto, precisava de ar puro.
- Obrigado – Harry me abraçou por trás.
- Pelo o quê? – Olhava as ruas movimentadas de Londres.
- Por ter me dado Sean – ele colocou encostou o queixo no meu ombro -, nunca me senti tão feliz na minha vida.
- Você não é o único que se sente feliz – um vento frio bateu em meu rosto fazendo meus pelos se arrepiarem pelo frio, percebi minhas mãos ficarem um pouco geladas, Harry me virou de frente para si e me abraçou me envolvendo com o caso quente dele. Encostei a minha cabeça em seu peito, meu coração estava acelerado minhas mãos foram para suas costas fazendo-o se arrepiar por causa da minha mão gelada, um silencio assolava no local. Quando eu menos percebi seu coração estava... Acelerado. Sorri, mas sorri tanto que pensei que fosse rasgar o meu rosto, me apartei mais perto dele só para sentir seu coração batendo acelerado, ele também em abraçou mais forte como se quisesse que nos fossemos um só.
Estava deitada na cama e mais uma vez Harry estava com Sean no colo, de repente Sean começou a se mexer sem parar em seu colo e logo começou a chorar. Harry o balançava tentando fazer ele para de chorar.
- Alguém está com fome – andei até Harry e paguei Sean no colo e comecei a dar mama para ele que logo parou de chorar, uma mecha do meu cabelo caiu no meu rosto Harry a colocou atrás da orelha olhei para ele e sorri, ele devolveu o sorriso e eu senti as minhas pernas moles, se eu não estivesse sentada tinha certeza que cairia Ultimo dia de maternidade, não aguentava mais aquele quarto troquei de roupa, finalmente pude colocar algo confortável, coloquei uma roupa em Sean e peguei as nossas coisas e saímos daquele quarto, andei até o elevador aonde Harry me esperava. Quando chegamos a recepção saímos do elevador e quando eu percebi Harry tinha entrelaçado a nossas mãos. Harry arrumava Sean no bebê-conforto, eu olhava para frente quando meu celular vibrou vi que era uma notificação do twitter, vi que Harry tirara uma foto de Sean e tinha me mencionado. Entrei em casa quase correndo, a primeira coisa que fiz foi me jogar na minha cama e grita “COMO EU SENTI SUA FALTA AMOR” ouvi Harry gargalha do quarto de Sean, ele apareceu na minha porta enquanto eu arrumava as minhas roupas no guarda-roupa.
- Sean está dormindo no quarto dele – ele estava de braços cruzados encostado no batente da porta.
- Você podia ter o colocado aqui no meu quarto – disse saindo do quarto.
- Não o deixe lá – ela vinha atrás de mim, fui para a cozinha fazer algo comestível para mim, mas eu não podia sair da dita cuja dieta – Os meninos vão vir aqui, tudo bem para você?
- Harry, a casa é sua pode trazer quem quiser – menos as suas vadias – Vou ligar para as meninas também.
- Seu pai ligou – disse e eu me virei para ele – Disse que vai vir te visitar.
- SÉRIO? – dei um grito, mas tapei a boca me lembrando de Sean – Harry, não minta para mim.
- Não estou – ele disse sério. – Quer ligar para eles?
- Claro – corri até o telefone e disquei os números tão conhecidos mesmo fazendo tempo que eu não ligara para eles.
- Alô? – ouvi a voz da minha mãe.
- Mamãe – disse sorrindo.
- , minha filha – tinha certeza que ela estava sorrindo. – Como está?
- Bem e vocês? – andei até o quarto de Sean.
- Estamos bem – arrumava algumas roupas de Sean no seu guarda-roupa – e Sean?
- Ah mãe, ele é lindo – disse olhando para meu filho – parece o Harry. Ah mãe, ele é tão perfeito!
- Sean ou o Harry? – ela riu.
- Mãe!
- Admita.
- Os dois – corei.
- Logo iremos para Londres te visitar, seu pai tem que resolver alguns problemas em uma das nossas impressas ai. – ela disse calma. – Não vejo a hora de conhecer o seu namorado.
- Mãe, o Harry...
- Tenho que desligar, beijos, te amo! – bufei.
Andei até a sala aonde Harry assistia TV, na verdade, ficava mudando de canal toda hora. Sean estava no meu colo e Harry ainda mudava de canal.
- Para de mudar de canal, você está fazendo isso há quase uma hora – disse pegando o controle da mão dele e colocando um canal qualquer.
- Chata – ele deu de língua.
- Estamos quites – disse me lembrando de que Anne acha que sou namorada do Harry.
- Como? – ele me olhou confuso.
- Minha mãe acha que você é meu namorado igual a sua mãe – disse rindo.
- Podia ser verdade – parei de rir. – , eu to brincando.
- Claro – sorri para ele e voltei a minha atenção ficamos em silêncio até que a campainha tocou e Harry abriu a porta.

Capítulo 15

N/A: Deixe essa música arregando e de play quando aparecer a letra da mísica

Já faz uma semana que eu estou em casa. Sábado meus pais irão chegar e eu estou tão ansiosa que fico com vontade de comer toda agora. Estava em casa esperando a fotografa para tirar as fotos de Sean, Harry há três dias teve a ideia maluca de cada mês fazer uma sessão de fotos com o Sean e simplesmente concordei, sei que seriam lembranças. Ouvi o barulho da porta abrindo, Harry apareceu na sala com uma mulher de uns vinte e nove anos e sua ajudante de uns vinte e cinco anos, eram bonitas as duas, a primeira coisa que eu fiz foi sorri e olhar a mão esquerda e direita das duas. Não tinha aliança. E olá ciúmes. Andei até onde Harry estava e me segurei para não disse “não estou a fim de fazer a sessão de fotos, beijos não voltem mais”, mas me controlei sabia que Harry não era meu.
- Prazer, sou Alicia e essa é Kim – A fotografa loira peituda disse e apontou para a garota ao seu lado, eram iguais, a diferença era que uma tinha olhos azuis e cabelos castanhos e a outra era loira de olhos castanhos.
- Prazer – sorri falso, olhei para Harry que tinha quase um balde nas mãos para não deixar a baba pingar no chão. – Vou buscar Sean. – pisei “sem querer” no pé do Harry o fazendo dar um grito fino.
A sessão de fotos se baseou no Sean pelado e de fralda, tive que ligar o ar acondicionado para ele não morrer de frio, sim, sou uma mãe muito preocupada. Alicia pediu para eu enrolar Sean em uma mantinha branca que eu tinha e depois que eu o enrolei ela disse algo em que meu coração saiu pela boca:
- Ok, agora segura ele – ela o arrumou no meu colo – Harry vai atrás dela e segura na cintura dela e coloca a cabeça no ombro da . – ele assentiu e colocou a mão na minha cintura, uma veia elétrica percorreu por todo o meu corpo, sorri não verdadeiro quando senti seu cheiro, nem liguei que Alicia e Kim estavam ali. – Agora olhem para Sean.
Eu e Harry estamos sentados na mesa da cozinha comendo uma comida saldável, Harry fazia algumas caretas quando comia alguns legumes e verduras, a minha vontade era de tirar foto da cara dele e depois mostrar para ele. Fiquei um tempo pensando enquanto limpava a cozinha, Harry e eu parecíamos aqueles casais recém-casados era até engraçado de ver, mesmo eu querendo que isso fosse verde eu sei que não era Harry nunca seria o cara certo para mim mesmo eu pensando que ele é nos temos algo diferente, algo que não nos completa.
Desliguei todas as luzes e andei até o quarto de Harry, entrei e vi-o na varanda andei devagar até lá, parei ao seu lado ele olhou para mim e depois voltou atenção ao céu de Londres.
- Amo ficar aqui – ele quebrou o silêncio.
- Percebi isso. – ele me olhou confuso. – Toda vez que passo pelo seu quarto você está aqui.
- Em um lugar bom para pensar.
O silêncio voltou. A única coisa que se ouvia era o barulho dos carros que passavam por ali, a noite não estava tão fria como de costume, mas a vontade de abraçar Harry e dizer que é pelo frio era grande respirei algumas vezes tentado segurar o desejo, olhei de rabo de olho para ele que agora olhava para a rua, a vontade de beijo era grande, e mais uma vez eu me segurei.

Stay with me, baby stay with me,
(Fique comigo, fique comigo amor,)
Tonight don't leave me alone
(Não me deixe sozinho esta noite.)
Walk with me, come and walk with me,
(Caminhe comigo, venha e caminhe comigo,)
To the edge of all we've ever known.
(Para o limite de tudo que nós conhecemos.)

I can see you there with the city lights,
(Eu posso te ver lá com as luzes da cidade,)
Fourteenth floor, pale blue eyes.
(Décimo quarto andar, olhos azuis pálidos.)
I can breathe you in.
(Eu posso respirar você.)
Two shadows standing by the bedroom door,
(Duas sombras ao lado da porta do quarto,)
No, I could not want you more than I did right then,
(Não, eu não poderia te querer mais do que eu quis naquele momento,)
As our heads leaned in
(Em que nossas cabeças se aproximaram.)

Olhei para Harry, que também estava olhando para mim. Andei até ele e coloquei a minha mão em seu rosto, ele fechou os olhos e sorriu. Tirei a mão rapidamente quando percebi o que eu estava fazendo, me virei novamente para rua e segurei as lágrimas que insistiam em descer.

Well, I'm not sure what this is gonna be,
(Bem, eu não tenho a certeza do que isso vai ser,)
But with my eyes closed all I see
(Mas com meus olhos fechados tudo o que eu vejo)
Is the skyline, through the window,
(É a linha do horizonte, através da janela,)
The moon above you and the streets below.
(A lua acima de você e as ruas abaixo.)
Hold my breath as you're moving in,
(Prendo a respiração enquanto você está se movendo,)
Taste your lips and feel your skin.
(Eu saboreio seus lábios e sinto sua pele.)
When the time comes, baby don't run, just kiss me slowly.
(Quando chegar o momento, não tenha pressa amor, apenas me beije lentamente.)

Stay with me, baby stay with me,
(Fique comigo, fique comigo amor,)
Tonight don't leave me alone.
(Não me deixe sozinho esta noite.)
She shows me everything she used to know,
(Ela me mostra tudo o que ela costumava conhecer,)
Picture frames and country roads,
(Molduras e estradas rurais,)
When the days were long and the world was small.
(Quando os dias eram longos e o mundo era pequeno.)

- – Harry me chamou e eu só virei o rosto para olhá-lo, ele não disse nada então voltei a minha atenção para o nada, e não aguentava mais segurar o choro e deixei que as lágrimas caíssem, limpei rapidamente uma lágrima. Não queria que Harry me visse chorando.

She stood by as it fell apart,
(Ela desmoronou junto ao que foi desfeito,)
Separate rooms and broken hearts,
(Quartos separados e corações partidos,)
But I won't be the one to let you go.
(Mas eu não vou ser aquele que deixa você partir.)

