Entre Cavalos e Números

Escrito por Valentine Dellacour | Revisado por Luba

Tamanho da fonte: |


Prólogo

   chegava para mais um dia de trabalho no hotel fazenda Recanto das Orquídeas. A manhã estava fria por volta das 08h; os termômetros marcavam 04oC e o dia seria longo. A reforma do hotel ainda estava no início e havia muito trabalho a ser feito. Por ser uma construção muito antiga, o engenheiro teve que contratar uma equipe especializada para realizar o serviço e tudo indicava que demoraria bem mais que o previsto para entregar a obra concluída. Vinha tão distraído ouvindo John Mayer que não viu quando uma garota morena de olhos azuis surgiu na sua frente, montada num cavalo negro. O cavalo se espantou com o veículo e empinou, fazendo com que tomasse um susto e tirasse as mãos do volante por alguns instantes.
  Crash - Foi o barulho que se ouviu a seguir.

Capítulo 1

Basileia - Suíça

  Yuri Hernández - Locutor do SporTV:
E lá vem a nossa última competidora na modalidade individual, . A brasileira é uma das grandes apostas do técnico George Morris pra esse campeonato e é filha do grande Francisco , campeão brasileiro e mundial no Concurso Completo de Equitação. Ela vem montada no cavalo Giroud de Casanova. Meena, fale um pouco mais desse animal pra gente.
  Meena Laghari - Comentarista do SporTV: O Giroud de Casanova é um Brasileiro de Hipismo, de pelagem castanha, filho de Pierre de Casanova em égua Eveline de Santa Fé. Tem nove anos de idade e é um cavalo bem forte, de sangue quente, enérgico. A vem treinando com ele nos últimos dois anos e essa parceria tem rendido grandes resultados.
  Yuri Hernández - Locutor do SporTV: Muito bem. Então vamos à prova. inicia o percurso e salta muito bem os dois primeiros obstáculos, um muro de 1,2 m e uma vertical com uma testeira em cima. Agora vem os obstáculos de nº 03 e nº 04, uma barra tripla e uma ultra larga tríplice, e novamente os dois passam facilmente.
  Meena Laghari - Comentarista do SporTV: Yuri, agora nós temos um obstáculo difícil. É uma dupla barra vazada, que pode confundir um pouco os animais. Nós já vimos alguns competidores terem problema nesse obstáculo, mas a vem trabalhando bem com o Giroud e eu acho que eles têm grandes chances de passar por essa sem errar.
  Yuri Hernández - Locutor do SporTV: É, Meena, você tava certa. Nossa amazona e seu Brasileiro de Hipismo passaram por esse obstáculo sem cometer uma falta. Será que temos chances de pódio?
  Meena Laghari - Comentarista do SporTV: Olha, eu acredito que sim. A até agora tem feito uma prova impecável, sem faltas, dentro do tempo, então eu acho que nós temos fortes chances de terminar pelo menos em terceiro lugar.
  Yuri Hernández - Locutor do SporTV: O sexto obstáculo é um duplo de testeiras e novamente o conjunto passa bem. O próximo é uma paralela sobre o buraco e aí nós temos a primeira falta. O animal acabou encostando as patas traseiras em uma das paralelas, derrubando-a. Isso será penalizado ao final da prova, certo Meena?
  Meena Laghari - Comentarista do SporTV: Exatamente, Yuri. Ao término da prova, serão descontados 4 pontos por essa falta. Foi uma falta boba, em um obstáculo que não apresenta um grau de dificuldade tão elevado, mas acredito que a irá recuperar esses pontos nos obstáculos restantes.
  Yuri Hernández - Locutor do SporTV: Após a primeira falta, e Giroud de Casanova saltam muitíssimo bem o oitavo e o nono obstáculos, uma dupla barra vazada e uma vertical de três barras. O décimo obstáculo é um duplo de testeiras vazadas e o conjunto salta sem qualquer problema. O próximo obstáculo pode ser considerado o mais difícil do circuito, não é, Meena?
  Meena Laghari - Comentarista do SporTV: Com certeza. São três verticais em um espaço muito curto, ou seja, o cavalo mal termina de saltar um obstáculo e já tem que saltar outro. São três saltos seguidos e o cavaleiro ou a amazona tem que ter um domínio muito grande sobre o animal. Esse foi o obstáculo onde a maioria dos competidores perdeu pontos.
  Yuri Hernández - Locutor do SporTV: E lá vem o nosso conjunto. O primeiro salto é meio desajeitado, mas a dupla passa sem nenhuma falta. O mesmo ocorre com o segundo. No terceiro salto, parece que assume um controle um pouco maior sobre o animal e eles saltam sem nenhum problema. Agora vamos para os obstáculos finais. O primeiro é uma vertical sobre a água, em que o Giroud dá a impressão de que vai refugar*, mas na última hora salta. O último é uma larga paralela, que eles saltam sem muita dificuldade.
Fim de prova para e Giroud de Casanova. E aí, Meena, o que achou?

