Posted by on 13/04/2017

Versalhes – O Garoto dos Meus Sonhos {Outros, Não-interativa, Andamento}

Nota: (1,5 / 5)

ASPECTOS POSITIVOS: É sempre gostoso realizar a leitura de uma história em que o personagem é aquele garoto lindo e maravilhoso, que você acha que jamais conseguiria chamar a atenção, e então ele se mostra interessado em ti. A história não fala sobre essa situação em específico, mas tem como assunto em vários pontos do enredo, o que me motivou bastante à leitura.
Gostei também da maneira como a autora decidiu começar o enredo por um sonho, respeitando a linha de raciocínio do leitor, para então descrever os dias atuais e colocar a reviravolta, que fez todo o sentido e deu uma apimentada na animação da história. Admito que apesar de já ter ouvido falar sobre o assunto do sonho/realidade, nunca havia lido uma história que abordasse o tema, então fiquei feliz com a escolha de elaborar essa crítica.
Versalhes, como dita o próprio título, é o garoto dos sonhos. Bonito, charmoso, simpático e, de quebra, ainda tem um interesse incomum pela personagem. Gostaria de tirar um espacinho dessa análise para parabenizar a autora pela escolha do sobrenome do personagem; para alguém que não sabe o que encontrar, pode remeter o nome aos romances europeus, criando a persona do personagem como aqueles homens charmosos que encontramos em livros como Orgulho e Preconceito. Além disso, o nome colaborou para que o título tivesse um sentido ainda melhor. Se fosse somente “O garoto dos meus sonhos” não teria o mesmo charme do que “Versalhes – O garoto dos meus sonhos”. Ótima jogada!

ASPECTOS NEGATIVOS E COMO MELHORÁ-LAS: Começando pela análise básica (básica = português), a história possui vários erros que, infelizmente, prejudicam a leitura. A pontuação colocada em lugares errados mudavam o sentido da sentença, nos obrigando a reler o conteúdo e parar a leitura para conseguir compreender o real sentido. Além disso, em alguns momentos pude me encontrar encasquetada com a mistura de tempos verbais em determinados pontos da escrita.
Outros erros que saltaram foi no uso do ‘porque’, ‘que/quê’ e a repetição de palavras.
Sobre o enredo, tenho uma observação a fazer sobre a abordagem do tema real da história. Inicialmente é possível achar que fosse se tratar de um romance entre professor e aluno, devido à atenção que a autora deu à descrição do professor e a uma possível relação entre os dois. Contudo, só pude entender que todo o início da história – que se remetia a um sonho – foi de uso para o desenvolvimento da trama bem depois, próximo do final do capítulo. Acredito que a atenção ao professor (que não aparece depois) foi maior do que ao próprio aluno, o verdadeiro ‘garoto Versalhes’. Isso pode causar no leitor um desânimo na leitura, pois de acordo com que vamos lendo, as expectativas sobre o enredo vão sendo criadas; quando um fator chega para quebrar essa expectativa, o leitor pode perder o interesse.
Outra coisa que pode ser melhorada é o diálogo entre os personagens e o desenvolvimento das cenas. Ao invés de focar somente no “atual” ou o que está acontecendo naquele exato momento, estender a descrição para novas observações da personagem, um pró que a autora pode aproveitar, já que a narração é feita na primeira pessoa. Devo ressaltar que esse ponto somente se refere aos momentos de diálogo mais constantes. Como é uma escolha da preferência da autora e não minha, afinal, a história é dela, não considerei ponto sobre esse aspecto.
Por último, gostaria de fazer um apontamento sobre a classificação da história. Na tabela, está descrito como ‘Livre’, contudo, ao abrirmos a página, a mensagem de que ela é +18 aparece. Não sei qual das duas a autora escolheu, mas acredito que nem uma, nem outra esteja correta. A história, de fato, não possui cenas explícitas de sexo ou violência para que seja considerada restrita; por outro lado, os personagens falam muitas palavras de baixo calão, que torna a história impossível de ser adequada a qualquer idade. Vale a pena dar uma verificada no enredo e ver se ele não se encaixa em uma classificação para maiores de 16 anos.

DICA: Autora, como eu já disse, fiquei muito feliz de escolher sua história para realizar a leitura, porque ela traz uma sinopse bastante interessante e um enredo bem diverso. Não se desanime com a nota, ela está aí somente para mostra-la que pode melhorar ainda mais suas habilidades com a escrita, mas, em momento algum, remete à sua habilidade total. Você tem muito potencial e sua fanfic também, por isso, veja se meus pontos fazem sentido para você e, caso façam, poderá correr atrás da melhoria. Se achar que não fazem jus à sua escrita, basta ignorar e continuar escrevendo confiantemente sua história!
As colunistas do site criaram várias matérias que podem ajuda-la a relembrar algumas regras que citei estarem com erro na história:
Descrição x Diálogo
Uso da vírgula
Uso da crase
Uso do ponto e vírgula
Tempos verbais
Ah! Não sei se é da história ou não, mas a partir do 4º capítulo, todo o texto se encontra em itálico, por isso não sabia dizer se era um sonho, como foi colocado no início da história, ou os dias atuais. Se não for para estar em itálico, vale avisar a beta-reader para dar uma verificada!

– Crítica por: Jess Manis

O site possui a permissão do autor em elaborar postar todas as críticas divulgadas em nosso domínio.
Leia outras críticas aqui.

Posted in: Críticas
Tags:

Comments

  1. Yin Craz
    30/06/2017

    Leave a Reply

    Gostei bastante da crítica, o modo como os problemas foram apontados e as dicas dadas à autora para que possa melhorar a história. Muito boa análise, Jess!
    Fiquei com vontade de ler a história, na verdade, por causa dos pontos positivos que você comentou. hahahaha
    Beijos!

Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*