Oh, I'm not sure what this is gonna be,
(Oh, eu não tenho a certeza que isso vai ser,)
(But with my eyes closed all I see
(Mas com meus olhos fechados tudo o que eu vejo)
Is the skyline, through the window,
(É a linha do horizonte, através da janela,)
The moon above you and the streets below.
(A lua acima de você e as ruas abaixo.)
Hold my breath as you're moving in,
(Prendo a respiração enquanto você está se movendo,)
Taste your lips and feel your skin.
(Eu saboreio seus lábios e sinto sua pele.)
When the time comes, baby don't run, just kiss me slowly.
(Quando chegar o momento, não tenha pressa amor, apenas me beije lentamente.)

Senti Harry me puxando para si, bati com tudo em seu peito fazendo as minhas mãos ficarem espalmadas no seu peito, sua mão foi para minha nuca, fechei os olhos e deixei ele me beijar, mas ele só encostou o nossos lábios, ficamos uns segundos com os lábios colados; até que ele passou a língua em meus lábios pedindo permissão eu cedi, ele me beijava calma, era um beijo sem segundas intenções era um beijo... Apaixonado e calmo.

Don't run away...
(Não fuja...)
And it's hard to love again,
(E é difícil amar de novo,)
When the only way it's been,
(Quando a única forma que tem sido,)
When the only love you know,
(Quando o único amor que você conhece,)
Just walked away...
(Simplesmente foi embora...)
If it's something that you want,
(Se é algo que você quer,)
Darling you don't have to run,
(Querida, você não tem que fugir,)
You don't have to go ...
(Você não tem que ir...)

Just stay with me, baby stay with me,
(Apenas fique comigo, fique comigo amor,)

Well, I'm not sure what this is gonna be,
(Bem, eu não tenho a certeza do que isso vai ser,)

But with my eyes closed all I see
(Mas com meus olhos fechados tudo o que eu vejo)
Is the skyline, through the window,
(É a linha do horizonte, através da janela,)
The moon above you and the streets below. Don't let go
(A lua acima de você e as ruas abaixo. Não vá.)
Hold my breath as you're moving in,
(Prendo a respiração enquanto você está se movendo,)
Taste your lips and feel your skin.
(Eu saboreio seus lábios e sinto sua pele.)
When the time comes, baby don't run, just kiss me slowly.
(Quando chegar o momento, não tenha pressa amor, apenas me beije lentamente.)

Oh, I'm not sure what this is gonna go,
(Oh, eu não tenho certeza de que isso vai passar,)
But in this moment all I know
(Mas neste momento tudo que eu conheço)
Is the skyline, through the window,
(É a linha do horizonte, através da janela,)
The moon above you and the streets below. Baby, don't let go
(A lua acima de você e as ruas abaixo. Não vá, amor.)
Hold my breath as you're moving in,
(Prendo a respiração enquanto você está se movendo,)
Taste your lips and feel your skin.
(Saboreio seus lábios e sinto sua pele.)
When the time comes, baby don't run, just kiss me slowly.
(Quando chegar o momento, não tenha pressa amor, apenas me beije lentamente.)

Cortei o beijo quando ouvi Sean chorar, me separei de Harry e disse que ia ver Sean, ele se sentou na cadeira e voltou à atenção para o céu. Andei até meu quarto e peguei Sean no colo e o fiz dormir novamente, troquei de roupa e fui para o banheiro, andei até o espelho e fiquei me olhando: “O que eu tenho de diferente?” Pensei o que eu tenho de diferente das garotas que o Harry sai? Não estou em boa forma, mas eu acabei de ter um bebê ainda a minha barriga esta saliente. Voltei para o meu quarto apaguei a luz e me deitei na esperança de esquecer tudo, algumas lágrimas vieram de novo, deixei que caíssem à vontade, sei que precisava disso. Chorei até que fui vencida pelo sono.

Harry POV’S on
Sentei na cama e fiquei pensando em tudo o que aconteceu, o modo que ela tirou a sua mão do meu rosto me fez perceber que ela estava com medo, tirei a minha roupa e fiquei só de boxer e me deitei, pensava o que eu tinha de diferente dos namorados que ela teve, eu não sou romântico? Não sou presente? Sei lá, mas eu só queria saber o que eu tenho de diferente. Logo minhas pálpebras pesaram e eu resolvi dormir.
Acordei de manha ouvindo o choro perto do meu ouvido, achei estranho isso, virei calma mente de lado e vi que era Sean que estava deitado do meu lado, o peguei no colo e vi que tinha um bilhete no travesseiro:
“Harry, fui ao mercado já volto. Já dei de mamar para Sean, por favor, cuidado. xx”. Sean ainda chorava e eu não sabia o que fazer, olhei para o lado e na cômoda ao lado da minha cama tinha uma fralda, lenços e uma pomada, que eu acho que é para assadura, olhei para Sean e juro que ele deu uma gargalha maligna para mim.
- Você me ama né? – o deitei na cama e tirei a fralda AI MEU DEUS, o limpei respirando pela boca, peguei uma fralda e coloquei debaixo dele, fiquei pensando como a fazia aquilo até que eu descobri como era – pronto, não é tão difícil – peguei a fralda e joguei no lixo.
Fui para sala e Sean estava acordado olhando para mim, fiquei um tempo encarando ele com um sorriso bobo na cara até que ouvi baralhos de chaves.
- Cheguei – disse entrando com algumas sacolas – Harry?
- Aqui – andei até ela.
- Obrigado por ter ficado com Sean. – ela disse indo para a cozinha. – Desculpa ta?
- Não, tudo bem, eu até troquei a fralda – disse sorrindo. – Não é, filho?
- Me dê o Sean – ela olhou assustada para mim e eu entreguei, ela tirou a calça de e começou a rir.
- O que foi? – perguntei confuso.
- Você colocou a fralda do lado errado – ela estava quase sem respiração de tanto que ria. – As fitinhas são para frente, não para trás.
- Ah – merda, achei que tinha feito certo.
- Venha filho, vou arrumar a sua fralda – ela ia rindo para o quarto.
- É A PRIMEIRA VEZ QUE FAÇO ISSO! – gritei.
- MAS DEVERIA SABER, VOCÊ NÃO TROCA A LUZ? – ela gritou do quarto.
- NÃO!
Harry POV’S off

Capítulo 16

Estava tudo arrumado, Sean estava dormindo no chiqueirinho que estava na sala o lugar mais perto para eu vê-lo, eu terminava de arrumar a cozinha. Peguei Sean e levei-o para o meu quarto deixei a porta aberta e fui tomar um banho rápido. Depois que eu tive o Sean o banho mais demorado que eu tive foi de 15 minutos, eu sempre acho que ele esta chorando, mas ele nunca esta. Sequei-me e troquei de roupa e voltei para sala com o Sean no colo, fiz um café e peguei um livro na minha estante e comecei a ler, olhei para o lado Sean me encarava com seus olhos negros profundos, ele tinha olhos gigantes e negros por causa de seu olho ainda não ter definido a cor, eu podia perceber que seria cinza ou verde como os olhos do pai. Eu me segurava para não apertá-lo eu não via a hora dele ter uns quatro meses para eu esmagá-lo como fazia com o Vitor que ainda por cima ria quando estava sendo apertado. Harry entrou correndo em casa e foi direto para o quarto, não sei o porquê do pânico dele, só os meus pais que vão chegar daqui uma hora.
Eu dava banho no Sean quando Harry apareceu na porta do quarto de Sean, ele estava com uma calça jeans escura, uma camisa social branca, o seu perfume era tão forte que todo o quarto de Sean estava com o cheiro, achei estranho ele estar tão arrumado para ficar em casa. Troquei Sean e entreguei para Harry, que tirou uma foto dos dois, voltei para sala e fiquei zapeando os canais da TV ate parar em um seriado qualquer.