  Meena Laghari - Comentarista do SporTV: Olha, Yuri, não tô surpresa não. Foi a melhor prova dentre os atletas brasileiros, na minha opinião. A é uma amazona muito forte, consegue controlar o Giroud e tirar dele o seu melhor. Apesar da falta cometida, o percurso foi feito em um tempo excelente e a sua montaria é muito boa, então eu acho que é meio impossível não termos medalha na categoria individual.
  Yuri Hernández - Locutor do SporTV: Bom, vamos aguardar a contagem final dos pontos e a classificação geral da prova individual. Enquanto não temos o resultado, vamos para um pequeno intervalo. Voltamos já. SporTV, o canal campeão.

INTERVALO COMERCIAL

  Yuri Hernández - Locutor do SporTV: Estamos de volta com a transmissão do Concurso de Salto Internacional da Basileia, na Suíça. E temos brasileira no pódio, viu? e Giroud de Casanova conquistam o segundo lugar no individual, com 54s82”, atrás apenas de Berrie Delavoux e Celine DV. Foi um segundo lugar muito merecido, né Meena?
  Meena Laghari - Comentarista do SporTV: Sem dúvida, Yuri. A vem fazendo um excelente trabalho com o Giroud, treinando com afinco, se dedicando e os dois juntos formam uma boa dupla. Não é à toa que ela é uma das mais cotadas pra integrar a equipe brasileira pros Jogos Olímpicos do Rio. Se tudo correr bem, temos chances de medalhas.
  Yuri Hernández - Locutor do SporTV: É isso aí. Bem, chegamos ao fim da nossa transmissão. Muito obrigada pela companhia, Meena.
  Meena Laghari - Comentarista do SporTV: Eu é que agradeço a oportunidade. É sempre bom estar com vocês!
  Yuri Hernández - Locutor do SporTV: Parabéns à pela brilhante prova. Muito obrigada aos telespectadores pela audiência. Fiquem agora com a reprise do jogo entre Corinthians e Palmeiras pela Copa São Paulo de Futebol Júnior. Até mais. SporTV, o canal campeão.



* Refugar - Refugo é quando o cavalo desiste de saltar o obstáculo.

Capítulo 2

Rio de Janeiro - Brasil
Canteiro de obras do Residencial Jasmine


  - Então, seu Ezequias, como está o andamento do emboço das paredes internas? - questionou ao funcionário responsável por coordenar o serviço, enquanto caminhavam por um dos apartamentos do segundo andar.
  - Tá tudo certo, seu . A gente teve uns problemas com o encanamento do banheiro, mas o pessoal da hidráulica já resolveu.
  - Muito bem. Semana que vem nós iniciamos a colocação do piso e eu preciso que vocês agilizem ao máximo o serviço. O cliente tá apertando e nós precisamos entregar essa obra dentro do prazo.
  - Pode deixar que eu vou dar um gás na turma pra terminar tudo a tempo.
   - Ok, seu Ezequias. O senhor por acaso sabe se… - não teve a chance de concluir a frase, pois foi interrompido pelo toque do celular. Como não conhecia o número, afastou-se do mais velho, procurando um local mais tranquilo para atender a ligação.