Harry POV'S on
Eu estava tão arrumado para espera do Sr. e da Sra. queria mostrar para eles que o pai do neto deles era um cara, podemos dizer, apresentável, de respeito quando eu pensei nisso deu uma gargalhada como estivesse lendo os meus pensamentos, ela estava tão normal para espera dos pais, sua roupa era uma de ficar em casa mesmo, em um dia gostoso de inverno ou de outono, reparei no colar dela que era um circulo com umas pedrinhas dentro ela sempre estava com ele, em tudo:
? - a chamei.
– Sim - ela olhou para mim.
– Por que você esta sempre com esse colar? - disse colocando Sean no chiqueirinho (que nome é esse?). Ela olhou para baixo vendo o colar.
– Ah, era da minha bisavó - ela o segurou na mão - Minha vó me deu no meu aniversário de cinco anos, mas eu deixava guardado, quando fiz treze anos eu comecei a usá-lo.
– Legal - sentei ao lado dela.
– Quando eu o usei a primeira vez minha vó disse - ele se arrumou no sofá colocando a cabeça no meu ombro - Que se eu o perdesse e um cara achar é porque ele me ama - ela olhou para cima e riu. - por isso eu nunca tiro ele.
– Ninguém te ama?
– Olha Harry, eu não acredito nisso.
– Claro - passei a mão no seu cabelo e voltou a atenção para TV, minutos se passaram e campainha tocou, correu para porta eu me levantei do sofá e fui atrás.
– Mãe! Pai! - escutei gritando, quando cheguei perto da porta, fiquei surpreso Sr. estava com um calção bege e uma camisa polo azul marinho, Sra. estava com uma calça jeans e uma camisa social verde piscina ela sorria para filha, as duas tinham o mesmo sorriso perfeito, estava agarrada com pai ela o soltou e seu pai ficou sério quando me viu. Deus me ajuda.
– Harry esse é meu pai Peter, e essa é a minha mãe Katherry - ela disse sorrindo, a mãe dela sorria e Peter continuava sério.
– Sr. e Sra. - Dei um abraço em Katherry.
– Me chame de Katherry, por favor - a mãe de sorriu e eu assenti, andei até Peter e assenti a mão e ele apertou com uma força em que eu pensei que ai ter que amputar a mão.
– Por enquanto Sr. - eu assenti sorrindo nervoso.
– Pai! - o repreendeu.
– Já disse, é Sr. .
– Peter! - foi a vez de Katherry falar.
– Querida - ele olhou para a mulher que sorriu.
– Bom entrem - deu espaço para eles entram, eles andaram ate a sala.
– Au - disse baixo.
– Me deixa ver - ela pegou a minha mão. - está vermelha, desculpa.
– Tudo bem – sorri.
Katherry estava com Sean no colo e Sr. assistia TV, e sua mãe foram para cozinha me deixando com Peter sozinho na sala, eu sabia que o dia do meu juízo final tinha chegando. Fiquei quieto olhando para TV, coloquei no twitter:
"Socorro, minhas mãos estão tremendo, ele vai me matar”.
Deixei que as fãs ficassem perguntando quem era, mas os meninos mandaram indiretas já sabendo que os pais da estavam aqui.
– Cuidado com a minha filha - Peter quebrou o silêncio.
– Como? - disse meio alheio.
– Cuidado com a , a minha bebe - ele disse serio - não quero vê-la machucada, sofre demais. Estou te avisando rapaz se você magoa-la não me responsabilizo pelos meus atos - ele me olhava tão profundo e falava tão serio em um nível calmo, mas intimidador que eu juro que estava pior que nerd no meio de vários jogadores de futebol americano.
– Cla-claro - disse tremendo, apareceu na sala nos chamando para comer, levantamos e Peter me fulizou com o olhar, abaixei a cabeça e fui em silencio para cozinha.
Quando percebi que Harry estava com medo do meu pai segurei a risada, chegamos à cozinha minha mãe começou a falar com Harry e eu levei Sean para o quarto, quando voltei para cozinha Harry comia um pedaço de torrada com geleia olhando de rabo de olho para papai que pelo jeito também se segurava para não rir, sabia que meu pai estava brincando com Harry. Algumas horas depois Harry é meu pai estava se dando bem, sendo que meu pai disse que ele poderia finalmente chamá-lo de Peter.
Estava sentada na minha janela olhando o quintal da nossa casa, as folhas dançam no ar e o vento frio batia em meu rosto, deixando meu nariz congelado ouvi alguém abrir a porta e passos mansos andou até a mim, mamãe se sentou ao meu lado na janela e ficou olhando o imenso quintal da minha casa.
- Harry é um ótimo pai pelo jeito - ela disse olhando a casa ao lado aonde Chris fazia seu filho dormir, ele virou para janela e me viu e acenou e eu retribui o aceno.
- Eu acho que sim - disse lembrando-se dele ter tentado trocar Sean - Ainda está no começo, mas sempre tenta fazer o melhor.
- E ele é um ótimo rapa, boa escolha filha - ela passou a mão em meus cabelos.
- Mãe.
- Sim - ela olhou para mim.
- Harry e eu não somos namorados - disse olhando para os meus pés.
- Mas eu...
- Não mãe, foi só um descuido e deu nisso - olhei para ela - somos apenas amigos.
- Pense bem - ela sorriu meiga - talvez não estejam juntos agora, mas nunca sabemos o amanhã.
- Mãe, tudo o que me importa agora é o Sean.
- Para ele também - ela me abraçou -, querida, o Harry é o homem que toda mulher quer.
- Ah mãe, nós não nos completamos.
- Você ainda não achou o que completa vocês - ela saiu do meu lado e me deu um beijo - estou indo querida, quem sabe essa semana eu não apareço aqui.
- Sim - fui andando com ela ate a sala, dei um tchau para o meu pai e a minha mãe - Amo vocês.
Era umas duas da manha e eu não conseguia dormir, peguei um casaco e fui para o quintal aonde eu me deitei na grama, o céu negro de Londres hoje tinha várias manchas brancas, as estrelas estavam tão brilhantes igualmente a lua. Fechei os meus olhos e fiquei sentindo o cheiro da relva, em pensamentos profundos eu percebi que eu criava um pequeno texto, ou uma pequena coluna.
“Quando você tem um filho tudo muda, sei jeito de se vestir, sua comida, sua vida, perde o tempo de amar, amar outro alguém que não seja seu filho. Mas muitas pessoas nunca deixam de amar, pois seus filhos são criados pelo fruto do amor, um amor sem explicação aonde você sabe que no outro dia de manha vai acordar e olhar para o lado e ver a sua outra metade dormindo calmamente, como estivesse tendo um sonho perfeito. Eu fico me perguntando se meu filho foi um fruto do amor, ou coisa do destino, não acredito no destino, mas às vezes eu penso que tudo é por culpa dele. Quem sabe agora eu não podia estar na minha casa olhando o vizinho da frente e contando quantas vezes ele vai ate o quarto e desce para sala ou vai para a cozinha, poderiam estar levando a minha vinda como fazia antes, ou podia ainda estar na casa dos meus pais andando por Liverpool e o sol acariciando o meu rosto, mas tudo que aconteceu foi eu ter um filho, que é completamente perfeito, e um amor nunca escolhido, nunca pedido. Eu gostaria de ficar a noite acorda o esperando chegar do trabalho, ou poder deitar a cabeça em seu ombro e acabar dormindo e no outro dia acordar de manha na cama, ou quando Sean sentir medo entrar no quarto e tocar com suas mãozinhas tão pequenas em nossos rotos e dizer “mamãe e papai estou com medo, posso dormir aqui”?” o deitaríamos no meio onde ele se sentiria em segurança. Às vezes imaginar é bom, mas imaginar demais o decepciona”.
Abri meus olhos e encarei a lua, ela parece tão feliz mesmo não sendo um planeta e ela não tem luz própria ela precisa do sol para iluminá-la, pensei na minha vida, eu não tenho luz própria, meu sol ainda não apareceu. Suspirei.
- Cadê você meu sol? - virei à cabeça de lado e ele estava ali de olhos fechados com uma mão encima da barriga.
Ele virou a cabeça para o meu lado e ainda com seus olhos fechados sorriu, ele abriu os olhos calmamente encontrando os meus seu sorriso aumento de tamanho quase rasgando o rosto dele, sua mão foi ate a minha aonde ele entrelaçou os dedos me fazendo sorri. Tinha medo que meu despertador tocasse e eu acorde-se vendo que aquilo foi tudo um sonho, mas isso era tão real para mim. Harry voltou à atenção para lua, nem um de nos falamos se quer um "a", queria saber o porquê de ele estar ali, para mim ele já estava dormindo e tento seus sonhos onde eu simplesmente não existo.
– Por que está aqui? - perguntei a ele.
– Acordei para beber água e olhei para janela da cozinha e vi você deitada na grama e resolvi me deitar também - ele falava fitando o céu estrelado - Espero que você não se importe.
– Não - comecei a olhar para o céu como ele – Sabe, eu amo ficar horas e horas olhando o céu estrelado.
– Você parece aquelas garotas de filmes - ele riu.
– Ah, Harry eu gosto de ficar sentada na janela ou na grama vendo o céu, sei lá, me sinto em paz.
– Vem aqui - ele puxou meu braço, deitei minha cabeça em seu peito e ele abraçava a minha cintura - Por que você disse cadê você meu sol?
– Bom - não sabia o que dizer, ate que contei o meu pensamento sobre a lua, sobre ela não ter luz própria. Harry ficou em silencio o tempo todo me escutando falar.
Acordei na minha cama, não me lembrava de ter indo para la senti uma respiração no meu ouvindo algo pesava na minha cintura virei de lado e encontrei Harry de olhos fechados, fiquei encarando ele por alguns minutos tudo que eu fiz foi por impulso, o abracei e encostei a minha cabeça no seu peito, as lágrimas vieram e eu apertei mais meus braços envolta do seu corpo como se quis-se que nos corpos se fundisse, já que ele está dormindo chorei:
– Ah, se você soubesse de tudo o que eu sinto quem sabe assim tudo não seria mais fácil - lagrimas e mais lágrimas desceram - Você é como a brisa da manha ao de a paz está, ao os problemas não existem, é como se você mudasse tudo, mas por que você é tão distante? - ouvi Sean chorar, limpei as minhas lágrimas e me levantei deixando Harry deitado peguei meu filho e fui para sala aonde eu me desmanchei em lágrimas.

***

Três meses depois
Sean estava com quatro meses, ele aprendeu a sorrir então tudo o que você falava com ele era motivo para um sorriso banguela. Harry brincava com ele no chão da sala junto com os meninos, e estavam sentadas na minha cama conversando sobre algo aleatório enquanto eu e arrumava dentro do meu closet, estava começando a ficar frio percebia que logo a neve iria chegar. disse algo meio proibido e eu gritei do meu closet fazendo ele me poupar de saber a noite dela e do Liam. Saí do meu closet já vestida, foi para o banheiro fazer uma maquiagem leve, ia sair com as meninas e a primeira vez que iria deixar Sean sozinha com o Harry por algumas horas, eu só o deixava sozinha com o Harry quando ai ao mercado. Como percebi que Sean gosta da presença de Harry eu sabia que ele não ia nem perceber que eu não estava em casa.
– Vamos? - disse para as meninas que assentira e foram andando até a sala.
– Estamos indo - disse dando um beijo no namorado - Niall, por favor, não se esquece de passar no mercado, se não você vai ficar sem comida porque eu não sei se volto a tempo da passar lá.
– A gente não vai virar a noite rodando Londres - disse para ela - E eu tenho um filho.
– Seu filho tem pai - ela falou mexendo na bolsa.
– Por isso eu tenho que voltar cedo - Harry me encarou sem entender - Você só sabe cuidar dele por alguns minutos Harry - todos riram e ele me deu o dedo do meio.
– Bom vamos - disse saindo do colo de Liam - Amor, ah... Ah fica aqui para ajudar Harry cuidar do Sean e eu vou voltar com a - ele assentiu - Sean é um bebe cuidado vocês cinco.
– Zayn e Louis o que vocês estão fazendo? - perguntei os vendo sussurrando e Sean não estava no colo do Liam, nem do Harry e muito menos no do Niall.
– Nada - Louis só virou o rosto para trás, andei até eles e vi Sean todo sujo.
– CHOCOLATE? - dei um grito quando peguei Sean fazendo Louis e Zayn se encolherem -, ele não pode comer isso ainda.
– Ah, deixa ele ser feliz - Niall disse - são só prazeres da vida.
– Ele não tem idade - Disse limpando a boca dele com uma toalha e tirando o chocolate da mão dele - Ai Deus eu não posso deixar ele com esse doidos.
liga para Jhessy que ela vem cuidar dele - disse.
– NÃO - Harry gritou. - eu cuido dele.
– Ok, na cozinha tem uma lista do que pode e o que não pode fazer ou dar para ele - olhei para Zayn e Louis - Leiam antes de fazer alguma coisa com ele ok.
– Ta - Harry levantou para pegá-lo, dei um beijo na bochecha de Sean - Vem aqui filho.
– Bom tchau Harry - dei um beijo na bochecha dele - Tchau meninos.
e me esperavam no carro, eu entrei e ligou o carro e fui direto para o shopping. Eu queria voltar correndo para casa e ficar vendo o que eles estavam fazendo com o meu filho, sabia que vários paparazzi tirariam fotos minhas e depois apareceria fotos minhas e das meninas andando sozinhas por Londres com a legenda dizendo " da uma volta sem o filho" nem iria ligar como sempre faço.
Chegamos ao shopping e fomos a algumas lojas e depois fomos comer algo, pediu um x-salada e eu e a um suco, estavamos conversando e rindo igual a idiotas quando meu celular toca.
– Alô? - disse sem ao menos ver quem era.
– ouvi Harry falar e entrei em pânico.
– Como o Sean está?
Bem - ele disse e eu relaxei na cadeira. - Mas um tal de Chris ligou, e queria falar com você disse que seu celular só dava caixa postal.
– OH GOD o Chris me ligou - coloquei a mão na boca. Lembra do meu chefe-sou-gostoso, ele queria falar comigo sobre o programa - Ligo para ele depois, beijos.
Quem é Chris? - Harry estava com o tom um pouco elevado.
– Meu chefe – disse.
Que bom... Que bom Liam.
Que bom o quê, Harry? - ouvi Liam falando no fundo segurei a risada.
– Tchau Harry.
Já tinha passado duas semanas depois que eu deixei Sean sozinho com Harry, hoje Chris veio aqui em casa falar como seria separado os blocos do programa. Harry não estava em casa, Chris e eu estávamos sentados na sala com um coberto assistindo um filme e tomando chocolate quente, riamos sem parar com o filme que passava para falar a verdade me sentia bem com Chris, mas nada além de amizade eu sentia por ele. Chris é aquele amigo para todas as horas.