“Alô.”
“Boa tarde, João. Tudo bem?”
- uma voz masculina perguntou, do outro lado da linha.
“Desculpe, mas esse número não é dele.”
“Quem tá falando?”
“O senhor quer falar com quem?”
“João .”
“É o meu pai. Quem tá falando?”
“Oi . Aqui é Teodoro , um amigo do seu pai. O João por acaso tá aí?”
“Não. Acredito que ele esteja no escritório da construtora com a minha mãe.”
“É que eu tô tentando falar com ele desde cedo, já liguei umas três vezes pra lá e a secretária disse que ele tinha saído. Na última ligação, ela me passou o seu número.”
“Aconteceu alguma coisa, seu Teodoro?”
“Não, tá tudo bem. É que eu preciso fazer uma reforma e construção na minha propriedade e queria conversar com o seu pai a respeito.”
“Que tipo de obra seria?”
“Revitalização do hotel fazenda e construção de um galpão em Ipiabas.”
“É algo muito urgente?”
“Um pouco. Daqui a alguns meses começa a alta temporada e os festivais de inverno na região e eu queria agilizar ao máximo essa reforma pra não causar tantos transtornos aos hóspedes do hotel fazenda.”
“Entendi. Se o senhor quiser, nós podemos marcar uma visita à sua propriedade, pra saber quais são as suas necessidades e a melhor forma de atendê-las.”
“Seria ótimo. Quando vocês podem vir?”
“Bem, hoje já é quarta e a semana tá meio corrida, não sei se conseguiríamos ir amanhã ou sexta. Pode ser na semana que vem?”
"Sim, mas eu tenho uma ideia melhor. Por que vocês não vêm passar o fim de semana aqui com a gente? Faz tempo que não vejo o seu pai e a minha cunhada vive perguntando da sua mãe.”
“Obrigado pelo convite. Vou falar com eles e retorno a sua ligação, tudo bem?”
“Ok, vou aguardar. Tenha uma boa tarde.”
“Boa tarde pro senhor também.”
- ao finalizar a ligação, retornou ao trabalho e foi resolver o que ainda faltava até o fim do expediente.
  Mais tarde, ao chegar em casa, encontrou os pais sentados no sofá da sala vendo um filme qualquer que passava na TV à cabo.
  - Boa noite, meu filho. - Narcisa foi a primeira a dizer.
  - Boa noite, mãe. Boa noite, pai. - disse, dando um beijo em cada um.
  - Então, filho, como foi o dia no Residencial? Queria ter ido lá, mas precisei visitar um cliente com a sua mãe e acabou que demoramos mais que o previsto.
  - O mesmo de sempre. Tá tudo caminhando dentro do prazo e eu acredito que em dois meses já podemos entregar tudo pro Accetti.
  - Que bom!
  - Eu só recebi uma ligação de um senhor chamado Teodoro . Ele disse que era seu amigo e que tava tentando falar contigo faz um tempo.
  - Teodoro ?
  - Sim, lá de Ipiabas.
  - Amor, por acaso esse Teodoro é o esposo da Chang? - Narcisa questionou.
  - Ele mesmo, meu anjo. Faz muito tempo que não nos falamos. Ele tá bem, filho?
  - Tá sim. Disse que tá com uma obra pra fazer lá no hotel fazenda e queria a nossa ajuda. Ele, inclusive, chamou a gente pra passar o fim de semana com eles.
  - Mas que ótimo! Tava precisando mesmo sair um pouco dessa cidade. O que acha, Narcisa?
  - Adorei a ideia, querido.
  - Sinto muito, mas eu não vou poder ir. - comunicou.
  - E eu posso saber o motivo?
  - Marquei de ir pra Angra com a Cecília e o George. Ele cismou que quer aprender a surfar e eu fiquei de ensiná-lo.
  - Poxa, , não tem como desmarcar? Seria um fim de semana em família, faz tempo que não passamos uns dias juntos.
  - Sinto muito, mãe, mas eu prometi ao George. Além do mais, eu também tô precisando relaxar e vocês sabem que o melhor lugar pra isso é o mar.
  - Deixa ele, Narcisa. Filho, pode ir pra Angra. Nós vamos pra Ipiabas, eu converso com o Teodoro e na segunda, assim que chegarmos ao escritório, te informo o que ficou decidido. - João assegurou, sob o olhar decepcionado de Narcisa.
  - Obrigado, pai. Mãe, não me olha assim. Você sabe que eu não gosto de me enfiar no meio do mato. Prefiro mil vezes uma praia, muitas ondas e um belo pôr do sol.
  - Eu sei, meu amor. - Narcisa o abraçou. - Tava só fazendo um drama, jamais te obrigaria a ir a um lugar que eu sei que não se sente bem.
  - Ah, é? Bom saber. Quando a senhora me obrigar a ir àquelas festas de final de ano dos nossos fornecedores, cheias de gente chata, vou usar essa desculpa pra não ir. Pai, o senhor tá de prova. - Os três riram e passou o número de Teodoro ao pai, que ficou de ligar para o amigo.
  O resto da semana passou sem nenhuma novidade e no fim de semana, conforme combinado, João e Narcisa partiram para Ipiabas. Saíram do Rio às 17h e chegaram à cidade do interior por volta de 19h30. Foram recebidos pelo dono do hotel fazenda e levados à sua casa, que ficava próxima do estabelecimento. Ao chegarem à residência - uma casa de um andar na cor amarela, com janelas de madeira e uma ampla varanda que dava para um jardim - foram acomodados em um quarto de hóspedes, no qual aproveitaram para tomar um banho. Em seguida se dirigiram à sala de jantar, onde Teodoro e Chang os aguardavam com uma comidinha especial feita pela morena.
  Durante todo o jantar, a conversa girou em torno das histórias que João e Teodoro viveram no passado, o que arrancou muitas risadas das esposas. Relembraram o tempo em que serviram o exército, os perrengues que passaram no quartel, os bailes que frequentavam na região, entre outros fatos. O papo fluiu de tal maneira que quando foram ver, já passava das 22h. Teodoro pediu licença aos hóspedes, deu um pulo na fazenda pra ver se estava tudo em ordem e só depois de se certificar de que estava tudo bem é que retornou à sua casa.
  No sábado, acordaram cedo e, enquanto Chang ia pra faculdade dar aula, João, Narcisa e Teodoro foram dar uma volta pelo hotel fazenda. Conheceram a casa principal, os chalés - feitos para aqueles hóspedes que desejam um pouco mais de privacidade, o lago de pedalinho, as piscinas e o espaço kids, área reservada pras crianças. Também passaram pelos estábulos onde ficam os cavalos usados para entretenimento dos hóspedes e chegaram aos pastos. Lá puderam ver a enorme criação de gado Guzerá de corte, o verdadeiro orgulho do filho mais velho dos Oliveira . Ele mostrou aos amigos como é feito todo o processo de criação dos animais - desde a criação através do pastejo rotacionado até o abate em uma área específica da fazenda - e João ficou encantado com a paixão com que o amigo falava sobre o seu trabalho.
  Depois do almoço, enquanto Narcisa e Chang preparavam um delicioso bolo para o café da tarde, Teodoro e João sentaram na varanda da casa e falaram sobre o real motivo da ida do casal a Ipiabas: a reforma na fazenda. Já havia muito tempo que ele e o irmão Francisco estavam querendo reformar a casa e decidiram que aquele era o momento certo, já que o turismo na região crescia a cada ano e o hotel fazenda recebia cada vez mais hóspedes na alta temporada. Também chegaram à conclusão de que os passeios a cavalo não estavam sendo suficientes para entreter os hóspedes. Sendo assim, pensaram em construir um centro de treinamento completo, com todos os obstáculos necessários às provas de salto, tambores e etc. Desta forma, visitantes e moradores da região poderiam desfrutar da atração. A ideia foi bem aceita por João, que deu algumas sugestões do que poderia ser feito e se comprometeu em entregar o primeiro esboço do projeto até o fim da semana seguinte.