Harry POV'S on
Quando cheguei em casa ouvi a gargalhada de dei um sorriso e andei ate a sala, fiquei estático com a sena que eu via era como se o mundo parasse, meu coração acelerou ao ver aquilo, andei em passos calmos até o corredor.
– Harry? - ouvi me chamar.
– Sim? - voltei para trás encarando o cara que estava ao lado dela.
– Ta tudo bem? - ela se levantou colocando a xicara na mesinha de centro.
– Claro - sorri falso. - Quem é?
– O Chris, ele veio aqui falar comigo sobre o programa - ela olhou para trás.
– Claro - disse e ela sorriu e voltou a sentar do lado do Chris-como-minhas-funcionarias entrei no meu quarto batendo porta -, por acaso o programa é sobre passar a tarde com o chefe gostosão? - resmunguei e entrei no banheiro para tomar um banho.

O cafajeste, digo, Chris foi embora e brincava com Sean em seu quarto. Se ela não gostava de mim por que eu fico aqui na esperança de um dia ela olhar para mim e dizer "vamos viver felizes para sempre"? Eu sei que teria que tomar uma atitude de esquecê-la e tinha que ser mais rápido possível.
– Harry - fui tirado dos meus pensamentos quando me chamou - Pega o Sean vou tomar um banho.
– Claro - peguei ele no colo e foi para o quarto.
Sean começou a chorar e eu fui para o quarto de procurar algo para dar a ele, olhei para porta do banheiro e ela esta com uma fresta, andei nas pontas dos pés dando um brinquedo para meu filho o fazendo ficar quieto. tirava a blusa rosa que antes vestia jogando no chão assim como a calça e resto das roupas, entrou debaixo do chuveiro deixando que ele molhasse seu cabelo, jogou a cabeça para trás passando as mãos nos cabelos, as gotas passeavam pelo seu corpo definido me fazendo querer ser uma gota de agua. Voltei para sala e me sentei no sofá. Eu a perdi.

Harry POV'S off

Hoje Sean fazia cinco meses, dava um banho nele e já faltavam vinte minutos para oitos Harry apareceu todo arrumado na porta do quarto, me segurei para não agarrá-lo.
– Aonde vai? - perguntei enrolando Sean em uma toalha.
– Vou sair - disse pegando uma fralda e entregando para mim.
– Com os meninos? – perguntei.
– Não - ele ficou em silêncio alguns minutos – , eu tenho um encontro.

Capítulo 17

Fechei meus olhos e abotoei o botão da roupa de Sean, suspirei algumas vezes e sorri dizendo para Harry que ele podia ir. Assim que ele saiu de casa eu dava comida para Sean enquanto segurava o choro. Percebi que tudo o que eu tinha criado em minha mente de sermos uma família perfeita foi por agua abaixo, era como se eu não fosse perfeita. Eu o perdi.

Acordei de manhã, fiz minha higiene matinal e fui para cozinha fazer café, tomei sozinha o meu café e voltei para o meu quarto trocando de roupa e logo em seguida trocando Sean. Peguei as chaves de casa e do carro e fui para a pediatra de Sean, primeira vez que está indo sem o Harry, não iria acordá-lo, ele talvez nem estivesse em casa, não queria me decepcionar, Harry nunca se esquecia de nada sobre o Sean. Assim que cheguei ao hospital fui logo atendida, a médica disse que Sean era saldável e era um pouco mais alto que a maioria dos bebes de cinco meses. Não queria ir para casa, por isso fiquei andando por Londres, parei em um restaurante qualquer para comer, e depois tirei algumas fotos com umas fãs. Quando entrei no carro meu celular tocou, era Harry não entendi ele mandou uma mensagem logo em seguida:
"Como Sean está"
Joguei meu celular no banco, e xinguei Harry com todos os xingamentos possíveis, não que eu esta com ciúmes de Sean, mas nem para perguntar se eu estou bem, óbvio que ele deve estar com a tal biscate da noite anterior.
Cheguei em casa e Sean estava dormindo, coloquei-o na minha cama envolta de vários travesseiros e fui tomar um banho, como sempre tomei um banho rápido e coloquei uma roupa confortável fui ate a cozinha e quando passei pela sala Harry me olhava com uma cara de bunda, pelo jeito a garota não é boa de cama. Quando cheguei à cozinha tinha tacos em cima da mesa quando peguei um dei uma mordida e eu sentia fogos de artifício atrás de mim, sabia que Harry fazia tacos, mas não que era tão bom.
– Eu fiz para você - escutei Harry falando atrás de mim.
– Obrigada - tomei um gole do meu suco.
– Desculpa por não ter ido junto com você - ele se sentou ao meu lado.
– Tudo bem, você estava em um encontro devia ter chegado tarde - me levantei para colocar meu copo na pia.
– Eu gosto mesmo dela - segurei o copo mais forte, pois eu sabia que ia derrubar ele, escutei Sean chorando e fui para o meu quarto e a única coisa que eu disse foi:
– Biscate.
Harry e eu estávamos assistindo um filme na TV, quando do nada ele começou a ficar me cutucando, fiz uma cara de tédio, mas não falei nada ele continuava atpe eu me irritar:
– PARA POXA - empurrei ele para longe de mim.
– Eu sei que você me ama - ele disse voltando a me cutucar – Né?
– Não te amo - disse rindo quando ele começou a fazer cócegas em mim.
– Diz que me ama - ele fazia cócegas em mim.
– Não... Para - eu batia nele enquanto ria.
– Diz.
– Não - ele não parava - TA... HARRY EU TE AMO... AGO-AGORA PARA! - ele saiu de cima de mim e deitou no chão rindo – Idiota.
– Mas você me ama - ele puxou a minha mão e eu cai em cima dele – Né?
– Não - levantei e sai correndo pela casa com ele ao meu alcance - NÃO HARRY, SAI DAQUI - me tranquei no meu closet e escutei-o batendo na porta.
– ABRE - ele batia na porta.
– NUNCA - fiquei em silêncio e depois escutei o barulho de porta batendo, não confiando muito coloquei a cabeça para fora olhei em volta ele não estava mais lá. - Harry? - ele não respondeu então eu sai do closet.
– BU - Harry apareceu na minha frente me fazendo cair.
– AAAAAAH - dei um grito, mas quando eu cai sem quere eu o puxei junto o fazendo cair sobre mim - você quase me matou.
– Desculpa - ele ria.
– Agora levanta, você é gordo - disse tentando empurrar ele.
Ele ficou olhando para mim e, sei lá, mas seus olhos verdes brilhavam como nunca, ele foi chegando mais perto de mim aquela aproximação estava me assustando, quando ele foi colocar nossos lábios eu virei o rosto.
– Levanta Harry - sussurrei para ele que se levantou no mesmo momento.

– Filho, a mãe já vai - disse para Sean que chorava em sua cadeira, ele está em uma fase onde só quer ficar no colo - Sean, oi - você tinha que ficar falando com ele para ver se ele parava de chorar.
Depois que Sean dormiu eu terminei de fazer o almoço e comi sozinha, Harry chegou uns minutos depois e só comeu, foi para o quarto trocou de roupa e saiu simplesmente sem dizer tchau. Limpei a cozinha e escutei Sean chorar e fui para seu quarto o peguei no colo, sentei no sofá com ele que deito a cabeça no meu peito e suas mãozinhas foram ate os meus dedos, ele começou a brincar e tentar colocar na boca.
Sean ficou um pouco brincando no chão assistindo "Baby Einstein" eu pude arrumar um pouco a casa, depois de uma meia hora Sean começou a chorar, suspirei e fui até ele. Sean ainda chorava mesmo estando no meu quarto, fique balançando ele ate que eu o vi lutando contra o sono, fui para o seu quarto e fechei a cortina e continuei balançando ele que ficava resmungando. Depois de uns minutos eu fechei a porta cansada de tanto ficar com ele no colo, sentei no sofá toda cansa e escutei a risada dos meninos na porta e o barulho da porta sendo aberta.
– Não gritem, por favor, não gritem - sussurrei na esperança que eles não gritassem.
– EU NÃO ACREDITO QUE VOCÊ FEZ ISSO - Harry gritou e gargalhou e eu escutei Sean chorar, suspirei e passei a mão no rosto e me levantei indo para o quarto do Sean - - Harry me chamou.
– Não Harry - disse indo para o quarto de Sean.
Estava na sala com os meninos e Sean no meu colo, ele não queria ir no colo de ninguém, nem do próprio pai, não estava ligando dele estar no meu colo, mas eu estava cansada disso, há duas semanas ele está assim e Harry não percebe, sei lá, só quero descansar um pouco. Niall percebeu que estava cansada e pegou Sean no colo e foi para o quintal com ele, fui até a cozinha e fiquei olhando eles pela janela, Niall conversava com ele e ia mostrando tudo que tinha lá sorri e agradeci Niall mentalmente e fui para o meu quarto para tomar um banho, mandei uma mensagem para o Niall falando que ia tomar um banho de banheira para relaxar e que qualquer coisa desse Sean para Harry. Entrei na banheira e sua água estava quente, mas acolhedora, fiquei uns bons minutos lá sentindo meus músculos relaxarem, saí da banheira e me enrolei em uma toalha branca e fui para o meu closet, coloquei uma calça de moletom e a minha camiseta do Ramones, fui para sala e os meninos ficaram encarando a minha blusa eu sentei no meio do Liam e Louis e comecei a ver eles jogando FIFA.
– Como vocês são péssimos nisso - disse pegando amendoins do potinho que tinha mesa de centro.
– Você não sabe de nada - Louis disse e todos riram.
– Claro que sei - disse e eles ainda riam - Ok, seu eu ganhar de vocês, todos vocês terão que cuidar do Sean para mim - eles ficariam quietos pensando e acabaram concordando.
– Eu vou primeiro - disse Zayn. Eu tinha ganhado de Zayn, Niall, Liam e Louis agora só faltava o Harry todos ficaram quietos quando Harry sentou ao meu lado.
– Pronta para perder? - ele disse - Nunca perdi, sou o melhor.
– Mas hoje irá perder - ele riu.
Fim do jogo Harry olhou para mim eu simplesmente coloquei o controle na mesa de centro me levantei e quando estava no corredor gritei:
– Amanhã vocês começam às nove da manhã, boa noite - e entrei no meu quarto sorrindo vitorioso.

- LIAM PEGA A FRALDA - Harry gritava do quarto de Sean.
- Eu acho que eu queimei isso aqui - Niall mostrou um prato para o Louis.
- Venha, vamos fazer de novo - eles entraram na cozinha.
- ZAYN, CADÊ VOCÊ COM A POMADA PARA ASSADURAS? - Liam gritava pela casa.
Eu estava sentada no sofá lendo um livro, mas eu tive que parar de ler para vê-los correndo pela casa feito uns loucos. No começo estava tudo bem até Sean ficar com fome e começar com as suas bagunças e choros, vi Harry com Sean no colo sorrindo vitorioso eles entraram na cozinha e eu fui de atrás para pegar algo para comer.
- LIAM, SEGURA A COLHER - Niall disse irritado.
- NÃO!
- SEGURA POXA, NÃO VAI MORRER - Niall gritou e ele pegou a colher, sentei em uma cadeira e fiquei olhando eles dando comida para o Sean, eles tinha tanto medo que ele se engasgasse que quase não davam comida para criança.
Era nove da noite quando eles sentaram no sofá todos cansados, tinham acabado de fazer Sean dormi. Os meninos foram embora e Harry foi para o seu quarto tomar um banho, eu limpei algumas coisas que eles tinham deixado sujo e fui ver como Sean estava, ele dormia de barriga para cima, às vezes dava uns sorrisos ou se mexia por estar sonhando, ele era tão parecido com o Harry, olhei para o seu quarto verde e vi que tinha alguns brinquedos que fãs deram para ele. Voltei para sala e olhei para o quadro encima da lareira. Harry, eu e Sean. Para que visse isso poderia pensar que éramos uma família de verdade, mas não somos, simplesmente não tem como nos sermos uma família.
Fazia três semanas que Harry estava saindo com uma garota, só vi algumas fotos dela, mas não sabia o nome. Olhei para Sean que brincava com um duende que Niall e Ananda deram para ele, seus olhos verdes foram de encontro com os meus, ele era tão parecido com o pai ate os seus olhos eram idênticos com os de Harry. Sorri e simplesmente imaginei Sean no futuro, para mim ele seria a copia de Harry. Simplesmente perfeito.
Fui tirada dos meus pensamentos quando ouvi barulhos de salto, olhei para o lado e lá esta Harry um pouco serio e uma menina do seu lado, olhei para sua mãos que estavam entrelaçadas, meu coração começou a bater mais rápido olhei para garota que tinha um sorriso nos lábios, meu olhos se encontraram com os de Harry como se procurasse uma resposta e simplesmente seus lábios vermelhos se mexeram saindo o som da sua voz com as palavras que fizeram meu coração bater mais fraco:
- , essa é Henley, minha namorada.

Capítulo 18

– Prazer, - estendi a mão para ela.
– Henley, Henley Blanc - ela apertou a minha mão.
– Bom Henley - ele puxou ela até Sean. - esse é o Sean.
– Awn, ele é a sua cara - ela pegou o meu filho no colo.
Já faz um mês que Harry está namorando com Henley, faz um mês que ela manda em tudo e manda em todos, estava segurando Sean pelas mãos para ele andar, Sean para sua idade já era bem firminho e ele não gostava de ficar deitado no chão, por isso ele ainda não sabe engatinhar. Henley estava na sala pintando a unha, eu coloquei Sean no andador e fui limpar o quarto de Harry.
– EU TO CANSADO PORRA - Harry e Henley brigavam pela quinta vez na semana.
– VOCÊ SÓ DA ATENÇÃO À ELA E PARA SEAN, ELE NÃO É TÃO IMPORTANTE ASSIM - senti meu sangue ferver, olhei para Harry e ele estava vermelho.
– NÃO É IMPORTANTE? SEAN É A COISA MAIS IMPORTANTE, ELE É MAIS IMPORTANTE QUE VOCÊ, ELE É A MINHA VIDA. E NÃO VENHA FALAR DA , POIS NÓS SOMOS UMA FAMÍLIA. SEAN, DEBBIE E EU, ELA TE RECEBEU NESSA FAMÍLIA E COMO VOCÊ TRATAR ELA VOU QUERER QUE ELA TE TRATE DO MESMO JEITO - ele saiu batendo porta e eu sou escutei o barulho dos pneus cantando, Sean começou a chorar e eu fui ver ele.
Harry ia sair mais cedo hoje, então eu fiz o seu café antes do horário normal.
– Bom dia - Harry sentou-se à mesa.
– Bom dia - disse tomando um gole do meu café.
– Ei desculpa por ontem ok? - ele falou pegando uma torrada.
– Tudo bem casais brigam.
– Não como nós.
Terminamos de comer em silêncio e Harry se levantou levando sua xícara para pia.
– Tchau - ele deu um beijo na minha testa - Te amo pequena.
– Também te amo - disse levantando.
Algumas horas depois Henley acordou e foi para cozinha perguntando onde estava o café, eu simplesmente falei que Harry tinha saído mais cedo e eu fiz o café antes e tinha comida no armário e na geladeira, fui para quarto de Sean ver como ele estava.
– Estou saindo, não sei que horas vou voltar - Henley disse.
Estava na sala brincando com Lux e Sean enquanto Lou fazia a mamadeira da Lux e de Sean, como eu ficava muito tempo com os meninos eu e Lou viramos amigas inseparáveis. Harry chegou e pegou Lux no colo e começou a brincar com ela.
– Oi Harry - Lou entregou a mamadeira para ele.
– Oi Lou - ele disse dando mama para Lux. - , bem que você podia ir para os Estados Unidos com a gente.
– Acho que não - disse dando mama para Sean - Henley vai com vocês.
– Vamos - Lou disse e vez uma careta quando eu disse sobre Henley.
– Henley não vai - Harry disse e Lou quase gritou. - Não quero ficar só pelo os EUA.
– Ok, eu vou - disse. - Sean e eu vamos gostar de visitar a tia Dianna.
– Me trocou vaca - Lou disse e nos rimos.
– Não! - disse rindo.
– Claro que sim Lou - Harry disse - é uma vaca troca todo mundo - começamos a rir igual a idiotas.
– Você é gay Harry - disse rindo junto com Lou.
– Isso que esté no seu braço prova que eu não sou gay - ele apontou para Sean e eu dei de língua.
para com isso - Lou se matava de rir.
- Lou disse e nos olhamos assustados para ela.
– AI MEU DEUS - disse com o sorriso maior que a cara - repete Lux.
– Vish - Harry disse. - agora vai a noite inteira ouvindo a fazendo a Lux falar .

Nova Iorque:
– Paua Hally - Lux batia na mão de Harry tentando o fazer parar de irritar ele - Paua Hally.
– Harry, para - falei já percebendo que ela ia chorar. - Ela vai chorar.
– Você ta pior que o Niall, só come - ele disse olhando para o meu pacote de amendoins.
– Você que pediu - disse.
– Não sou gordo - ele falou e eu fiz uma cara de brava.
– Ta me chamando de gorda?
– Você ainda se espreme para entrar nos seus jeans - ele deu um tapinha na minha perna.
– Mas eu sou perfeita para você - disse brincado e ele ficou quieto - Desculpa.
– Não, mas , alguém te mostrou as nossas novas músicas?
– Não por quê?
– Nada não.
Saímos do avião e quando começamos a andar pelo aeroporto comecei a ouvir um monte de gritos, quando eu achava que ia poder sair para entrar na van em segurança, começam a gritar o meu nome e eu não sabia o que fazer, Harry me empurrou até elas e começou a tirar fotos minhas junto com as fãs.
Chegamos ao hotel e Liam foi pegar as chaves dos quartos junto com Paul, Harry estava com Sean em seu colo que estava dormindo eu peguei a coberta dele e coloquei envolta de Sean, pois estava frio e do nada eu só senti uma luz forte, eu já estava esperando para amanha essa foto estar rondando a internet inteira falando que eu e o Harry somos ótimos pais e blábláblá. Paul chegou e entregou uma chave para o Harry.
– Cadê a minha? - eu perguntei.
– Você vai ficar no mesmo quarto que o Harry - quando eu ia falar ele saiu.
– Venha, vamos subir - Harry me chamou e eu concordei.
Quando eu entrei no quarto eu fiquei encantada, comecei a procurar outra cama até que eu percebi que só tinha um berço e uma cama de casal, então isso só queria dizer que eu e Harry iríamos dividir a cama. Arrumei algumas roupas minhas no mine closet que tinha ali e deixei um espaço para Harry colocar os seus blazers. Como estávamos cansados eu só fiz Sean dormir tomei um banho rápido e me deitei na cama junto com Harry.
– Então, o que está achando de New York? - ele se virou para mim.
– Já vim aqui, mas ela está mais bonita ainda - disse olhando para seus olhos verdes. - Sabe não estou com sono.
– Claro, dormiu o voo inteiro - ele riu.
– Não, eu não dormi o voo inteiro - dei um tapa no braço dele, ficamos em silêncio até que Harry foi chegando mais perto até as nossas testas colarem, seus lábios procuram os meus ele passou a língua pela minha boca pedindo passagem e concedi até que uma imagem de Henley veio em minha mente me fazendo empurrar Harry longe;
– O que foi? - ele me encarou assustado.
– Henley - virei de lado e tentei dormi, escutei Harry suspirar pesado e virar de lado.

Capítulo 19

Harry e eu descemos para tomar café da manha, sentamos em uma mesa sozinhos e o clima estava meio tenso entre nós, depois do que aconteceu ontem à noite Harry e eu só trocamos algumas palavras. Os meninos chegaram e os cinco começaram a conversar.
Estava terminando de arrumar Sean para sairmos por Nova Iorque, Lou e Lux estavam sentadas na cama esperando, Harry se arrumava no banheiro e eu acho que essa seria a primeira vez que iríamos sair em família sem sair correndo para o estúdio de gravação. Saímos do hotel e já começaram os gritos, Sean olhava um pouco assustados para as fãs, mas logo começou a rir com as brincadeiras das fãs. Depois de conseguirmos sair do hotel fomos para o central parque, Harry segurava as mãos de Sean e sai andando com ele pelo parque, senti Harry ficar estático olhando para mim e duas mãos tamparam os meus olhos:
– Jake! - tirei a mão dele e logo dei um abraço no meu melhor amigo, ou ex melhor amigo. - Tudo bem?
– Sim - ele sorriu - Olhe como você está! - ele disse me olhando de cima em baixo.
– EI NAMORADA DO HARRY STYLES - escutei uma voz conhecida e olhei para Harry e ria quando escutou "namorada" - Esqueceu que tem melhor amiga?
– Dianna! - disse abraçando ela - Meu Deus, como você mudou!
– Eu que digo.
– Olá - Luke disse me dando um abraço e passando os braços nos ombros da esposa.
– Gente que saudades - disse e Harry apareceu do meu lado - Harry, essa é Dianna, minha melhor amiga - uma delas. - Esse é Luke o marido dela e esse é Jake.
– Prazer - Dianna disse. – Olha, eu sei que vocês não são namorados.
– E esse é Sean - peguei Sean no colo.
– Que coisa mais linda. - Dianna o pegou no colo - Oi príncipe.
colo - Lux esticou os braços para mim e eu a peguei.
– Lou? - Dianna disse olhando para Lou.
– Dianna?
– Vocês se conhecem? - eu disse.
– Sim, longa história - Dianna disse, olhei para Harry que agora conversava com Luke e Sean.
– Ei meninos, eu a as meninas vamos andar por Nova Iorque depois a gente se encontra no Starbucks - disse.
vem aqui - Harry me chamou.
– Meninas, vão indo eu já alcanço vocês - elas assentiram e foram andando.
– Eu queria que nos saímos hoje para jantar, sabe, faz tempo que não saímos - ele falou olhando para os pés.
– Mas e a... - Harry me cortou.
– Demos um tempo - ele disse, ele me deu beijo no canto da boca, não sei se foi sem querer, mas eu gostei. Andei até as meninas sorrindo boba.