  Enquanto isso, se divertia em Angra dos Reis com Cecília e George. Aproveitaram que o tempo estava bom pra ir até a Praia Brava, a praia da Usina Nuclear. Como o próprio nome diz, é uma praia com águas agitadas e muitas ondas, ideal para a prática do surf. Como prometido, tentou ensinar o marido da prima a surfar, mas George é tão desengonçado que tomou muitos tombos e não conseguiu ficar em pé na prancha um minuto. Quando viu que não ia conseguir, o economista desistiu e foi curtir a praia ao lado da mulher, deixando o engenheiro livre para praticar o seu esporte preferido. Ali, em meio às ondas e ao mar agitado, se sentiu verdadeiramente em casa. Todo o estresse gerado ao longo da semana por conta das obras no Residencial Jasmine foi embora no momento em que subiu em sua prancha e começou a deslizar entre as ondas. Aquele era o seu lugar preferido no mundo e, não importava o quão agitada e estressante tenha sido sua semana de trabalho, quando estava ali, tudo desaparecia momentaneamente. Dessa forma, o fim de semana passou.
  Na segunda-feira, de volta ao escritório da Engenharia, pai e filho se reuniram na sala de reunião para discutir sobre o projeto de Teodoro .
  - Então, meu filho, o buraco é mais embaixo do que nós pensávamos. - João foi o primeiro a dizer.
  - Por que, pai? O que o senhor viu de tão problemático lá? - questionou.
  - Lembra que o Teodoro havia dito que era só a revitalização do hotel fazenda e a construção de um galpão?
  - Sim. O que tem isso?
  - Ele e o Francisco, irmão mais novo, decidiram que o hotel precisa de um centro de treinamento completo para as provas de hipismo, não um galpão pra armazenar entulho.
  - Centro de treinamento? Provas de hipismo? Como seria isso? - perguntou, sentindo um frio na espinha.
  - É. Um centro de treinamento com balizas, tambores, obstáculos pra provas de salto, essas coisas. Não sei se já te disse, mas o Francisco competia no Concurso Completo de Equitação, que envolve as provas de adestramento, salto e cross country. Já faz um tempo que ele encerrou a carreira e como surgiu essa necessidade de melhorar as atrações do hotel, os dois decidiram que o Francisco vai dar aulas de equitação tanto pros hóspedes quanto pros moradores.
  - Tá, mas o que tem de tão errado nisso?
  - Nada. Acontece que o nosso arquiteto especialista em obras rurais tá encostado no INSS por conta de um problema no ombro e eu vou ter que ficar responsável por essa obra. Por mais que eu saiba do seu pavor por cavalos, não confio em mais ninguém pra me ajudar a executar esse projeto. Topa entrar nessa comigo, filho?
  - Eu vou ter que chegar perto dos animais?
  - Creio que não.
  - Então pode contar comigo, seu João.
  Aliviado por contar com a ajuda do filho, João explicou a a real situação do hotel e os dois começaram a discutir detalhes do projeto. Trocaram ideias, analisaram alguns pontos e ao final do dia, já tinham uma noção do que seria feito. O mais velho ficou responsável pela elaboração da planta, enquanto o engenheiro acompanhava a obra do Residencial Jasmine. Caso o projeto fosse aprovado, seria o responsável por executar a obra em Ipiabas.

CONTINUA...



Comentários da autora
--