Jantar:
Nervosismo. Era isso que eu estava sentindo. Terminei de me arrumar e fui levar Sean para Lou cuidar, o deixa com ela e Lux e fui para o elevador. Harry nãos e vestiu no nosso quarto, mas no quarto de Niall, então eu ainda não tinha o visto. A porta do elevador abriu e eu dei um suspiro antes de sair, coloquei um pequeno sorriso no meu rosto e andei até as poltronas do saguão me virei olhando o local e me deparo com dois olhos verdes me encarando. Olhei-o de baixo para cima, andei até ele em passos longos:
– Você esté linda - ele disse me olhando de cima para baixo.
Você também - disse um pouco envergonhada.
– Vamos? - assenti e ele pegou a minha mão e saímos para fora do hotel.
Quando eu entrei no restaurante eu não fiquei tão surpresa, pois já foi em melhores por causa do meu pai, mas vou ser sincera, esse me surpreendeu. O garçom nos levou até a nossa mesa, fizemos os nossos pedidos e ficamos conversando até eles chegarem.
– Harry me chamou e eu olhei para ele – Venha, vamos dar uma volta no central parque.
– Claro – estávamos andando um do lado do outro, o central parque nem era tão longe do restaurante ou longe do hotel. – Desculpa a pergunta, mas por que deu um tempo com a Henley?
– Bom – ele deu um pequeno suspiro. – eu acho que não gosto dela, sabe lá, nós brigamos de mais.
– Isso é porque vocês têm gostos diferentes, e ela não gosta de mim; é estranho ter uma mulher que você não gosta na casa do seu namorado.
– Mas eu acho que isso não são motivos de brigas – ele disse olhando para mim. – , você e o Sean são a minha família, não gosto que briguem comigo por causa da minha família.
– Acho que não somos uma família – parei na rua.
– Por quê? – ele olhou para mim.
– Harry, não somos casados. Sean e você são uma família, eu e Sean somos uma família, não nós três juntos – disse olhando para os meus pés.
– Então casa comigo – olhei para ele.
– Ah... Ta brincando né? – disse séria.
, eu não me imagino casado com você, eu imagino você como uma amiga – aquelas palavras doeram mais do que mil facadas.
– Eu também – disse rindo fraco.
– Ei, está frio, vamos para o hotel – ele disse e passou seus braços envolta do meu pescoço.
Estava colocando Sean no berço e Harry estava no banheiro. Abri o zíper do meu vesti de joguei ele em cima da poltrona que tinha ali, peguei um sutiã e o coloquei, me virei e me deparo com Harry me olhando, olhei para baixo e eu só estava de roupa íntima. Tudo aconteceu tão rápido, Harry me beijando, roupas no chão e gemidos ecoando pelo quarto.

Merda, merda, merda que porra eu fui fazer ontem. Entrei debaixo do chuveiro e deixe que a água caísse sobre mim, estava com tanta raiva de Harry, primeiro me disse que só me vê como amiga de depois me leva para cama.
– QUERO MAIS QUE ELE SE FODA! - não me importei se alguém iria ouvir. Olhei para o canto do box e vi uma esponja enchi de sabonete e esfreguei com toda a força no meu corpo tentando tirar qualquer vestígio do Harry que estava em meu corpo. Encostei as costas na parede e fui descendo até ficar sentada no chão, deixei que as lagrimas caíssem, a única coisa que se ouvi no banheiro era os meus soluços misturado com o barulho do chuveiro.
Sai do banheiro e vesti uma roupa simples e quente, joguei meu celular dentro da minha bolsa e peguei Sean. Fui para o aeroporto compra uma passagem para Atlanta, não iria comprar pela internet, pois Harry poderia ver. Cheguei ao aeroporto e fui comprar a minha passagem. Iria ficar um tempo longe de Harry seria bom para nós dois.
– Aqui querida, quatro horas. Destino Atlanta - A moça me entrou a minha passagem e seu voltei para o Hotel.
As malas estavam no carinho para bagagens e eu estava fechando a porta do quarto quando Harry apareceu:
– O que é isso? - Harry perguntou sério.
– Estou indo para Atlanta - disse indo para o elevador.
– Por quê? - ele perguntou seco.
– Porque eu vou ver uns amigos - disse esperando o elevador. - Eu volto antes de vocês irem ou a gente se encontra em Londres - o elevador fechou antes que ele falasse algo.
Estava esperando chamarem o meu voo quando eu ouvi alguém me chamar, olhei para o lado e Harry vinha correndo atrás de mim.
– O que foi? - perguntei seca.
– Você não pode ir - ele disse recuperando o fôlego.
– Harry, eu vou. - disse séria.
– Eu quero que você fique - ele disse autoritário e eu ri.
– Somos amigos, certo? - disse sínica. - Então você não manda na minha vida. - cheguei perto dele e com os dentes serrados disse - Passar bem, Styles.
Foi para o portão de embarque deixando Harry com uma cara de tacho, sabia que ele viria atrás de mim ou ficaria me ligando, mas não iria responder. Sentei do lado da janela e pude ver Harry me olhando pelos vidros do aeroporto seu olhar era frio e sem e emitir um som ele disse:
– Passar bem, - se virou e sai marchando, voltei minha atenção para o banco da frente tentando esquecer-se de tudo que aconteceu.
Eu não queria, e eu não devia ir a viajem inteira pensando nele, não estou arrependida do que fiz; estou até me sentindo bem por isso, mas eu queria ter ele por perto. Harry me faz bem, mas saber que sou apenas uma amiga e ser usada só para dar prazer a ele isso já é demais. Eu queria simplesmente não ter ido aquela festa, não queria ter conhecido ele. Eu poderia estar em Liverpool com meus pais trabalhando na livraria do Joe, ou ter feito a minha faculdade em Londres e só ter continuado o trabalho como colunista. A única coisa que eu agradeço ao Harry de todo o meu coração foi por ter me dado Sean, não seria nada sem ele. Sean é o meu porto seguro, meu tudo e faria de tudo só para vê-lo bem, eu ficaria com o Harry mesmo ele não gostando de mim por Sean.
Olhei para o meu pequeno dormindo tranquilo, ele se parecia com o Harry quando era criança até os cabelos claros ele tinha, dei um suspiro pesado. Harry querido amigo.

Harry POV'S on
Entrei no quarto do Hotel batendo porta, a minha vontade era de socar algo. Deitei na cama de barriga para cima e quando percebi uma lagrima solitária caiu a limpei rapidamente, mas logo vieram outras deixei que elas caíssem. Eu acho que eu nunca chorei tanto por uma garota quanto estou chorando pela . Eu a amo.
Harry POV'S off

Depois de ter passado na casa da minha amiga que cuidava da minha casa em Atlanta eu foi para um mercado comprar algumas coisas para comermos e depois ir para casa.
Entrei no meu antigo quarto e coloquei as malas no chão, Sean estava dormindo coloquei ele na cama e foi guardar as compras na cozinha. Fechei a porta da geladeira e vi o antigo bilhete que Dianna tinha deixado na porta da geladeira:
", sei que não esta bem, mas lembre: alguém em outro lugar do mundo te ama. E não são os seus pais”.
Se esse alguém fosse o Harry talvez eu estivesse feliz, mas tem tantas pessoas no mundo certo. Fiz um café e fui para o meu quarto, peguei umas caixas antigas de fotos e me sentei no tapete da sala para mexer. Vi algumas fotos minhas e da Dianna, umas minhas na praia, umas fotos com um ex-namorado meu. Olhei para outra caixa do meu lado e estava escrito "Infância. Londres, EUA e Brasil", abri a caixa e fui vendo umas fotos, peguei uma foto na mão e fiquei olhando. Eu e um menino sentados na calçada olhando para casa na frente devíamos ter um cinco anos de idade, não sei como, mas eu me lembrei daquele dia.

Flashback on:
– Por que você vai embora? - ele disse triste.
– Não sei - falei jogando uma pedrinha na rua - mamãe disse que temos que ir.
– Mas você promete voltar para termos o nosso filho - ele disse olhando para mim.
– Claro eu prometi isso para você - abracei ele de lado.
– Será a Sra. Styles? - ele olhou para mim.
– Claro, né Harry?
Flashback off

Meu coração começou a bater rápido de mais, virei a foto e lá estava escrito " e Harry". Reprimi um grito, me levantei e fui para o quarto e vi Sean dormindo.
"- Promete voltar para termos o nosso filho?
– Claro - eu prometi."

Eu voltei? Eu cumpri a promessa? Sem ao menos saber disso.

Capítulo 20

Já fazia um mês que eu estava em Atlanta, Harry ligou algumas vezes para saber como Sean estava. Resolvi voltar para Nova Iorque, estava na casa da Dianna. Eram sete da noite e ela ainda estava trabalhando e Luke também. Sean estava tão enjoado só queria ficar no meu colo, passei a mão na testa dele e estava quente.
– Sean, você ta quente - passei a mão na bochecha dele, peguei um termômetro que estava na bolsa de Sean e medi a temperatura - Quase 39 - disse assustada, o peguei e fui para o hospital mais próximo.
Cheguei ao hospital e ele estava um pouco cheio, não quis sentar fiquei em pé, Sean estava com a cabeça encostada no meu pescoço, sem chorar, mas eu sei que ele não estava bem. E como de costume alguns paparazzi tiram fotos minhas, peguei meu celular e liguei para Niall.
? - ele disse.
– Niall eu estou no hospital com o Sean - disse um pouco calma. - Ele está com quase 39 de febre isso é muito para um bebê.
, estou na passagem de som, vou demorar um pouco para ir ai - ele disse e logo desligou.

Harry POV'S on
– Niall, o que aconteceu? - escutei Liam perguntando para ele.
está no hospital - ele disse e eu andei até eles - Sean está com febre, quase 39.
– Isso é muito para um bebê - Liam disse e eu sai correndo.
– HARRY, ONDE VOCÊ ESTÁ INDO? - Niall gritou.
– ESTOU INDO VER MEU FILHO! - disse saindo do estádio.
Nunca dirigi tão rápido em toda a minha vida, eu sai do estádio cantando pneu, poderia correr o risco de sofrer um acidente, mas meu filho era mais importante. Cheguei ao hospital e vi saindo da sala do médico com Sean no colo, ela deu um beijo na bochecha do medico que devia ter uns 27 anos de idade, por isso que eu não gosto de médicos jovens, eles são bonitos, ricos, e é o sonho de qualquer mulher. Entrei no hospital e levantou o olhar e meu viu, andou até a mim e parou na minha frente.

Harry POV'S off
– Harry? – disse.
– Vim ver Sean - ele falou olhando para Sean - O que ele tem?
– O médico disse que pode ser saudade - disse aquilo um pouco baixo.
– Agora você nunca vai poder me deixar - ele disse colocando Sean na cadeirinha.
– Na verdade, eu queria falar sobre isso com vocês - disse quando ele entrou no carro.
– Fale - ele deu a partida.
– Quando nós voltarmos, eu vou para Liverpool - disse olhando os carros.
– Tudo bem, você vai visitar seus pais. - ele disse olhando o trânsito.
– Harry, eu vou voltar para Liverpool - disse ele virou em uma rua e me olhou sem entender. - Eu vou morar com os meus pais.
– O quê? - ele freou fazendo a minha cabeça pender para frente.
– Harry, cuidado! – disse. - Eles já estão levando as minhas coisas para casa deles - mais uma freada. - Para o carro antes que eu perda o pescoço!
– Por que, ? - ele olhou para mim.
– Harry, Londres não é mais a mesma para mim, eu quero criar o meu filho em um lugar que me faça bem - disse olhando para ele. - Você vai poder visitá-lo.
– Eu sei, mas... - ele ficou quieto e ligou o carro novamente. - Henley ligou e pediu para voltarmos - ele falou aquilo e eu queria estar dirigindo para frear.
– O QUÊ? - disse olhando para ele.
, eu sei que você não gosta dela e tudo mais... - não deixei ele terminar de falar.
– Você não gosta dela. - eu disse e ele ficou quieto. - Você não gosta dela Harry, então por que voltar?
– Porque eu quero esquecer uma pessoa - ele disse e meu mundo caiu, então ele gosta de outra pessoa.
– Quem? - ele ficou em silêncio – Ta, não precisa falar então.

Londres:
Meu último dia em Londres, Sean hoje iria dormir com Harry por causa disso. Estava na sala sentada olhando o nosso quadro em família, aquela seria uma bagunça sem mim. Harry tinha voltado com Henley, foi como se o meu mundo acabasse quando ele disse isso hoje de manha. Harry sentou ao meu lado e não ligou a TV, eu sabia que ele não gostava dela, mas e se talvez não fosse verdade?
– Harry, você ama a Henley? - perguntei fazendo a minha voz ecoar pela sala.
– Amo - ele olhou para mim. - Eu amo ela.
– Estou indo porque vai ser bom para nós - eu disse - vai ser bom para você e Henley.
- ele olhou para mim.
– Boa noite Harry, amanhã eu vou sair cedo - me levantei e fui para o meu quarto, tirei meu colar e coloquei em cima da estante.
Estava tudo pronto, faltavam poucos minutos para o taxi chegar para nos levar ao aeroporto. Olhei para Harry e ele estava sentado no sofá com os pensamentos distantes, quem sabe pensando como seria o seu futuro com Henley, ou como ficaria sem Sean. Eu queria que nos dois nesse momento estivéssemos abraçados ou se beijando, que ele olhasse para mim e falasse "isso vai ser para sempre". Ouvi uma buzina e me levantei pegando as malas e Harry pegou Sean, o motorista colocou as malas no porta-malas e eu peguei Sean.
– Tchau - disse olhando para ele.
– Tchau - ele disse com a voz um pouco embargada, me abraçou e eu inalei o seu perfume pela última vez.
Entrei no carro e logo o motorista deu a partida, uma lagrima caiu do meu rosto quando eu vi Harry parado na porta olhando o carro partido.

Harry POV'S on
Fechei a porta com tudo e comecei a chorar, eu me sentia mais fraco meu mundo estava caindo, olhei para o quadro onde tinha a foto dela rindo, estávamos na praia e Louis falou algo engraçado e ela gargalhou e eu tirei a foto, não sei como ficaria longe dela eu não sei.
Harry POV'S off

Capítulo 21

Faziam meses que estava na casa dos meus pais, comecei a trabalhar em uma cafeteria perto de casa, Sean já tinha um ano e Harry veio para o aniversário de Sean, mas nem conversamos direito ele disse que ainda esta com Henley e eu ainda estou gostando dele. Estava sentada na salinha dos fundos da casa dos meus pais, onde eu passava bastante tempo. A lua era a única coisa que estava iluminando, meus pensamentos foram até Londres e eu tentava saber se ele estava bem.

Harry POV’S on
Estava sentado no sofá olhando para o pequeno porta-retrato onde tinha nossa foto. , Sean e eu. Respirei fundo sabia que estava prestes a chorar e eu não choraria não de novo, sabia que ela tinha indo embora para o melhor dela, mas isso é tão errado ela não podia ter me deixando aqui esperando a qualquer momento ela abrir a porta e dizer "Ei, ficou me esperando chegar?" Olhei o céu negro lá fora, sabia que devia ser madrugada, sabia que nesse momento ela devia estar dormindo calmamente ou podia estar acordada como eu, andei até o corredor e vi a porta do seu quarto fechado, fazia tanto tempo que eu não entrava lá eu insistia em não entrar sabia que se eu entrasse choraria novamente, me jogaria no chão e choraria a noite inteira, sabia que se eu entrasse uma avalanche de lembranças me atacaria, sabia que se eu entrasse tomaria decisões precipitadas e deixaria tudo que eu planejei para seguir enfrente como ela. Mas eu sabia que não iria resistir e entrei naquele quarto, corri e me joguei na cama dele e comecei a chorar, o cheiro dela impregnava o local, eu estava deixando o travesseiro completamente encharcado, eu soluçava alto.

And so it is
(Então é isso)
Just like you said it would be
(Assim como você disse que seria)
Life goes easy on me
(A vida vai fácil pra mim)
Most of the time
(Na maioria das vezes)
And so it is
(Então é isso)
The shorter story
(A história mais curta)
No love, no glory
(Sem amor, sem glória)
No hero in her sky
(Sem herói no céu dela)

I can't take my eyes off you
(Não consigo tirar meus olhos de você)
I can't take my eyes off you
(Não consigo tirar meus olhos de você)
I can't take my eyes off you
(Não consigo tirar meus olhos de você)
I can't take my eyes off you
(Não consigo tirar meus olhos de você)
I can't take my eyes off you
(Não consigo tirar meus olhos de você)
I can't take my eyes...
(Não consigo tirar meus olhos...)

Olhei para a janela que estava aberta, sentei no peitoril dela e deixei que o vento batesse em meu rosto, voltei a minha atenção ao céu negro de Londres, pensava se ela também estava sentada no peitoril da janela de seu quarto olhando o seu negro de Liverpool, ou se ela estava com meu filho ao seu lado na cama olhando atentamente para ele vendo-o dormindo calmamente. Sabia que foi errado eu ter deixando-a partir.

And so it is
(Então é isso)
Just like you said it should be
(Como você falou que deveria ser)
We'll both forget the breeze
(Nós dois esqueceremos a brisa)
Most of the time
(A maioria das vezes)
And so it's
(Então é isso)
The colder water
(A água mais gelada)
The blower's daughter
(A filha do vento)
The pupil in denial
(A aluna rejeitada)

I can't take my eyes off you
(Não consigo tirar meus olhos de você)
I can't take my eyes off you
(Não consigo tirar meus olhos de você)
I can't take my eyes off you
(Não consigo tirar meus olhos de você)
I can't take my eyes off you
(Não consigo tirar meus olhos de você)
I can't take my eyes off you
(Não consigo tirar meus olhos de você)
I can't take my eyes...
(Não consigo tirar meus olhos...)

O errado foi eu dizer para ela que eu amava Henley, sendo que na verdade a pessoa que eu mais amava estava na minha frente, alguém que nunca pensei que teria algo mais alguém que na verdade me deu a minha felicidade e que agora por culpa da pessoa que eu chamo de namorada, minha culpa também por ter escolhido ela, e agora a minha felicidade foi embora foi simplesmente retirada de mim, assim como ela que optou voltar para sua cidade que com certeza devia ter deixado alguém que a ama, não seus pais, mas um cara que a espera todos os dias que podo lhe dar tudo.

Did I say that I loathe you?
(Eu disse que te detesto?)
Did I say that I want to
(Eu disse que quero deixar)
Leave it all behind?
(Tudo para trás?)

I can't take my mind off you
(Não consigo parar de pensar em você)
I can't take my mind off you
(Não consigo parar de pensar em você)
I can't take my mind off you
(Não consigo parar de pensar em você)
I can't take my mind off you
(Não consigo parar de pensar em você)
I can't take my mind off you
(Não consigo parar de pensar em você)
I can't take my mind...
(Não consigo parar de pensar...)
My mind... my mind...
(Meus pensamentos... Meus pensamentos...)
'til I find somebody new
(Até conhecer uma nova pessoa.)

Eu sei que não consigo seguir enfrente, pois eu estou aqui chorando por alguém que simplesmente olhou para mim e disse "desculpa, mas é para o nosso bem"; a cena dela entrando no carro ainda estava em minha mente, mesmo passado meses, a culpa de eu ter feito isso me domina; o ódio que eu tenho pela a minha namorada ferve em meu sangue e agora não sei o que fazer, pensa que eu amo Henley eu também pensava ate perceber que eu comecei a me sentir diferente quando não acordava de manha e a vi sentada no sofá da sala assistindo desenhos animados com Sean no seu colo, ou das tarde chuvosas onde ela ficava canto para Sean quanto via a chuva caindo.
Fechei a janela e antes que saísse do quarto resolvi olhar sua gaveta quando eu abri vi uma folha um pouca amassada, abri calma e comecei a ler.

Um sentimento tão forte pode dominar um ser tão frágil, um sentimento que faz você perceber coisas simples que a pessoa faz, o sentimento mais temido por todos, o sentimento que mais te machuca o sentimento que quase nunca é correspondido. Esse sentimento me fez perceber coisas em que eu nunca tinha percebido, o jeito que ele meche no cabelo tentado disfarçar a vergonha ou o nervosismo, do modo que ele fala o meu nome de um jeito tão intenso que eu já cheguei a pensar em que ele esta apaixonado por mim, como ele olha para Sean e sorri bobo como se nunca tivesse o visto na vida, mas o que me prende a atenção e como ele canta, uma sinceridade ele vive o momento como se ele tivesse alguém para cantar essa canção que ele pensasse nela quando canta. Esse sentimento é tão forte sendo que eu me arrepio só de sentir a sua presença, seu toque faz com que eu me sinta em outro lugar, não sei como expressar o que eu sinto, não sei como dizer o que eu sinto de verdade. Quando vou poder dizer para ele que eu o amo, quando vou poder saber que e irei acordar de manha e não vai ter um bilhete do meu lado, mas sim ele vai estar ali, meu desejo de toca-lo nunca se sessa, a vontade beija-lo quando ele começa falar nunca mudou. Agora não sei se devo seguir em frente eu simplesmente olhar para isso e disser "esta tudo bem" simplesmente não sei mais.

Quando terminei de ler as lagrimas pingavam na folha, dobrei a folha e a guardei na gaveta do meu quarto aonde eu sabia que era o melhor lugar para guarda-la, e antes de dormir mais uma vez pensei nela, mas agora eu acho que ela escolheu seguir enfrente, então estar com Henley tentando ser feliz foi a melhor escolha? Eu acho que não, ainda não.
Harry POV’S off

Dias depois:
– Meu colar – eu disse passando a mão no meu pescoço – Mãe?
– Oi filha – ela apareceu na porta do meu quarto.
– Você viu o meu colar?
– Querida, você veio sem ele – ela disse e eu quase surtei procurando ele em todo lugar da casa.

Harry POV’S on
Estava no quarto de arrumando algumas coisas e tentando fazer um novo quarto de visita ali, puxei a cama para o lado e vi uma coisa dourada do chão peguei e vi que era o colar de , fiquei parado olhando para ele ate que eu me lembrei de algo “Minha vó disse que se eu o perdesse e um cara achar é porque ele me ama”, eu soltei o colar em cima da cama e me assustei lembrando-se disso, eu a amo certo? Liguei para Henley.
– Temos que conversar – disse saindo de casa.
Harry POV’S off

Não acredito nisso cara, eu perdi meu colar. MEU COLAR. Estava trabalhando e fui atender uma mesa:
– Então, o que vão pedir?
– Minha melhor amiga de volta para Londres – olhei e vi e Niall sentados na mesa.
– O que fazem aqui? – Disse abraçando .
– Viemos falar para a vó da que ela está noiva – ele disse.
– NOIVA? – falei um pouco alto. – O quê?
– Se você for contar já fazem dois anos de namoro – ela disse.
– Ok – disse e marquei os pedidos deles.
Fui para casa e Sean veio correndo até a mim, dei um beijo na bochecha dele e fui para o banho estava muito cansada e eu sei que essa semana seria pior.

Capítulo 22

- Sean – o chamei que pulou do colo do meu pai – vamos passear – o peguei no colo e sai de casa.
Depois de ficarmos um bom tempo andando por Liverpool, eu voltei para casa me deitei no sofá e fiquei assistindo desenho com Sean, estava tão cansada que acabei dormindo. Alguém me estava me chamando ate que eu acordei:
– Daqui a pouco vamos sair – minha mãe disse pegou Sean no colo já que ele estava dormindo Andei ate o meu quarto e a minha mãe disse que ela e meu pai já estavam saindo era para eu ir depois para o jantar, assenti e entrei no meu closet procurando algo decente e clássico. A campainha tocou e eu fui ate a porta atender.

This time, this place,
(Desta vez, este lugar,)
Misused, mistakes
(Desperdícios, erros)
Too long, too late
(Muito tempo, muito tarde)
Who was I to make you wait?
(Quem era eu para te fazer esperar?)
Just one chance, just one breath
(Apenas mais uma chance, apenas uma respiração)
Just in case there's just one left
(Apenas no caso de haver apenas uma restando)
'Cause you know, you know, you know...
(Porque você sabe, você sabe, você sabe ...)

– Harry – disse vendo ele.
– Quero falar com você – ele disse eu dei passagem.
– Senta – apontei para o sofá e ele se sentou.
– Cadê o Sean? – ele perguntou olhando em volta.
– Está dormindo – disse me sentando no outro sofá – Então...
– Bom , eu queria que... – nem deixei ele terminar de falar.
– Não vou voltar para Londres, não insista – disse séria.

That I love you
(Que eu te amo)
I have loved you all along
(Eu te amei o tempo todo)
And I miss you
(E eu sinto sua falta)
Been far away for far too long
(Estive afastado por muito tempo)
I keep dreaming you'll be with me
(Eu continuo sonhando que você estará comigo)
And you'll never go
(E você nunca irá embora)
Stop breathing if I don't see you anymore
(Paro de respirar se eu não te ver mais)

– Mas , eu gosto de você – ele falou aquilo e eu fiquei quieta – Eu terminei com a Henley.
– Harry, para com isso – disse ficando em pé – eu não vou para Londres.
– Mas ... – ele se levantou.
– Vai embora Harry, por favor, vai agora – disse apontando para a porta.
– Eu te amo – ele falou.
– Vai embora – falei um pouco mais alto – Por favor – disse e uma lágrima caiu.

On my knees, I'll ask
(De joelhos, eu pedirei)
Last chance for one last dance
(Última chance para uma última dança)
'Cause with you, I'd withstand all of hell to hold your hand
(Porque com você, eu resistiria todo o inferno para segurar sua mão)
I'd give it all
(Eu daria tudo)
I'd give for us
(Eu daria tudo por nós)
Give anything but I won't give up
(Dou qualquer coisa, mas eu não vou desistir)
'Cause you know, you know, you know
(Porque você sabe, você sabe, você sabe)

Fechei a porta e me sentei no chão e eu o vi dizer “EU TE AMO ”, comecei a chorar mais ainda, não queria ouvir isso, era tão errado.
Era dez da noite e eu sabia que Harry iria embora, Sean brincava no chão eu olhei para ele e vi uma caixinha preta em sua mão.
– Sean, da pra mamãe isso – peguei a caixinha da mão dele, quando eu abri a caixinha e me assustei – Mãe, cuida do Sean, eu já volto.

That I love you
(Que eu te amo)
I have loved you all along
(Eu te amei o tempo todo)
And I miss you
(E eu sinto sua falta)
Been far away for far too long
(Estive afastado por muito tempo)
I keep dreaming you'll be with me
(Eu continuo sonhando que você estará comigo)
And you'll never go
(E você nunca irá embora)
Stop breathing if I don't see you anymore
(Paro de respirar se eu não te ver mais)

Sai correndo e fui direto para o aeroporto, para ajudar o trânsito estava parado. Olhei uma placa falando sobre o show do One Direction que teve sexta, então por isso que ele estava aqui. Entrei no aeroporto e corri aonde tinha uma multidão, eu corria ate as fãs feito uma louca, quando cheguei na frente junto com as fãs vi os meninos andando gritei o nome de Harry, mas sei que ele não me ouviria, passei por baixo da fita e corri até ele.

So far away (So far away)
[Tão longe (tão longe)]
Been far away for far too long
(Estive afastado por muito tempo)
So far away (So far away)
[Tão longe (tão longe)]
Been far away for far too long
(Estive afastado por muito tempo)

– HARRY – gritei mais alto.
– Ei volta aqui – segurança disse.
– HARRY – gritei mais uma vez – HARRY ME ESPERA.
? – ele virou para mim – , o que você faz aqui? – HARRY, EU TE AMO – eu pulei no colo dele – Eu te amo, eu te amo!
... – não deixei ele terminar de falar e beijei-o.
Parecia que só tinha nos dois ali, esse foi o beijo mais verdadeiro entre nos dois. Eu me sentia tão bem em dizer aquilo.
– Não vai agora para Londres – disse parando o beijo – fica comigo, eu te amo Harry, depois nos voltamos e...
calma – ele disse rindo, passou a mão no bolso – cadê?
– Isso - eu peguei o colar na minha mão.
– Como?
– Acho que caiu do seu bolço – disse – Eu te amo.
– Eu te amo – ele me deu um beijo – pronta para primeira capa no jornal.
– Prontíssima – dei um beijo nele.

But you know
(Mas você sabe)
You know, you know
(Você sabe, você sabe)
I wanted, I wanted you to stay
(Eu queria, eu queria que você ficasse)
Cause I needed, I need to hear you say
(Porque eu precisava, eu preciso ouvir você dizer)
That I love you
(Que eu te amo)
I have loved you all along
(Eu te amei o tempo todo)
And I forgive you, for been away for far too long
(E eu te perdôo, por ter ficado afastado por muito tempo)
So keep breathing, cause I'm not leaving you anymore
(Então continue respirando, porque eu não vou mais te deixar)
Believe and hold on to me and, never let me go
(Acredite e se segure em mim e nunca me deixe ir)
Keep breathing, cause I'm not leaving you anymore
(Mantenha a respiração, porque eu não vou mais te deixar)
Believe it Hold on to me and, never let me go
(Acredite Segure-se em mim e nunca me deixe ir)
(Keep breathing) Hold on to me and, never let me go
[(Continue respirando) Segure-se em mim e nunca me deixe ir]
(Keep breathing) Hold on to me and, never let me go
[(Continue respirando) Segure-se em mim e nunca me deixe ir]

Cinco meses depois
– Papai – Sean chamou Harry que estava sentado no sofá.
– Sim – Harry andou até ele.
Olhei para os dois brincando e sorri, pois é eu tinha cumprido o que Harry tinha pedido quando era criança, me tornei a senhorita Styles e nos tivemos um filho.
– Harry – o chamei.
– Fala.
– Sabia que a gente já se conhecia – contei toda a historia de nos dois e depois mostrei a foto.
– Eu sabia que você iria cumprir – ele sorriu e me beijou.

Capítulo 23

Um ano depois
Acordei hoje de manha com dor de cabeça, me arrastei ate o banheiro e tomei um banho demorado para ver se aquela dor passava um pouco. Harry estava na sala assistindo desenho com Sean, os deixei ali e fui para o meu trabalho, estava trabalhando sozinha hoje porque Layla esta viajando com o Liam e Ananda está em lua de mel.
Voltei para casa era onze da noite, esta com mais dor de cabeça como eu comi muito pouco eu estava um pouco enjoada, fui para cozinha comer algo e depois fui ver Sean. Ele estava tão parecido com o Harry, dei um sorriso de lado e fechei a porta do quarto e fui para o meu, Harry estava sentado na cama assistindo TV.
– Já chegou - ele olhou para mim.
– Sim - disse dando um selinho nele - estou tão cansada.
Troquei de roupa e fui para o banheiro escovar os meus dentes, eu me sentia tão mole, voltei para o quarto e sentei ao lado de Harry. Ficamos em um tempo em silencio e Harry foi chegando mais perto de mim, não sei o que aconteceu, mas eu senti um enjoo sai correndo para o banheiro e joguei tudo para fora. Comei a lembrar do meu dia, dor de cabeça, cansaço enjoo.
– Harry - disse assustada quando ele apareceu no banheiro.
Alguns anos depois...
– Harry deu positivo - falei saindo do banheiro.
– O terceiro? - ele disse assustado.
– É Harry o terceiro - disse sentado na cama - Vou te dizer mais uma vez - falei olhando para ele - TEM CAMISINHA NA PRIMEIRA GAVETA.

FIM.
Sera?!

Comentários da autora

Ai meu Deus, não acredito que já cheguei no final. Eu queria agradecer a todas vocês por tudo mesmo, agradeço pelas leitoras que comentaram e ate para as que não comentarem. Já estou escrevendo a minha próxima fic e logo irei posta-la aqui no site. MUITO OBRIGADA E EU AMO MUITO VOCÊS. Debbie xx